Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Aleixo Zonari

Aleixo Zonari

Boneco dourado influi na dança da exibição

Só ontem à tarde, a programação dos principais circuitos de exibição do Brasil, ficou definida para os próximos dias. Com a relação dos premiados na 64ª Festa do Oscar, executivos da Fama Filmes - a começar pelos irmãos Arnaldo e Aleixo Zonari - determinaram o remanejamento dos programas em exibição, refletindo os resultados das premiações.

Boca de Ouro, Spielberg e Harry & Sally

Várias - e atraentes - opções nas telas. De princípio, um fato altamente significativo: o lançamento nacional (junto com outras praças) de uma produção brasileira de um milhão de dólares: "Boca de Ouro", refilmagem que o tv-man Walter Avancini, em sua estréia como diretor de cinema em 43 anos de teatro e novelas, realizou da famosa peça de Nelson Rodrigues. O filme reúne nomes consagrados da tevê, como Tarcísio Meira, Cláudia Raia, Osmar Prado e traz, numa tentativa de mostrar que é (?) atriz, a modelo Luma de Oliveira.

"Sammy e Rose", a única estréia

Com a inteligente decisão de Aleixo Zonari em manter, por mais uma semana, em exibição, o excelente "Harry e Sally - Feitos um para o Outro" (Cine Astor) e, mesmo não tendo encontrado uma boa bilheteria, a refilmagem de "O Boca de Ouro", continuar no Cine Plaza, praticamente há apenas um lançamento nesta semana: no Cine Ritz, "Sammie & Rose", produção inglesa, 1977, direção de Stephen Frears ("Minha Querida Lavanderia", "Ligações Perigosas"), que teve seu pré-lançamento, há três anos, no FestRio e que só agora está sendo lançado no circuitão.

A mais emocionante das sessões

Já conquistou dois dos mais importantes prêmios internacionais: especial do público em Cannes, no ano passado e o Globo de Ouro, melhor filme estrangeiro exibido em 1989, concedido no final de dezembro pela Associação de Imprensa Estrangeira de Nova Iorque. Fácil, fácil, é o favorito para levar também o Oscar de melhor filme estrangeiro na noite do próximo dia 26 - embora concorra com quatro outras importantes produções (1).

Crianças encolhidas e mestre da música são boas estréias

Apesar de alguns filmes se manterem em cartaz, vindo ainda do final do ano passado - como "De Volta para o Futuro II" (Condor/Lido I), "Os Trapalhões na Terra dos Monstros" (Cines São João e Lido II, sessões da tarde) e "Os Caça Fantasmas II" (agora, em programa duplo, com "La Bamba", No Morgenau), começa a existir uma renovação na programação.

Os bons filmes que voam na programação

São curiosos os caminhos da programação cinematográfica. Enquanto uma comédia limitada, com um tema ingênuo e que se apropria, no máximo, para lançamento em dezembro, às vésperas de Natal, como "Os fantasmas contra-atacam" - idiota título que "Scrooged", o famoso conto de Charles Dickens, recebeu numa adaptação modernosa, ganhou três semanas de exibição no cine Lido 1 (só quinta-feira ali foi substituído por "U2 - Rattle and Hum"), no Astor, nas últimas três semanas, foram queimados três dos filmes mais interessantes do ano.

Estreantes vencem no Festival de Curitiba

Dois estreantes em longa-metragem, 35mm, acabaram sendo os principais vencedores do I Festival de Cinema Cidade de Curitiba: Alain Fresnot, 38 anos, com "Lua Cheia" e "Maria Letícia", 42, com "1º de Abril - Brasil" ganharam nas categorias principais: melhor filme e direção. E com isto viajarão - quando quiserem - para a República Federal da Alemanha, utilizando as passagens que a Lufthansa ofereceu como premiação principal.

Nos palcos de Curitiba, ainda um autor inédito

Em São Paulo, na última semana de novembro, houve uma feliz coincidência: a estréia de "O Amor Não Tem Sexo" coincidiu com o início da temporada de "O Olho Azul da Felicidade" (The Loot), primeiro sucesso de Joe Orton (1964) - com direção do curitibano Marcelo Marchioro.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br