Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1990 - Dezembro)

No campo de batalha

Na exibição de "Lápis de Cor e Salteado", de Nivaldo Lopes, no penúltimo dia do RioCine Festival, gente que conheceu muito bem o compositor Palmilor Rodrigues Ferreira (1943-1979) apareceu para se emocionar com as imagens do filme de Palito: sua ex-mulher Melba e o jornalista Jorge Segundo, autor da reportagem sobre a morte do pai-de-santo Joãozinho Goumeia, que publicada na revista "Manchete", inspirou a Lápis compor "Funeral para um Rei Negro", um de seus sambas mais conhecidos. Emanoel Cavalcanti, ator alagoano, estava na platéia e aplaudiu. xxx

A vanguarda do vídeo que se faz no mundo

Repetiu-se no IV RioCine Festival, o problema que sempre existiu na parte de vídeo das seis edições do FestRio: multiplicidade de opções. Assim como Hamilton Costa Pinto, coordenador nos FestRio, sempre procurou dar uma amostragem internacional do que se cria nesta nova área - somada às produções competitivas, em disputa, também o RioCine foi generoso em sua programação.

"Césio 137", um documento-drama da tragédia nuclear em Goiânia

Césio 137 - O Pesadelo de Goiânia" vale por mil discursos. Ao se propor a reconstituir a tragédia que abalou o Brasil - com repercussões internacionais - ocorrida há exatamente três anos, o cineasta baiano Roberto Pires se ateve a uma exata reconstituição de como os fatos se sucederam. A idéia inicial de utilizar como roteiro base o livro do jornalista ecológico Fernando Gabeira, foi abandonada pelo fato de que os personagens reais da tragédia não aceitaram certas liberdades tomadas pelo autor de "O que É Isto, Companheiro?

Em vídeo, os filmes sobre o apocalipse

Uma filmografia sobre a contaminação nuclear alcançaria, facilmente, uma centena de títulos, incluindo desde produções do tipo "B" até filmes recentes. O cinema japonês refletindo o trauma daquele país ter sofrido dois bombardeios de bombas atômicas (Hiroshima e Nagasaki, agosto de 1945), tem se voltado a esta temática, desde science fictions sobre mutações genéticas provocadas em animais até dramas reflexivos.

"Pedra Podre" faz denúncia do sonho que pode virar pesadelo

O próximo filme do cineasta baiano Roberto Pires, será uma segunda parte de "Césio 137", no qual mostrará o destino trágico das vítimas do acidente de irradiação nuclear em Goiânia.

Rita, Vania, Zélia, Cássia, Mara e Angélica em seus LPs

Como Simone não tem disco novo na praça - a CBS optou por uma montagem especial de seus maiores sucessos - Maria Bethânia ganha terreno no ranking natalino com seu novo elepê, produção cuidadosa e que teve até a carinhosa participação do mitológico João Gilberto - uma espécie de aperitivo enquanto o mais aguardado disco do ano, o seu, não desova na praça. Claro que Roberto Carlos comparece com seu tradicional produto de fim de ano, no mesmo esquema com que faz há quase 20 anos - e que garante a tranqüilidade financeira da CBS e mais alguns milhões de dólares em sua conta na Suíça.

Programas especiais de música

A Rádio Estadual do Paraná, numa promoção da Secretaria de Estado de Cultura, estará apresentando a seguinte programação, para a semana de 3 a 09/12:

Carminatti trouxe prêmios do I FestVideo de Maringá

Sintetizando em apenas 6 minutos centenas de imagens "mondo cane", numa montagem brilhante, ágil e fascinante, o videasta Beto Carminatti (Luiz Alberto Carminatti Gonçalves), catarinense de Rio das Onças, 29 anos, desde 1974 radicado em Curitiba, foi o grande vencedor do I Festival Nacional de Vídeo Amador (Maringá, 26 de novembro a 2 de dezembro).

Até o Vendramel no "Paradise" de Beto

Como não pode chegar a tempo, o jornalista mais ligado ao setor de vídeo no Brasil, Rubens Ewald Filho, 46, do "Jornal da Tarde", revista "Vídeo News" (entre dez outras publicações) e TV Record (após 11 anos de Globo) não participou do júri - embora tenha acompanhado o Festival. Do júri fizeram parte o cineasta Fernando Severo; fotógrafo e videomaker Osval Siqueira Filho (Tiomkim); fotógrafo Carlos Dreher; videomakers Sérgio Martinelli (presidente), jornalista Christiane Macedo, produtora de dois programas de vídeo na TV Gazeta (São Paulo) e este repórter.

Prêmios até para quem votou no júri popular

Troféu Figueira Branca Categoria Documentário 1º lugar: "Welcome to Paradise", 6', de Beto Carminatti (Curitiba); 2º lugar: "Profissão Perigo", 10', de Carlos Baliú (São Paulo); 3º lugar: (empatados) "Ensaio sobre a Razão", 15', de Fábio Carvalho (Belo Horizonte) e "Capoeira Angola", 13'20", de Soraia Viana (Goiânia). Categoria Ficção 1º lugar: "O Que?", de Bruno Viana (Belo Horizonte); 2º lugar: "Vida Cassete", 10', de Paulo Santiago (São Paulo); 3º lugar: "O Marinheiro", 19', de Beto Carmiatti (Curitiba). Troféus Elo's

Scherer, o pioneiro polêmico de Maringá

Rogério Recco, 33 anos, tem três razões para estar sorridente neste final de ano: "Jornal de Serviço Cocamar", quinzenário que edita há dois anos para a Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas de Maringá, recebeu o Prêmio Aberje 90, concedido pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial de São Paulo, como "jornal externo" (30 mil exemplares). "Espantalho", na área de marketing pecuário, também foi para o "Jornal da Cocamar", premiação que lhe foi comunicada na última sexta-feira, às vésperas do encerramento do I Festival de Maringá.

Gatos de Sabino no vídeo de Laís

Fernando Sabino talvez nem saiba, mas acaba de ter mais dois textos levados à tela: adaptação livre de seus deliciosos contos "O Gato Sou Eu" e "Os Mistérios Daquela Noite", o vídeo "Cachorros me Mordam", 18 minutos, da estreante Laís Bodanski, saiu do I FestVideo de Maringá com duas premiações: melhor ficção para o júri popular, e melhor roteiro.

As imagens do nosso tempo agora em vídeo

Assim como o Super 8 representou no início dos anos 70 a possibilidade de uma juventude que sonhava em fazer cinema realizar sua catarse visual na base de produções domésticas, também o vídeo, com maior facilidade econômica, oportuniza que cada sonho de cineasta que adormece nos cinéfilos seja ao menos exposta ao julgamento de espectadores - por menores que sejam as platéias atingidas.

No campo de batalha

Carlinhos Lyra e o Quarteto em Cy, convidados pelo professor Phil Young, jantaram domingo, após o show no Centro Cultural do Portão, no Baviera. Phil, 50 anos, 23 de Brasil, conheceu Lyra em Nova Iorque, em 1963, apresentado por Stan Getz e, na ocasião, aprendeu com ele as posições de "Você e Eu", no violão. Apaixonou-se pela Bossa Nova e veio morar no Brasil - inicialmente em Vitória, depois Curitiba, onde hoje tem a melhor escola de inglês.

Paulinho da Viola, a arte de ser o melhor da música

Entre tantos programas musicais que tem inundado Curitiba nas últimas semanas, um que adquire especial significado é a apresentação de Paulinho da Viola & Christina (de hoje a domingo, Paiol, 21h), com a participação de um grupo de instrumentistas do melhor nível.

Eza pilota o fogão com o gás da poesia

Livros às mãos cheias!

As viagens de Zarvos e os contos de Marilu

Créditos não faltam a Guilherme Zarvos, paulista, 33 anos, autor de "Beijo na Poeira" (edição do autor / Editora Pós-Diluviana, 140 páginas) cuja tarde de autógrafos, na Livraria Dario Velloso, o trouxe a Curitiba neste fim de semana. Filho de uma das mais participantes jornalistas cariocas dos anos 60 - Thereza Cesário Alvim, primo de Chico Buarque de Holanda, dois anos e meio de vivência no Exterior, lhe deram condições de estrear com um romance que tem impressionado a todos que se detiveram em sua leitura.

Requião, videomaker, uma esperança visual

A intimidade que o governador eleito Roberto Requião tem hoje com modernas técnicas de comunicação - um dos campos ao qual sempre se dedicou, desde os tempos de aluno do curso de jornalismo - inclui um especial interesse pelo vídeo. Tanto é que quando prefeito de Curitiba montou um ágil estúdio de produção, com câmeras e ilha de edição, no qual, pessoalmente, supervisionava várias produções publicitárias de sua administração.

O exemplo da Academia que a França vai apoiar

Na excelente administração que vem fazendo na Secretaria da Cultura de São Paulo, o jornalista Fernando Moraes preocupou-se em desenvolver um programa especial para estimular o vídeo documental. Assim foram estabelecidos projetos para que equipes de videastas saíssem com câmeras VHS, interior afora, documentando os aspectos mais diversos dos vários pontos do Estado.

Turma da Espanha

Nos anos 50/60 a cidade tinha várias "turmas". As duas mais famosas eram as da "Praça Espanha" e do "Ouro Verde" - assim chamada porque os "boys" se reuniam defronte ao antigo café que existia na Boca Maldita, esquina da Avenida Luiz Xavier, bem defronte a banca de revistas do Leal. Já a da Praça Espanha, tinha este nome porque reunia a garotada que morava em todas as ruas próximas, na grande praça, que foi urbanizada na administração de Iberê de Mattos, inaugurada em dezembro de 1956.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br