Aramis

Mais uma bela antologia com obras de Milton Nascimento

A abertura do mercado de CD está fazendo todas as gravadoras - e mesmo etiquetas menores - remexerem seus arquivos para produzir reedições das mais variadas. Quando dispõe de grandes nomes em seu acervo - mesmo que hoje estejam em outras fábricas - a tarefa fica facilitada. Em outros casos, acordos operacionais - pois os tycoons fonográficos sempre se entendem, possibilitam montagens especiais. É o caso agora de "Canção da América", álbum duplo com "O Melhor de Milton Nascimento", que a Polygram montou, com direção de Mayrton Bahia e um trabalho de compilação de Luiz Pereira (Lelé). Valorizado por excelente projeto gráfico e ilustração de Cristina Portela, em lançamento simultâneo em CD e vinil, o projeto divide-se em quatro fases, extraídos justamente de álbuns feitos originalmente na EMI-Odeon - gravadora em que Milton permaneceu a maior parte de sua carreira, até ser contratado - por muitos dólares - pela CBS. O álbum um abre com "Ânima", no qual se agrupam os clássicos "Coração de Estudante" (parceria com Wagner Tiso, que se tornou o Hino das Diretas), "Menestrel das Alagoas" (dedicado ao senador Teotônio Vilela), e mais uma parceria com Fernando Brandt - "Raça", "Amor de Índio" (Beto Guedes/Ronaldo Bastos) e "Portal da Cor" (parceria com Ricardo Silveira) completa esta fase. No lado dois mais duas notáveis parcerias com Brandt "Sentinela" (com a participação especial de Nana Caymmi) e "Canção da América"; depois, parcerias com Caetano Veloso (também em participação), "As Várias Pontas de uma Estrela"; Ronaldo Bastos ("Um Gosto de Sol"), e Chico Buarque ("O que Será/A Flor da Terra", tema do filme "Dona Flor", de Bruno Barreto). A face A do segundo disco - intitulado "Geraes", traduz a fase mais mineira: "Maria Maria" (c/Brandt), "Caçador de Mim" (Sérgio Magrão/Luiz Carlos Sá), "Pra Eu Parar de me Doer" (Brandt); "Certas Canções" (com Tunay) e "Paisagem na Janela" (Brandt). Finalmente "Internacional", reúne fonogramas já da Colúmbia Records, em elepês gravados nos EUA: "Ponta de Areia" (participação especial de Wayne Shorter), "Vidro e Corte" (participação do guitarrista Pat Metheney), "River Phoenix" (Carta a um jovem ator) com a participação especial de Nana Vasconcelos; "Encontros e Despedidas" (parceria com Brandt), com a participação do flautista Hubert Laws. Por último, de uma gravação feita no Brasil, "Sueño con Serpientes" do cubano Sílvio Rodrigues, com a participação de Mercedes Sosa. Nos últimos dois anos, a EMI-Odeon já havia reeditado, em caixas com elepês em vinil e também em CD, praticamente toda a obra de Milton - cujos discos na CBS estão em CD. A Polygram, entretanto, acredita que há um público direcionado, justificando assim esta produção bem acabada e já no mercado.
Texto de Aramis Millarch, publicado originalmente em:
Estado do Paraná
Almanaque
Música
4
04/08/1991

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta questão é para verificar se você é um humano e para prevenir dos spams automáticos.
Image CAPTCHA
Digite os caracteres que aparecem na imagem.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br