Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1985 - Dezembro)

A opinião da crítica internacional

"A partir de um vocábulo hopi (KO.YAA.NIS.QA.TSI: vida louca, desequilibrada, em tumulto, em desintegração; uma condição de vida que clama por outra maneira de viver) os realizadores propõem um contraste entre a natureza em seu estado virgem e montagem urbana do sonho americano. Da primeira, selecionam cenas já familiares da topografia norte-americana para dota-las de vida nova por meio de movimento e expressão próprios (através da foto quadro-a-quadro) e assim fazendo-nos participar da magnitude lírica da Criação.

Veiga, o escritor do fantástico nacional

Um dos sonhos do cineasta Luis Sérgio Person, realizador do extraordinário "São Paulo S/A", era filmar "A Hora dos Ruminantes". Person morreu (num acidente automobilístico) sem poder transpor para a tela o surrealista (e magnífico) romance de José J. Veiga, um dos autores mais importantes surgidos nos anos 60, autor de uma obra magnífica, densa e que surpreende sempre: "Os Cavalinhos de Platiplanto", "A Estranha Máquina Extraviada", "Sombras de Reis Barbudos", "Os Pecados da Tribo", "De Jogos e Festas" e "Aquele Mundo de Vasabarros".

As feiticeiras de John Updike

Com "Casais Trocados", um audacioso (para 'época) livro sobre o swing (ou seja, a permuta de parceiros conjugais) o romancista americano John Updike surgiu como a grande estrela da literatura avançada no final dos anos 60. O tempo passou e Updike produziu agora outra obra de grande impacto: "O Sabá das Feiticeiras" (que, pelo seu desenvolvimento em breve deve chegar também às telas). Agora temos em tradução de Aulyde Soares Rodrigues a edição no Brasil de "The Witches of Eastwick" (336 páginas, Cr$ 72.000).

Quando o visual do rock vale mais que o musical

1985 começou com o quente Rock In Rio e termina com o escândalo envolvendo os integrantes do grupo Titãs, presos em São Paulo, por uso e mesmo tráfego de droga pesada. Isto reflete um ano em que a música perdeu para o marketng dito jovem, explorado ad-nausea não só pelas grandes gravadoras mas até adotado por selos altenativos, como a Baratos Afins, que mesmo sem esquema maior de divulgação, inundou o mrecado com uma dezena de Ips de grupos de roqueiros paulistas.

Tim Maia, o canto gordo e com vigor

Uma personalidade ( o termo é esse mesmo) da MPB que ainda não foi devidamente entendido - embora, finalmente, alguns críticos comecem a valoriza-lo é Tim Maia, Gordo, briguento, místico, sua carreira tem sido das mais atrapalhadas. Fez parte da pré -Jovem Guarda , amigo de Roberto e Erasmo Carlos; viveu nos Estados Unidos, de onde saiu devido a problemas com drogas. Com "Primavera "(Casiano), foi a grande revelação do mivimento Soul no início dos anos 70 e chegou a fazer alguns Lps pela-Polygram.

Os teclados de Makoto e o "bituqueano"Pat

Três excelentes lançamentos de jazz neste final de ano. Dois dos quais se constituem em agradáveis surpresas: o pianista Makoto Ozone e a Widespread Jazz Orchestra, na Colector Jazz series. Já "First Circle" com o guitarrista Pat Matheny, mostra porque o guitarrista fez questão de participar do novo lp de Milton Nscimento: neste seu disco, gravado no ano passado (15 a 19 de fevereiro, em Power Station, Nova Iorque) já era clara a influência da música de Bituca em sua obra.

Quarteto Orlando e Beaux Arts Trio

Só em ocasiões excepicionais, com patrocínio de governos ou grandes multinacionais , é possível às orquestras viajarem. Assim, é raro se poder apreciar orquestras como de Viena ou a Concertbown, que, este ano, estiveram no Rio e São Paulo. Em compensação, trios, quartetos e quintetos podem, com maior facilidade, se deslocarem em turnês, embora hoje, como dólar chegando aos Cr$ 13.000 - (e os cachês internacionais têm que ser na moeda de Tio Sam ) - torna-se impossível a entidades como a Pró-música, trazer a Curitiba os bons grupos que, no passado, aqui escalavam com frequência.

Simone, o esquema branco do sucesso

Simone, suprestar que une a bonita voz com extrema sensualidade ( quase sempre em branco), como mostrou, há pouco mais de um mês, na inauguração do Palace, a exemplo de um Roberto Carlos, é hoje prisioneira de seu próprio sucesso. Representando investimento de milhões de cruzeiros para CBS, tem que obedecer a rígidos esquemas de produção, especialmente no que diz respeito ao seus discosanuais.

Artigo em 01.12.1985

Aramis Millarch, do Rio de Janeiro - Não foi apenas "Aleksanderplazt", de Fassbinder, com suas quinze horas de projeção, que se constituiu num dos mastodônticos desafios paralelos nete II Festival Internacional de Cinema, Video e Televisão, oficialmente encerrado sábado, mas que prossegue ainda com muitos programas. No Gaumont Copacabana haverá hoje a partir das 15horas, a exibição de um filme enorme , que há 22 semanas faz sucesso em Paris e que acaba de estrear em Nova Iorque : "Shooh".

Dua obras-primas em cartaz: "1984"e "Koyaanisqatsi"

Nesta semana estrearam em Curitiba dois dos filmes mais fortes a serem incluidos entre os melhores do ano: "1984" (cine Itália) e "Koyaanisqatsi - Universo em Desequilíbrio". Por coincidência, ambas [ambos] foram exibidos há um ano, no I Festival Internacional de Cinema, Video e Televisão do Rio de Janeiro.

O cinema à procura da sucessora de Marilyn

Há já vinte anos em Holywood se pergunta por que [porque] não apareceu uma estrela a altura das do passado. Há, sim, lindos rostos, até certos talentos com perdoáveis defeitos de fotogenia, mas todos estão de acordo que a "estrela-estrela"morreu com Marilyn Monroe, a última das grandes.

Beethovem, grande leitor de Homero

Beethoven " conversou" durante toda a sua vida com Homero. A paixão do músico alemão pelo poeta grego foi tão grande que chegou a identificar- se com Odisseu numa "aventurosa viagem por terras inexplorada e hostis".

"Tempo de Morrer"foi o premiado do FestRio

Ao contrário do ano passado, quando "Cabra Marcado Para Morrer" premiado com o Tucano de Ouro, saiu do FestRio já com uma disputa de cadeias de exibição para o seu lançamento, o grande premiado deste ano - " Tempo de Morrer", produção colombiana baseada em um texto de Gabriel Garcia Marques ( Nobel de Literatura- 1982) não tem sequer perspectiva para comercialização imediata.

Uma festa atrapalhada na guerra de estrelas

A atriz curitibana, Malu Maeder esperava, por certo, que ao ser escolhida, para dividir com o ator Denis Carvalho as funções de mestre de cerimônias do encerramento do FestRio, teria chances de ganhar maior promoção a sua carreira. O tiro saiu pela culatra a pobre starlet acabou vivendo momentos de aflição, numa festa que parecia ter direção de Renato Aragão, tanto foram as trapalhadas da noite.

A poesia de Emily

Dizem que a palavra morre Ao ser falada. Digo que a palavra nasce, Pronunciada. É a palavra, pronunciada, que faz nascer uma peça marcante e que merece ser vista neste fim-de-semana. Precedida de importantes premiações - Mambembe de revelação e Moliéres especiais ao diretor Miguel Fallabela e Mambembe de produção a João Batista Pinheiro, "Emily" de William Luce, chega para uma curta temporada (sexta-feira a domingo, auditório Salvador de Ferrante, 21 horas). Para fazer uma campina junto uma vespa e uma flor Vespa, flor e fantasia Ou apenas fantasia

Uma fundação para o FestRio sobreviver

Terminado o FestRio, uma questão era discutida nos bastidores: como será a terceira edição?

Pintura de Schwanke tem o prêmio maior em Minas

Luiz Henrique Schwanke, catarinense de Joinville mas com muita quilometragem artística em Curitiba, teve um ótimo ano profissional. Conquistou prêmios no Salão Paranaense no Recife, Goiânia, foi um dos 100 aceitos (entre 1.500 inscritos) no Salão Nacional e acabou ganhando o primeiro lugar no Salão de artes promovido pela Prefeitura de Belo Horizonte.

As mulheres, as cores e o piano

Sueli Zanetti, artisticamente apenas Piazzetta - seu sobrenome de solteira, faz agora sua segunda individual na Dell'Arte, inaugurada ontem, em vernisage das mais badaladas.

As mulheres, os filmes e os tapes do FestRio

Apesar de ainda estar em fase de pré-produção, o primeiro longa-metragem da cineasta paranaense Berenice Mendes - "Sem Terra" - mereceu foto e destaque na página em que a Embrafilmes anunciou os novos filmes brasileiros, na edição nº 7, de 27 de novembro, da "Folha do Festival", 15 mil exemplares, distribuídos durante o II Festival Internacional do Cinema, Vídeo e Televisão.

Mídia, o deus da propaganda

Pelo menos três professores do curso de comunicação da UFP se queixavam, dias atrás, da falta de um bom texto de análise da influência cada vez maior que a chamada mídia exerce em nosso pensamento, em nossas vida. Agora, dentro de sua coleção de livros sobre Comunicação, uma editora paulista (Summus) acaba de lançar um dos mais completos estudo a respeito: "Mídia : o segundo Deus". Publicado nos EUA há 4 anos. "Media: The Second God".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br