Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1980)

No campo de batalha

Impressionante a versatilidade de Roberto Gomes, 36 anos, catarinense de Blumenau, 16 anos em Curitiba - embora atualmente na ponte rodoviária entre a nossa cidade e São Paulo, onde faz doutoramento na USP.

O jazz de Victor estimula os bons músicos da cidade

Mais do que uma jam-session - das mais espontâneas, criativas e belas que já assisti em minha vida - a apresentação de Victor Assis Brasil e um grupo de instrumentistas de Curitiba, quinta-feira, 27, no Paiol, foi a comprovação de que o estímulo, a confiança e a boa vontade valem mais do que mordomias, compensações financeiras e oba-oba oficiais em termos de cultura. Praticamente sem custar nada à Fundação Cultural - cujos presidente e executivo tinha esquecido o transcurso do 8º aniversário do Paiol - o espetáculo que Victor proporcionou foi de uma emoção e beleza difíceis de descrever.

No campo de batalha

O pintor Carlos Sclair tradicionalmente aumentava em dezembro seus quadros em 30 a 35%. Com a maxidesvalorização do cruzeiro decidiu também atualizar os preços e a remessa que enviou para seu amigo Jorge Sade, da Acaica, veio com novos preços: 60% a mais - ou seja, de Cr$ 20 a Cr$ 50 mil os óleos e Cr$ 4 mil cada gravura. Scliar, hoje um dos artistas plásticos brasileiros de maior mercado, estabelece preços em suas telas conforme o tamanho, e não aleatoriamente, como fazem muitos outros artistas. xxx

Os discos paranaenses (I)

Em música, 1979 encerrou com uma tríplice presença fonográfica em termos paranaenses: o lançamento do elepe do Samjazz, primeiro produzido de forma independente e com um repertório exclusivamente de compositores locais, a distribuição de "Onze Cantos", de Marinho Galera / Paulinho Vítola, como brinde de fim de ano da Múltipla-Propaganda e Pesquisa e o simpático compacto duplo do cantor argentino Osvaldo René, há algum tempo radicado em Curitiba.

Os discos do Paraná (II)

Há 13 anos, o publicitário Marcus Pereira, então dono de invejadas / disputadas gordas contas em São Paulo, inovava nos brindes de fim de ano: ao invés de caixas de vinho, "scotch" ou cestas de Natal (bons tempos aqueles!), produzia um elepê intitulado "Onze Sambas e Uma Capoeira", onde gente amiga - e então desconhecida (Chico Buarque, Toquinho, Carlos Paraná etc.) reunia-se para homenagear um grande amigo - Paulo Vanzolini, misto de cientista (diretor do Museu de Zoologia da USP há 17 anos), compositor e boêmio.

Os discos paranaenses (III)

Advogado, publicitário e, desde março de 1979, por escolha pessoal do prefeito Jaime Lerner, presidente da Fundação Cultural de Curitiba, Sergio Mercer é daqueles curitibanos que curtem a sua cidade e buscam sempre encontrar novos encantos, nos mais simples endereços. Papo descontraído, bem humorado, companheiro ideal para uma noitada sem maiores compromissos, é também dono de um texto saboroso - que não só lhe tem valido excelente salários nas agências de propaganda pelas quais tem passado, mas também muitos leitores em suas colunas sobre gastronomia.

No Campo de Batalha

O engenheiro Luís Groff, filho de um dos pioneiros do cinema, fotografia e jornalismo do Paraná, o inesquecível João Baptista Groff (18.12.1897/28.6.1970), é um dos profissionais mais respeitados em sua área. Após integrar por anos a Serete, uma das maiores empresas de consultoria e planejamento do País, Luís criou em Curitiba a Scope (Avenida Getúlio Vargas, 2591) que, neste Natal, teve uma atitude que dá uma idéia de seu elevado nível altruístico e cultural.

Na longa viagem, a guerra de todos (I)

Pode parecer um atrevimento, mesmo uma heresia, comparar "Apocalypse" (Cines Lido / Plaza) a "...E O Vento Levou". Quatro décadas separam a superprodução de David F. Selzenick (1905-1979) da realização de Francis Ford Coppola e, exceto a grandiosidade do espetáculo e ambos terem, por fundo, a guerra, pouco há em comum entre os dois.

Revolução de 30 na revisão de Joffily

Pouco a pouco, o exemplo do historiador Hélio Silva, em remexer na História do Brasil neste século, fazendo revelações importantes - e que ajudam a melhor entender certos fatos atuais, vai sendo acrescida de novos - e importantes - depoimentos. Memórias, pesquisas, ensaios, teses, depoimentos etc. - vêm sendo escritos por pessoas que, de uma forma ou de outra, têm alguma contribuição a oferecer para o melhor compreensão de nossa vida política e econômico-social.

Artigo em 06.01.1980

1 - Um punhado de discos de grupos vocais-instrumentais, anglo-americanos, com som para diferentes faixas de apreciadores. Por exemplo, o Boney M. ("Oceans of Fantash", RCA 104.8130), formado por três belas mulheres e um criolão, ampara-se num grupo instrumental da maior competência para mostrar as 12 faixas gravadas no Europsound Stdudios, um dos melhores estúdios de Munique. Embora possa ser destinado a discotheque, o Boney M. mostra qualidade em suas interpretações vocais, especialmente em faixas como "Let It All Be Music" e "Ribbons Of Blues".

O Vanguardista Gilberto Mendes

Se mesmo a música dos grandes mestres brasileiros - como Villa-Lobos, cujo 20º ano de falecimento transcorreu no ano passado, Mignone, Guarnieri e tantos outros, têm raríssimas gravações no Brasil, imagine-se, então, a dificuldade dos compositores de vanguarda, com propostas novas, chegarem a registrar em elepes os seus trabalhos. Só mesmo quando há um produtor da visão e abertura cultural de Maurício Quadrio, isto se torna possível.

Veiga póstumo e o lp histórico da Tropicalia

Felizmente as gravadoras estão dando atenção a importância de reeditarem discos importantes, que marcaram determinadas fases de nossa música mas que, por diversas razões, desapareceram das lojas. Com maior ou menor organização, as fábricas procuram recolocar nas lojas aquelas gravações que podem motivar novas faixas de colecionadores - ou serem readquiridas pelos que já possuíram os lançamentos originais, mas que, de tanto ouvirem, acabaram "gastando" as faixas.

Na longa viagem, a guerra de todos (II)

Uma das [seqüências] mais chocantes de "Apocalypse" (Cine Plaza, 14,30, 17,30 e 20,30 horas) é aquela em que o oficial interpretado por Robert Duvall (aliás, numa magnífica caracterização), comandante de um corpo de "cavalaria" de helicópteros, entusiasma-se ao saber que entre os soldados está um ex-campeão de surf na Califórnia. E isto o faz arrasar uma aldeia vietnamita exclusivamente para limpar a praia e permitir a prática de surf - da qual é um dos mais fanáticos adeptos. A analogia deste oficial com o general Jack D.

No campo de batalha

A coreógrafa Milena Morozowicz e demais professores do mais antigo curso de danças de Curitiba - o Ballet Morozowicz - estão desde sábado em Nova Iorque participando de um programa especial desenvolvido pelo Joffre Balet, um dos mais conceituados estúdios de dança dos EUA. Retornarão somente em fevereiro. xxx O flautista Norton Morozowicz viajou também a Nova Iorque, onde, após rever o irmão, Henrique - que faz doutorado em composição, na Cornel University - segue para Munique, ao encontro do maestro Karl Richter. xxx

O muito que Victor poderia fazer aqui

Depois de passar 15 dias em Curitiba, onde fez grandes e bons amigos, retornou ao Rio, segunda-feira, o saxofonista Victor Assis Brasil. Simples, com a espontaneidade dos grandes talentos, Victor fez muito pela valorização de nossos instrumentistas, ao menos em uma dezena de anônimos (e mal pagos) profissionais da terra, plantou sementes de autoconfiança, mostrou que são capazes de desenvolverem suas potencialidades e, de uma forma profissional, virem a se destacarem seus trabalhos, se souberem estudar e trabalhar com afinco. Mediante uma pequena compensação mensal.

Pequena sugestão ao prefeito Lerner

O prefeito Jaime Lerner é um homem preocupado com grandes metas, projetos ambiciosos, idéias novas, criatividade, inovações, capazes de dar a Curitiba um destaque nacional. Tudo muito bom e bonito - e que deixa a todos nós, curitibanos de nascimento ou adoção, orgulhosos e, cada vez mais, integrados ao seu espírito - embora, naturalmente, nem sempre toda a sua equipe seja das mais coesas - muito pelo contrário.

Allen, a psicanálise urbana contemporânea

O que faz de Woody Allen um sucesso ?

Tárik, o poeta e o crítica da MPB

Pouca gente sabe que o jornalista Tárik de Souza, hoje um dos mais respeitados e conhecidos críticos e repórteres da área de música popular, colaborador de importantes veículos nacionais, é filho de Emil Farhat, diretor-geral de "O Globo" em São Paulo - e que apesar do sobrenome, não é sequer parente de Said Farhat, o ministro da Comunicação Social, e fundador da revista "Visão". Justamente para não fazer carreira à sombra do ilustre sobrenome do pai - um profissional de ampla vivência, Tárik preferiu ficar apenas com o sobrenome materno.

Rafael, a dimensão do homem e técnico

O quinzenário "Quem" vai apresentar numa de suas próximas edições uma entrevista-perfil do arquiteto Rafael Dely, mostrando diversos aspectos do homem e do técnico. Um dos profissionais mais respeitados na área de planejamento urbano, Dely foi um dos muitos integrantes da equipe do IPPUC que, durante anos, deu o melhor de si para formular toda uma política municipal que, executada na primeira administração de Jaime Lerner, o projetou - individualmente, em termos nacionais.

No campo de batalha

Mais uma confirmação de que José Augusto Iwersen, 35 anos, é hoje um cineasta de prestígio nacional: "Doce Humanidade", um filme sobre crianças excepcionais e "Daniela, Carnaval e Cinzas", uma sincera e honesta visão do dia-a-dia de um travesti (já premiado em 3 festivais) foram os únicos do Paraná convidados a participar do VII Festival de Cinema Brasileiro, iniciado ontem, em Penedo, Alagoas. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br