Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1991)

Will e Ray, a dupla que embalou muitos romances

O trombonista Will Bradley (Wilbur Schiwichtenberg, Newton, New Jersey, 1912-1978) e o cantor e baterista Ray McKinley (Fort Worth, Texas, 1910), conheceram-se em 1931, tocando numa das mais famosas casas dançantes de Nova Iorque, a Roseland. Nasceu uma parceria entre estes dois músicos - então integrando a Milt Shaw Orchestra, numa época em que a cada esquina havia um gênio instrumentista trabalhando.

Programas especiais de música

A Rádio Estadual do Paraná, numa promoção da Secretaria de Estado da Cultura, apresenta a seguinte programação, para a semana de 11 a 17 de março:

"Sonhos", um hino ecológico ao planeta

O fato é raro, raríssimo.

O pintor Akira

Ao lado de muitos livros sobre a vida e os filmes de Akira Kurosawa (alguns deles já editados no Brasil), nas mais sofisticadas livrarias, é possível encontrar caríssimos livros de arte em que foram reproduzidos os desenhos coloridos que Kurosawa fez para seus últimos filmes. Um dos mais belos é o álbum editado na França - que, se existir ainda, deve custar ao redor de 80 mil - em que estão reproduzidos, em cores, o "store board" de "Ran" (1985), a partir dos próprios desenhos de Akira.

Japão, Brasil e Antonina

Depois do lançamento em São Paulo, sexta-feira passada, a professora e pesquisadora Tereza Hatue de Rezende, estará autografando em Curitiba, amanhã, o livro "Ryu Mizuno - Saga Japonesa em Terras Brasileiras". A obra resgata um dos episódios da imigração, através do idealizador e concretizador das primeiras famílias que deixavam o Japão, após dois anos de pesquisa em São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, onde Antonina emerge um aspecto pouco conhecido: à margem do Rio Catatu havia uma colônia japonesa.

Livros às mancheias nesta semana literária

Livros às mancheias nesta semana de muitos lançamentos. Começa hoje com a jovem (23 anos) Jacqueline Andréa Glaser autografando seu segundo livro de poesias ("Espelhos", Edições Ipê, 66 páginas, ilustrado com fotos de Rui Arsego) na galeria de arte Banestado, às 18h30, e prossegue amanhã com um lançamento coletivo de cinco novos títulos que a Secretaria da Cultura, nesta última semana da administração René Dotti (afinal, quem será o seu sucessor? Era a pergunta que mais se fazia até domingo) fará desaguar na praça.

Os espelhos líricos da suave Jacqueline

No ano passado, quando Jacqueline Andréa Glaser lançou seu primeiro livro ("Encantamentos", Editora Lítero Técnica), aqui escrevíamos: "Entre tantas mulheres que buscam a poesia, Jacqueline tem o vigor da juventude e a saudável inquietação de buscar respostas a tantas questões. Se da multiplicidade de suas indagações resulta uma poesia desigual, há a sinceridade, a espontaneidade e o idealismo - méritos que fazem este seu livro de estréia destacar-se entre publicações de (ditas) poetisas que pouco têm a acrescentar".

Marcelo, a arte maior como ampla realização

Passados três meses de vacas magríssimas em termos de espetáculos, a temporada artística abre com opções a diferentes predileções. Marcelo Marchioro, 38 anos, o mais importante nome do teatro paranaense - de projeção nacional pela seriedade e competência de seu trabalho, tem nesta semana, o revival de duas excelentes montagens que fez no ano passado para a Fundação Teatro Guaíra: a peça "As Bruxas de Salém", de Arthur Miller (Auditório Salvador de Ferrante - até o dia 4 de abril), e a ópera "O Barbeiro de Sevilha", de Rossini (Auditório Bento Munhoz da Rocha Neto - 14 a 17).

Uma rua para o maestro Gaya

Depois de dois esplêndidos nomes da melhor MPB no último fim de semana - Johnny Alf no Teatro Paiol e Miúcha no distante Auditório Antônio Carlos Kraide (Centro Cultural do Portão), além de duas apresentações da Orquestra de Câmara de Blumenau, abrindo a temporada oficial do Auditório Maria José Andrade Vieira - novas atrações para dividir o próximo fim de semana. No Paiol, a compositora-intérprete Joyce, que só hoje, aos 40 anos - e 22 de vida artística - começa a ter um reconhecimento internacional, com temporadas e discos lançados no Japão, Itália, França e Estados Unidos.

Os advogados e a sua bissexta publicação

No final do ano passado, o Instituto dos Advogados do Paraná lançou sua "Revista", referente ao ano de 1990, com 268 páginas reunindo 17 textos entre artigos, pareceres e mesmo discursos de vários profissionais do Direito. Não deixa de ser um mérito o diretor de publicação João Carlos de Almeida, ter conseguido dar periodicidade a esta revista - especialmente porque a tradição editorial no Instituto parece ter sido a de postergar a revista.

No campo de batalha

Um destaque que deve ser feito em relação aos músicos que estiveram no Paiol, no último fim de semana, acompanhando Johnny Alf: o saxofonista Idris Boudrioun (Nancy, França, 05/01/1958), radicado há 8 anos no Brasil e que já fez dois esplêndidos elepês como solista. Junto com Idris, vieram o baterista Ivo Caldas, 43 anos e o baixista Lúcio Maciel, 34. xxx

Mafiosos e lobos nas telas

De longe, as duas grandes estréias no cinema, hoje, são "Dança com Lobos", que marca o galã Kevin Costner ("Os Intocáveis", "Sem Saída", "Campo dos Sonhos") em sua primeira direção (além de intérprete e roteirista). O filme lhe valeu 12 indicações à estatueta dourada - e o transformou no novo "golden boy" da indústria cinematográfica.

Lições de Gino para acabar a lei do cafajeste Gerson

Nenhum livro poderia ser mais oportuno: "Consumidor Versus Propaganda", de Gino Giacomini Filho (Summus Editorial, volume 40 da coleção "Novas Buscas de Comunicação", 176 páginas, Cr$ 3.520,00). Como subtítulo - e principal atração - "Contem com o Novo Código de Defesa do Consumidor Comentado".

Doenças dos músicos

Pesquisador incansável da música popular, o professor Alceu Schwaab (foto) se interessou em conseguir um exemplar da tese que o médico Renato Bonik fez sobre doenças ocupacionais dos músicos.

Biografia de Vianinha

O cada vez mais fértil campo das biografias - que tem subido nas relações dos best-sellers - estimula novas obras, especialmente encomendadas por editores de visão. Enquanto o jornalista Fernando de Moraes - trocando a Secretaria da Cultura pela da Educação, em São Paulo - não consegue concluir o seu aguardado livro sobre Assis Chateaubriand, a Nórdica lança, em abril, "Vianinha, Cúmplice da Paixão", que o editor Jorge Bernardes considera como principal título de sua programação deste primeiro semestre.

No alto do Capanema, uma rua para o Eddy

Seis meses após a trágica morte do jornalista e dramaturgo Eddy Antônio Franciosi (1930-1990), surge uma oportunidade ideal para a cidade que ele tanto amou - e viveu por mais de 35 anos - lhe prestar uma merecida homenagem. Uma rua que a Secretaria de Obras começa a abrir agora, no bairro do Capanema, em bela área ecologicamente preservada, se presta especialmente para receber o nome de Eddy. Fica a sugestão à Câmara Municipal.

Ligando bairros, uma nova área se aproxima

Mais do que a abertura de ruas de ligação entre algumas avenidas na Zona Leste da cidade, o prosseguimento da Rua Ostoja Roguski, em 700 metros, a partir do final da Rua Agamenon Magalhães / cruzamento com a Avenida Centenário - e ultrapassando a linha férrea - abrirá uma nova área da cinema, até hoje preservada pela falta de acesso. O trecho concluído - e que será oficialmente inaugurado no aniversário de Curitiba - já está permitindo alcançar a Avenida Afonso Camargo de uma forma mais rápida.

Podem ser bregas, mas garantem sobrevivência

Pela sua própria característica de ser uma fábrica formada por capital nacional e, desde 1943 - quando separou-se da antiga Columbia - ter sido obrigada a confiar antes de tudo em seu elenco verde-amarelo, a Continental possui um acervo dos mais brasileiros. Sem preconceitos de gêneros e esteticismos artísticos - ao contrário, buscando os mais diferentes gêneros e artistas - os adjetivos de "brega", "caipira", "comercial", etc. - nunca contaram na produção desta gravadora que hoje tem um grande catálogo.

Dalvan, o ex-caipira sofisticou seu canto

Um exemplo de artista rural que passa pelo processo do que se poderia chamar de rurbanismo, é Dalvan (José Gomes de Almeida), paranaense de Planaltina. Formando dupla com o goiano Duduca (José Trindade, Anápolis, 04/07/1936 - São Paulo, 17/02/1986), após terem feito sucessos de raízes rurais - e quando estavam em ótima fase - aconteceu a trágica morte de Duduca. Dalvan, então, reciclou sua carreira: deixou crescer ainda mais os cabelos, substituiu a linguagem rurbana por um rock de subúrbio, com romantismo brega, e a partir do próprio disco que chamou de "Novo Rumo" buscou o lado romântico.

Programas especiais de música

A Rádio Estadual do Paraná, numa promoção da Secretaria de Estado da Cultura, apresenta a seguinte programação para a semana de 18 a 24 de março"
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br