Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1992 - Março)

"Noções Unidas", o riso da realidade brasileira

Uma charge de Dante Mendonça na primeira página de O Estado do Paraná vale às vezes por um editorial. As colunas de Millor Fernandes no "Jornal do Brasil" e "Isto É" assustam mais aos políticos do que furiosos editoriais d' "O Estado de São Paulo". O humor sarcástico de Jô Soares - seja na revista "Veja" ou no seu talk show na SBT/TV Iguaçu, conquistam cada vez maiores faixas de audiência.

Jésus, humorista do final do século XX

Embora jornalista não fale de si - e sim dos outros - Jésus Rocha abriu uma exceção. Para que seu livro seja mais conhecido, autoentrevistou-se para passar um pouco do que pensa sobre o Brasil, o humor e a vida, neste momento em que "Noções Unidas", em textos maiores, menores, frases e cartuns, procura apresentar uma bem temperada salada russa de "noções do governo, sexo, família, ditadura, democracia, casamento, violência, corrupção, solidão, mesmo, amor, ódio, vida, morte, Brasil etc.

Professor Nilo Brandão, o homem que sabia o vernáculo

Para várias gerações de curitibanos o nome Nilo Brandão é sinônimo de bom português. Do mestre que por quase 40 anos se dedicou a ensinar o vernáculo - termo que ele sempre usava em suas aulas - e que através de um método pessoal, com simplicidade, tornava fácil, agradável e seguro o ensino de regras para se falar e escrever corretamente o idioma. Sua simplicidade didática não ficou apenas nas salas de aula, pelos muitos colégios pelos quais passou ao longo de uma vida integralmente dedicada ao ensino.

No Mistério das Vozes Búlgaras a nova e emocionante sonoridade

Lançado no final de 1992 - e praticamente só divulgado em janeiro - um dos mais interessantes discos de música vocal está passando injustamente despercebido: "Le Mystére Des Voix Bulgares" (Polygram)/CD, preço médio de Cr$ 20.000,00). Nos últimos anos, a imprensa especializada européia começou a chamar atenção para este original grupo vocal, formado exclusivamente por mulheres, que apresentam "uma insólita ordem polifônica em timbres corrosivos" como escreveu o sempre atento Antonio Gonçalves Neto, da "Folha de São Paulo".

No planeta de Milton a música do grande cantor

Para as milhares de pessoas que se extasiaram com o show promovido pela Anistia Internacional na Pedreira Paulo Leminski, promovido no início de fevereiro, e que lamentam não terem podido gravar aqueles momentos de intensa beleza sonora, há uma compensação.

Simone e o alto preço do sucesso

Quando uma cantora atinge o status de superstar aumentam as cobranças. De um lado, o público sempre a exigir novidades e uma qualidade que supere (ou ao menos empate) com o trabalho anterior; de outra margem do rio, os implacáveis números comerciais: o resultado de vendas que não pode decepcionar.

A "Memória Viva" deste nosso Brasil através de Magalhães

Com atraso de cinco anos, os curitibanos interessados em cultura e realidade nacional poderão conhecer um dos mais importantes documentos visuais já produzidos no Brasil: "Memória Viva", longa-metragem de Octávio Bezerra, 36 anos, que terá uma única exibição (quinta-feira, 12, 20h30, auditório Brasílio Itiberê, Rua Ébano Pereira, 240).

A MPB ameaçada de perder seu espaço na Secretaria

Deve-se a sensibilidade do professor Renê Dotti, quando secretário da Cultura, a criação de uma Divisão de Música Popular, que ligada à Coordenadoria de Ação Cultural, desenvolveu entre 1989/90, um bom trabalho de estímulo e difusão de nossos artistas.

Bugsy e Misery, estréias com peso de Oscar

Sorrisos dentifrícios nos exibidores com a temporada dos filmes oscarizáveis. Depois de "JFK- A Pergunta Que Não Quer Calar" de Oliver Stone (8 indicações, Cinema I) e "O Príncipe das Marés" de Barbra Streissand (7 indicações, Cine Bristol), chega o supercampeão das nominations: "Bugsy", de Barry Levinson, 10 indicações e garantia de muitas semanas lotadas no Cine Plaza onde estréia amanhã.

O Cinema e as Guerras do Paraguai

O Cine Luz inicia amanhã o seminário com mostra de filmes "O Cinema e as Guerras do Paraguai", reunindo em Curitiba o diretor da Cinemateca do Paraguai, Hugo Gamarra, o cineasta Sylvio Back, a historiadora Sílvia Oroz, o cineasta Joel Pizzini, diretor da Fundação Cultural de Mato Grosso do Sul e autor de "Caramujo Flor", curtametragem que será exibido em caráter especial.

Uma aula de Brasil com a "Memória Viva" de Aloísio

"Porque, na verdade, o verdadeiro cinema, no seu sentido completo e no seu sentido verdadeiro e íntegro, é o que os senhores fazem. É a aproximação do fenômeno em qualquer direção, na direção científica, na direção didática, na direção puramente lúdica. O documentário é, por natureza, o verdadeiro cinema". (Aloísio Magalhães, no discurso de abertura do Encontro Nacional de Documentarista Cinematográficos, em Brasília, 16 de novembro de 1981).

Biggs, o ladrão que deu certo, faz agora segurança no Paraná

Às vezes o crime compensa. Para o inglês Ronald Biggs, por exemplo! Ronald Biggs, 66 anos, mais uma vez, foi requisitado para ser o garoto-propaganda da desonestidade.

As aventuras do mais famoso ladrão inglês

Ronald Biggs tem toda razão em cobrar caro pela utilização de sua imagem. Afinal é um personagem real e vivo de uma história que poucos roteiristas poderiam imaginar. De origem humilde, Biggs era carpinteiro na Inglaterra e vivia em dificuldades financeiras. E foi isso que o levou a topar o assalto ao trem Glasgow-Londres, em 8 de agosto de 1963 - por coincidência, dia de seu 35o. aniversário - o chamado "assalto do século" - e do qual 11 homens levaram 2,5 milhões de libras.

Homenagem aos Gonzagas transferida para abril

Em abril do ano passado, Luiz Gonzaga Jr e o seu produtor, o advogado Roberto Costa, levados pelo compositor Cláudio Ribeiro ao governador Roberto Requião, acertaram a realização de um grande evento em homenagem a Luiz Gonzaga (Exu, Pe, 19/3/1912- Recife, 2/8/1989) que deveria acontecer na segunda quinzena de dezembro. Uma semana depois, a trágica morte de Gonzaguinha, em acidente rodoviário nas proximidades de Francisco Beltrão - e na qual Roberto Costa sofreu gravíssimos ferimentos (permanecendo quase dois meses em coma), sepultava também o belo projeto.

Artigo em 14.03.1992

Valencio Xavier será o próximo presidente da Associação Brasileira dos Pesquisadores de Cinema. A decisão é por unanimidade em reconhecimento ao muito que ele vem fazendo na pesquisa, preservação e divulgação do cinema brasileiro, em especial do paranaense, desde quando idealizou e fundou a Cinemateca do Museu Guido Viaro. A eleição oficial será durante o encontro informal de vários pesquisadores que virão a Curitiba para os exames dos candidatos a Escola Internacional de Cinema e Televisão de San Antônio de Los Baños, em Cuba, no próximo dia 24 de abril. xxx

Pintando o sete

Mário Barros, 41 anos, gaúcho de Santa Maria mas curitibano por opção, vem se destacando cada vez mais nas artes plásticas. Já com um bom curriculum - presença em várias coletivas e uma dezena de premiações nos últimos anos, Barros inaugura na próxima sexta-feira, 20, sua individual no hall de exposições da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. O catálogo traz uma objetiva apresentação de Laura Miranda sobre a arte de Barros, que foi também quem fez a capa do livro "Brasil antes do Descobrimento". xxx

Artigo em 15.03.1992

Apesar de ter sido convidada, com insistência, pelo prefeito Jaime Lerner para assumir a direção de Ação Cultural da fundação Cultural de Curitiba, a jornalista Antonia Eliana Chagas preferiu retornar a São Paulo, onde reside há mais de 10 anos. Ex-repórter de O Estado, Tonica fez carreira no jornalismo, passando por várias publicações nacionais e ocupou por sua competência uma importante editora da Agência O Estado, da qual saiu há poucos meses. xxx

Raulzinho do trombone, das noites curitibanas, chega agora em vídeo

No final dos anos 50, a Escola de Oficiais e Especialistas e Guardas do Ministério da Aeronáutica, no Bacacheri, teve um comandante que era um apaixonado pela música das big-bands americanas. Ao assumir o comando da unidade e ali encontrando uma banda de música que se limitava a um repertório naturalmente "oficial", o brigadeiro não teve dúvidas: decidiu que a mesma deveria ter uma melhoria artística.

O Médico e o Monstro acabou com Anthony Perkins, 60 anos

Há certos clássicos de terror que resistem ao tempo e em filmografias que ultrapassam dezenas de versões. Drácula, Jack, O Estripador Frankenteins, Lobisomem entre outros seres aterrorizantes que criados há mais de 100 anos pela imaginação de escritores europeus - somando lendas e mitos - vem merecendo constantes refilmagens, com as mais diversas interpretações. Igualmente a mais famosa obra do Robert Louis Stevenson (1850-1894).

O canto brasileiro de Viáfora, um compositor para ser ouvido

Só não ouve, porque não deixam: há uma geração de talentos maravilhosos, compositores-intérpretes que fazem música brasileiríssima do melhor nível e que são vítimas da ditadura da indústria cultural, cada vez mais selvagemente capitalista na imposição do lixo (nacional e internacional) em detrimento do que temos de melhor.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br