Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1987 - Outubro)

Bristol, memórias de um cinema

Mais uma vez o cine Bristol será inaugurado. Já houve muitas inaugurações desta casa de espetáculos - que, com o desaparecimento de tantas outras, é hoje a mais antiga sala de exibição desta mui leal Vila Nossa Senhora da Luz dos Pinhais. Já foi o Teatro Hauer, que teve como um de seus primeiros arrendatários o pioneiro Ludovico Egg - avô da cantora Stelinha Egg, que ali, como tantos milhares de curitibanos assistiram nostálgicas sessões de cinema.

"Veludo Azul" em clima noir

Vários fatores contribuíram para fazer de "Veludo Azul" - que hoje marca a reabertura do cine Bristol - um cult movie. De princípio, é o segundo sucesso de David Lynch, que conquistou a simpatia da crítica e público com sua versão à tela da peça "O Homem Elefante" mas decepcionou na mastodôntica superprodução "Dune". A filha de uma das maiores atrizes do cinema - Ingrid Bergman (1915-1982) e do grande cineasta italiano Roberto Rosselini (1906-1977) - Isabella Rosselini, tem em "Blue Velvet" a sua grande chance internacional.

Haja tempo para tantos programas

Como se não bastasse a excelente e diversificada programação da I Mostra do Cinema Latino Americano do Paraná (cine Lido I, e auditório da Biblioteca Pública, a partir de domingo), há ainda atrações especiais no circuito comercial - sem falar na Cinemateca. É aquela velha história: há meses de indigência cinematográfica e, de repente, uma torrente de opções - tornando impossível ao cinéfilo acompanhar toda a programação. Claro que a primeira fica para a Mostra Latino-Americana: são longas, curtas e médias inéditos - alguns dificilmente terão relançamento.

Solidão em Família (II)

Conflitos familiares não constituem, em absoluto, tema novo no cinema. Ao contrário, uma filmografia a respeito se estenderia por várias páginas e incluiria uma dezena de obras excelentes, cujos realizadores souberam perscrutar corações e mentes do universo familiar - condicionante de grandezas e fraquezas de todos nós, independente de limitações geográficas ou cronológicas.

Ignácio e Marcio falarão de cinema

A primeira das mesas redondas paralelas a I Mostra do Cinema Latino-Americano será sobre o roteiro e a literatura no cinema brasileiro. (Dia 6, 10h30min, auditório Brasílio Itiberê da Secretaria da Cultura). E dois escritores, hoje com seus livros editados em vários países, que exerceram a crítica cinematográfica na juventude, estarão entre os debatedores: o paulista Ignácio de Loyola Brandão e o amazonense Márcio Souza. xxx

No campo de batalha

Poucos livros foram escritos com tanto amor como o depoimento que a advogada Eny Carbonar faz dos anos que dirigiu o Presídio de Mulheres em Piraquara. Assim, "De Minha Cela Vejo Pássaros" - lançamento marcado para o dia 7, às 18h30min, na Secretaria da Cultura, representa algo muito especial para Eny, mulher admirável e estimada - que fez a melhor de todas as administrações naquela unidade da Secretaria da Justiça. xxx

Leila, pela primeira vez

A primeira exibição pública de "Leila Diniz" acontecerá em Curitiba, abrindo a I Mostra do Cinema Latino Americano (cine Lido, 4 a 10 de outubro). O diretor Luís Carlos Lacerda - o "Bigode", e a atriz Louise Cardoso estarão já hoje à tarde na cidade, falando sobre este emotivo filme sobre uma das mulheres-mitos dos anos 60. Nas próximas semanas, "Leila Diniz" participará em dois festivais competitivos: em Brasília, a partir do dia 15 e em Natal, depois do dia 17. xxx

Caçando inéditos para os festivais

Haja filmes inéditos!

No campo de batalha

Enquanto muitos viajam ao Exterior, com bolsas e até ajuda do Governo, outros funcionários se contentam com viagens pelo Brasil. João Jacob Berberi Neto, professor da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, permanecerá até o final do ano no Rio de Janeiro, fazendo curso de desenho de Comunicação na Escola de Artes Visuais. Já dois agentes fiscais da Secretaria das Finanças - Ademir Furlanetto e Regina Coeli da Silveira Schichting estão conhecendo Brasília: até o final de novembro, ali se encontram frequentando curso de administração tributária.

A mulher e o negro no livro didático

A escolha dos livros didáticos para as escolas de Curitiba a partir do próximo ano terão que cumprir rigorosamente os seguintes critérios: não discriminar o negro e a mulher. Para que esta escolha se dê, o grupo Mulher e Educação, composto pela Secretaria Municipal de Educação, Conselho Municipal da Condição Feminina e professores de 12 escolas municipais realizará, de 16 a 22 próximos, o Seminário Municipal do Livro Didático, em Curitiba.

Ziraldo autografa na Feira

O humorista Ziraldo, autor do best-seller infantil "O Menino Maluquinho", é a atração de hoje da IV Feira de Livros Cidade de Curitiba, que está funcionando na Praça Osório. Ele autografará, às 11 horas, a convite das Livrarias Curitiba, seu último lançamento para crianças "Meu Amigo o Canguru". Ziraldo, por sinal, foi ontem ao Guairinha assistir a montagem teatral de "O Menino Maluquinho", que tanto sucesso de público está alcançando.

Balcão de Ofertas

Laureado com o Prix Passion (1985) e recebido pela crítica como um dos acontecimentos literários, sai agora em português "O Livro das Noites" (Les Livres des Nuits), de Sylvie Germain, em tradução da paranaense Regina Machado (Rocco, 272 páginas, Cz$ 245,00).

Videonotas

A Globovídeo lançando um dos melhores westerns políticos dos anos 70: "Quando é Preciso Ser Homem", de Ralph Nelson, com Candice Bergen, Peter Strauss e Donald Pleasence. A história do massacre de uma tribo indígena, numa analogia ao que aconteceu no Vietnã, onde populações civis foram dizimadas por soldados americanos. xxx

New-Age, a música-alma para o final do milênio

Se não fosse o interesse dos Beatles, especialmente de George Harrison, pelo misticismo e a busca de gurus orientais, dificilmente a música reflexiva, lenta e difícil para os ouvidos ocidentais de um citarista chamado Ravi Shankar teria chegado a uma faixa tão grande de consumidores. Mas graças ao aval beatleneano, nos anos 60, não só Shankar mas inúmeros outros compositores e especialmente, instrumentistas chegaram ao Ocidente, foram consumidos e mesmo diluídos na massificação industrial sonora.

Geléia Geral

Michael Jackson merece mais apreciações em espaços que se dedicam a análises de publicidade e marketing (que tal, Silvia Dias, um approach em seu suplemento sobre comunicação, aqui mesmo em O Estado), do que em páginas musicais. Isto porque, raras vezes um produto foi tão bem embalado, em termos de consumo, do que este cantor-compositor que voltando a gravar após 5 anos, fez um lançamento mundial e simultâneo do seu novo lp ("BAD", CBS), precedido da mais intensa campanha promocional já feita. As músicas?

O fim da pirataria. O fim?

Qual o direito que alguém tem de se apropriar de uma obra de arte pertencente a uma outra, usá-la para fins comerciais, deixar de pagar impostos e somente contabilizar lucros pessoais?

Uma mostra para conhecer um pouco mais de cinema

Entre 1930/1983, foram realizados 8.287 filmes em dez países da América Latina. Deste total, quantos foram vistos no Brasil? Embora o Brasil ocupe o segundo lugar na produção: com 2.028 filmes, abaixo somente do México (3.953), praticamente ignoramos a produção cinematográfica latino-americana. Aqui, como em todos os países do Continente, a indústria americana sempre impôs as regras do jogo e muito raramente um filme argentino ou chileno apareceu nos circuitos comerciais.

Os homens que fazem a música do cinema

Qual a importância da música na trilha sonora de um filme? Como tem sido a evolução musical em nosso cinema? A questão dos direitos autorais no cinema? As relações entre compositores, instrumentistas e os realizadores?

Uma noite de "radio days"

João Lydio (Didiê) Seiller Bettega e William Sade estampavam um sorriso dentifrício após a sessão especial de "A Era do Rádio", na noite de quarta-feira, 30, no auditório Alcides Munhoz do Clube Curitibano. Identificaram durante a projeção do emotivo filme os 35 maravilhosos temas que Woody Allen e Dick Hyman escolheram para a sua trilha sonora. William Sade, 46 anos, um dos mais criativos homens do rádio e da televisão no Paraná em sua juventude - hoje um próspero empresário no setor de bijuterias - comentava:

No campo de batalha

Sérgio Biarritez (ex-Badep) fazendo das tripas coração para tentar resgatar o Teatro do Paiol do abandono a que foi relegado. Assim criou um horário alternativo - 19,30 horas - e conseguiu, afinal, um show musical atraente para o teatro que já foi o mais movimentado da cidade e hoje vive às moscas: Titane, mineira bonita, 26 anos, ali se apresentou neste fim-de-semana. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br