Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1984)

A boa fala de Richa

O governador José Richa não poderia ter sido mais feliz, ao escolher o tema para a saudação de ano novo, transmitido na noite de domingo, pela rede estadual de televisão.

Na Oração de Edilson a nossa mensagem de paz!

Calem-se as baionetas para que se ouça a criança. Cale-se o arbítrio para que finde o lamento Calem-se as serenas para que ouça o canto. Cale-se a injustiça para que finde a revolta. Calem-se os motores para que se ouça o amigo. Cale-se o ódio para que finde o desespero. Calem-se os músculos para que se ouça a carícia. Cale-se a fome para que se finde o crime Calem-se os gritos para que se ouça a esperança: e que a esperança cale as fronteiras para que se ouça a PAZ. Que Deus abençoe a todos os homens que se perderão no caminho em busca da harmonia.

No antigo matadouro o museu de botânica

Há muito tempo que se pergunta qual o destino que se poderia dar ao antigo Matadouro Municipal, desativado há mais de 20 anos, no bairro do Guabirotuba. Já em sua primeira administração, o arquiteto Jaime Lerner pensou em ali implantar um grande centro étnico, espécie de feira (permanente) das nações, representativas dos vários povos que formaram o Paraná. O arquiteto Rodolfo Doubek Filho chegou a fazer um bonito projeto, mas a idéia não andou.

A música e a política na "geração Positivo"

O grupo Positivo procura estimular a criatividade de seus 15 mil alunos espalhados nos colégios de Curitiba, Londrina, Ponta Grossa, Guaira, Salto Osório e até Guri, na Venezuela. Assim lançou o volume 7 de "Palavra Viva", com textos selecionados entre mais de mil alunos e o elepê "Música Viva 83" com as finalidades dos shows realizados em Londrina e Curitiba.

Bianchi, o melhor de nosso cinema em 1983

O cineasta Sérgio Bianchi deve estar sorrindo bastante deste sábado, quando leu o Caderno de Programas e Leituras do Jornal da Tarde, de São Paulo. É que na lúcida análise sobre o ano cinematográfico, vendo com realismo um ano crítico - cinemas fechando, público em recesso, crise pelas telas do Brasil e do mundo, o estabelecimento de vídeo-cassete entre a classe média, com dezenas de vídeo-clubes nas primeiras cidades brasileiras - ao se referir ao cinema brasileiro, o grande elogio foi para Bianchi.

A guerra da circulação no "Largo da Desordem"

A guerra do estacionamento no Largo da Ordem - ou da Desordem, conforme a expressão cunhada pela germânica taberneira Ingeborg Rust - vai continuar. De um lado, o Ippuc e a Polícia Militar, dispostos a impedir a transformação do setor histórico da cidade num estacionamento para quem freqüente os pubs e restaurantes que surgiram naquela área. De outro, os comerciantes, alegando prejuízos, exigindo que os fregueses tenham o comodismo de estacionarem os veículos defronte os ambientes noturnos.

No campo de batalha

O editor Gunther Schott está tendo um início de ano movimentado: desde ontem está em São Paulo, participando de reunião de músicos contemporâneos de toda a América Latina, na cidade de Tatui. Dia 19, com sua filha, embarca para Meinz, Reública Federal da Alemanha, de onde retorna no final de fevereiro. Quando , então, inicia um projeto de difusão da música contem porânea em Curitiba.

Key e a cultura popular (I)

Key Imaguire Júnior é uma das pessoas mais fascinantes desta cidade. Arquiteto e professor, especializado inclusive em obras de restauração de antigos edifícios, Key, numa discreção oriental, dedica-se ao estudo dos quadrinhos e cartoons - tema do qual tem a mais completa biblioteca especializada no Paraná (e, creio mesmo, uma das melhores do Brasil). Mas seu interesse não se restringe a arquitetura e aos comics.

Key e a Cultura Popular (II)

O grande humanista e indianista Noel Nutels foi um dos maiores amigos do artista Poty Lazarotto. Juntos, chegaram, por brincadeira, a desenvolver um curioso projeto: fazer uma porta de banheiro, na qual o artista curitibano colocaria sua reconhecida arte em trabalhar com a madeira, com uma seleção das mais picantes frases que, ambos, há anos colecionavam das portas de banheiros públicos. A curiosa idéia foi vetada pelas esposas de Noel e Poty, que afinal, alegaram que esta visão de preservação artística da cultura popular dificilmente seria entendida pela maioria das pessoas.

No campo de batalha

A temporada de verão e o grande movimento nas praias animou o jornalista Victor Grein Neto a reeditar a "Folha do Litoral", que volta a circular hoje, em todas as praias do Paraná. O número um da "Folha do Litoral" saiu di 1o de setembro de 1978, mantendo-se por 25 semanas, até fevereiro de 1979. Agora, com nova paginação e dedicando-se a tudo que se relaciona ao Litoral, a esperança de Victor Grein é manter o jornal mesmo após as férias de verão. xxx

Key e a cultura popular (III)

As pichações dos muros da cidade, os gibis artesanais feitos por adolescentes e as chamadas "correntes da sorte" constituem temas de três dos "Cinco Estudos de Cultura Popular", que Key Imaguire Júnior publicou no final de dezembro. A análise das volantes de sortistas e das frases escritas em cédulas (literatura monetária), comentadas em nossas colunas de quinta e sexta-feira, completam este original trabalho de Key, arquiteto, professor e estudioso das manifestações populares.

Um deserto cultural neste quente janeiro

A Fundação Teatro Guaíra vem anunciando, de todas as formas - releases, na edição da programação de dezembro (agora impressa em papel caríssimo, formato de poster e com patrocinio de uma joalheria), de que "assim como os teatros do mundo inteiro, Guaira também fecha para revisão: Janeiro/84".

Ibope muda pesquisa e as rádios suas programações

A decisão da Rádio Independência em suspender dois programas em sua programação diária - "A Baiuca do Xiló", de Paulo Cesar (Etevaldo Cunha Santiago) e "Zé do Pito (Antonio Feorenzano) - foi apenas um dos reflexos do último boletim do Ibope.

O revolucionário Schoenberg e Bach nas teclas de Martins

Com a música erudita ocorre, de certa forma, o mesmo que acontece com a economia brasileira: há um processo de empobrecimento da classe média que se reflete na recessão que atinge a todos, mas uma camada especial acumula cada vez maiores lucros. Por isso, Pierre Cardim se dá ao luxo de, acintosamente, inaugurar o Maxim's, no Rio de Janeiro, com pratos a Cr$ 100 mil. A fonografia, que também sentiu diretamente a dureza do ano que se encerrou, teve que adotar novo marketing de lançamentos, escolhendo comercialmente os títulos a serem editados.

Compactos da esperança

De um lado, a música clássica, com o público seguro, embora exigente. De outro, os riscos de um investimento mínimo de Cr$ 3 a Cr$ 5 milhões para um elepe popular. Entre tanta distância, o compacto volta a ser uma opção viável e economicamente estimulante. Ora, se o Magazine com "Sou Boy", Paralamas do Sucesso com "Vital e sua Moto" e outros grupos de rock venderam mais de 100 mil bolachas ganharam seus elepes, já na praça não é de estranhar que tantos compactos - simples ou duplos, tenham saido nas últimas semanas.

O Paraná no canto de Belarmino e Gabriela

Nhô Belarmino e Nhá Gabriela. Mais do que uma dupla de artistas sertanejos, uma verdadeira identificação com o Paraná dos anos 40 a 70. Donos de uma popularidade regional tão representativa quanto de outras duplas em outros Estados - Cascatinha e Inhaná, Jararaca e Ratinho, para só citar dois exemplos.

Desenhos de Poty para os meninos de Antônio

Quando o editor Alfredo Machado convidou o artista Poty Lazarotto para fazer as ilustrações do novo livro de João Antônio, "Meninão do Caixote" (Record, 110 páginas, Cr$ 1.500,00), imaginava que o consagrado desenhista, responsável pela arte de valorização visual de tantos livros notáveis, se restringiria apenas a poucos desenhos.

O mineiro Délcio penetra no mundo dos homoeróticos

"O debate", bravo semanário que a 23 anos vem sendo editado em Irati pelo jornalista e poeta José Maria Orreda, dedicou um pequeno editorial na edição de 3 de dezembro último ao "Gay Power". O texto levanta as preocupações da comunidade iratiense com o crescimento do homossexualismo naquela cidade, onde "os grupos de 'donzelos' andam pela noite caçando o bicho homem, principalmente jovens inexperientes e marginalizados pela família ou sociedade. Pois na época que vivemos onde o charme e o luxo são indispensáveis; as estravagâncias e o prazer inevitáveis, tudo pode ocorrer.

A última sessão do mais antigo cinema

Inúmeras vezes dedicamos o espaço desta coluna a registrar a resistência do Cine Central, de Irati, como o mais antigo cinema brasileiro nas mãos de um único exibidor, João Wasileski. Há pouco mais de um ano, com tristeza, registramos o falecimento do velho exibidor, que chegando ao Brasil ainda garoto, estebeleceu-se em Irati, onde a 28 de agosto de 1920, inaugurou o seu cinema.

O dia anterior (I)

As 9h30min de sábado, 7, havia longas filas de adolescentes e crianças nas calçadas do cine Condor, para a pré-estreia de "Jogos de Guerra", em promoção da UIP-Polygram-Rádio Caiobá FM, para divulgar este filme que a partir de ontem começou sua carreira comercial (5 sessões diárias). Em poucos minutos, um público basicamente jovem lotou o cinema e a algazarra foi grande: gritos, vaias, aplausos - enquanto, ao máximo, o sistema de som do cinema divulgava a trilha sonora de "Flashdance".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br