Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1990 - Junho)

Quem diria, Curitiba sócia da Embrafilme?

Curitiba é uma das sete capitais nas quais a extinta Embrafilme tinha escritório - aliás ainda não desativado totalmente. Portanto, o prefeito Jaime Lerner terá que em breve, dar sua opinião em torno de um projeto de lei apresentado pelo vereador carioca Francisco Milani (PCB -RJ) que propôs que a empresa fosse transferida da União para a prefeitura do Rio com a participação acionária em 51% e 49% distribuídos "pelos sete municípios onde a Embrafilme tem escritórios e pelos realizadores, funcionários e interessados". xxx

Calil, aquele que sabe segredos da sociedade

Mais do que o colunista social que à 32 anos mantém, ininterruptamente, um dos espaços de prestígio na imprensa curitibana dentro do segmento classe "a" a que se destina, Calil Simão é daquelas pessoas que, dono de uma memória privilegiada, capaz de reter os menores detalhes, conhece como poucas o outro lado da chamada high society.

Menescal, o homem da Bossa Nova, no Paiol

Há pouco mais de um ano, quando Nara Leão já se encontrava gravemente doente, a Fundação Cultural de Curitiba/Secretaria Municipal da Cultura, irresponsavelmente andou anunciando aos quatro ventos que a querida cantora aqui viria fazer uma temporada no Paiol. Nara surpreendeu-se quando soube do uso que estavam fazendo de seu nome pois, na época, já havia cancelado qualquer apresentação - embora convites não lhe faltassem. xxx

Viajantes, Viageiros

Enéas Souza Machado, técnico da Surehma, vai ganhar o Oscar em termos de quilometragem para um curso no Exterior. A partir do dia 8 de junho estará em Moscou, ali permanecendo por um ano para freqüentar um curso superior internacional de Hidrologia, a nível de pós-graduação. Não se sabe se Enéas fala russo. xxx Já os srs. Nelson Akitoshi Yto, Homero de Arruda Cordova e Lindolfo Timm, servidores da Coordenação da Receita do Estado, embarcam para a Alemanha, onde farão um "estágio de aperfeiçoamento técnico profissional". xxx

Kung Fu invade cinemas mas há o melhor Woody

Deu a louca na programação cinematográfica!

"Txai", o canto dos povos da floresta com Nascimento

Vencendo uma timidez que o caracterizava por tantos anos - "é um exercício de aproximação", explica - Milton Nascimento (Rio de Janeiro, 26/10/1942) passou os últimos dias falando com os jornalistas. Ao vivo e por telefone. Dentro de um perfeito esquema de promoção montado por Werther Brunner, diretor nacional de promoção da CBS, Milton pode falar com jornalista e radialistas a propósito de seu novo - o 25º de uma carreira hoje internacional - que desde a semana passada está nas lojas: Txai.

Milton: "Agora quero escrever os roteiros"

Tablóide - De todos os seus discos "Txai" é o mais densamente brasileiro. Até que ponto este regionalismo permitirá que platéias internacionais o absorvam, já que está previsto sua edição no Japão e Europa? Milton - Eu falo de um tema universal - a preservação do planeta. E não há nada nele mais comunicativo do que isto neste momento. Assim, independente das palavras, há o sentimento. Tablóide - O título é meio estranho, até difícil de guardar a primeira vista. O que significa?

Quem é River Phoenix

Americano de Madras, cidade do Estado de Oregon, 20 anos, River Phoenix estreou no cinema aos 15 anos em "Viagem ao Mundo dos Sonhos" (Explorers, 1985, de Joe Dante), fazendo rápida carreira: foi o Chris Chambers em "Conte Comigo" (Stand By Me, de Rob Reiner, baseado no conto "The Body", do mestre do terror Stephen King); atuou como Charlie em "A Costa do Mosquito" (1986, de Peter Weir, inédito no Brasil); ficou famoso vivendo o jovem Indiana Jones em "A Última Cruzada" e foi o jovem Jeff Grant em "Espiões Sem Rostos"(Little Nikita, 1988, de Richard Benjamim).

Um Perfil do talento do grande Sammy Davis

A morte de Sammy Davis Jr., ocorrida há apenas 15 dias, vítima de câncer, torna a inclusão do duplo "Hey There" na "Stars of Hollywood" uma homenagem póstuma. Mas quando a coleção foi idealizada, o grande enterteiner negro (New York, 8/12/1925) ainda estava vivo. Filho de uma dançarina de Vaudeville, que tinha um número com o irmão, a eles se juntou Sammy aos 5 anos - conforme "Assim era Hollywood" documentou (e o fragmento foi reaproveitado pela televisão, quando de sua morte). Artista até a medula, ganhou apelido "Mr.

Bing, Judy, Fred e outros grandes stars de Hollywood

Se Al Jolson e Dick Powell são nomes vindos dos anos 30 - e assim, passados seis décadas, naturalmente soam como arqueologia musical para os mais jovens, a coleção inclui cinco álbuns de estrelas que passaram incólumes pelas décadas de 40/50 e chegaram até, mesmo, os anos 70.

Walfrido, a juventude intelectual de 87 anos

Se o empresário Jacob Mehl, novo arrendatário do Hotel-Estância Hidromineral Dorizzon (Dorizon - PR), conseguisse convencer uma das mais admiráveis personalidades de nossa vida intelectual e social a fazer um comercial para o seu empreendimento, poderia ganhar até um prêmio. É que não há melhor demonstração de que Dorizon pode ser identificada com qualidades medicinais do que o fato de ali ter nascido, há 87 anos - em 23 de abril de 1903 - o escritor, pesquisador, homem público e sobretudo grande memória do Paraná, Walfrido Piloto.

No campo de batalha

Mais uma exposição de primeira categoria que o Goethe Institut traz a Curitiba: "Artistas Usam Fotografia" (6 a 24, Museu de Arte Contemporânea). O álbum - catálogo - que estará a venda no MAC - é um verdadeiro livro de arte. xxx Incansável Leonardo Dantas Silva, pesquisador da Cultura popular em Pernambuco, lançando um novo estudo sobre o frevo pernambucano, edição do Centro de Estudos Folclóricos da Fundação Joaquim Nabuco. Vale a pena solicitar. xxx

Agora, vamos ouvir novamente os veteranos Jolson e Powell

Alegrai-vos nostálgicos do (melhor) cinema musical americano. Uma preciosa coleção reeditando êxitos avulsos de oito grandes estrelas-vozes dos golden years de Hollywood acaba de ser colocado nas lojas graças a WEA, detentora dos direitos da ACA Records - por sua vez sucessora da Decca, que entre 1930/60 teve um elenco milionário.

Quando o olhar corta sentimentos e pecados

"Se o olho não fosse ensolarado / Não poderia avistar o sol" (Goethe,1749-1832) xxx

A universalidade de Allen e sua "Aldeia"

Na proporção em que sua obra vem adquirindo uma importância cada vez maior, deixando há muito apenas a imagem de cronista visual do american way of life, o cinema de Woody Allen passa a atingir um nível que, ao espectador deste final de século, tem que ser visto e entendido numa extensão bem mais ampla do que o simples entretenimento.

Jamil, romântico brasileiro sonhador da noite curitibana

Na faixa que dá título ao seu terceiro elepê, Jamil Hussein de certa maneira sintetiza aquilo que sempre foi o sonho de milhões de brasileiros: dinheiro, mulheres bonitas e, de certa forma, uma espécie de poder. Mas assim como em "Acertei no Milhar" (Wilson Batista/Geraldo Pereira - 1945) - que o octogenário Moreira da Silva imortalizou, no final tudo não passa de um sonho. Jamil é também um sonhador. Um curitibano - por acaso nascido em São Paulo (4 de setembro de 1952) mas que há pelo menos dez anos tenta buscar se espaço em nosso mundo artístico.

O mercado para nossos músicos

Não há registros confiáveis - e a própria secção regional da Ordem dos Músicos do Brasil não sabe informar corretamente - mas existem hoje mais de 50 casas noturnas em Curitiba que empregam músicos. Independente de apreciações estéticas e da qualidade sonora, o fato é que o mercado ampliou-se. É bem verdade que em termos de pagamento nem sempre as tabelas do sindicato são respeitadas e pela própria instabilidade do mercado são raros os músicos que podem impor os seus preços.

No campo de batalha

Ex-presidente do Ipardes, o economista Hudson Prestes dos Santos ganhou também sua viagem ao Japão, já que nos últimos anos a maioria dos técnicos deste organismo têm se beneficiado de convites para fazerem cursos e participarem de reuniões internacionais. Desde o dia 7 de maio, Hudson está em Tóquio participando do curso "Automatic Dat Processing". Retorna dia 13 de agosto, caso não estenda - por sua conta a viagem a outros países do Oriente. xxx

Filme mostra violência contra "Solidariedade"

No festival columbia, que inicia hoje no Plaza (Praça Osório, 5 sessões), o primeiro programa é um filme de raízes políticas, atualíssimo e que mereceria melhor tratamento do que ficar apenas dois dias em cartaz: "Complô contra a liberdade". Realizado pela cineasta polonesa Agnieszka Holland, exilada na França, "Le Complet" aborda um fato recente e que foi notícia internacional: a morte do padre Popieluszko, em 17 de fevereiro de 1984, na mais violenta repressão do governo polonês contra o sindicato Solidariedade.

A estranha política dos lançamentos nos cinemas

Os números caminham para uma progressão geométrica: do solitários 114 espectadores registrados no barderaux na estréia (31 de maio), no domingo, já passavam de 900 e a tendência é aumentar - já que com o ingresso mais reduzido (Cr$ 100,00) de segunda a quinta-feira, o hábito de frequentar os cinemas se encontra no meio da semana - e não mais nos finais, como acontecia antes.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br