Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Aquarela do Brasil

Aquarela do Brasil

Artigo em 17.01.1982

Surpreendentemente, foi um frevo ("Muito Prazer", João Paraná/Panchito Arabé) que venceu o Abre-Alas – Festival de Música de Carnaval, em sua 2a edição, encerrada na semana passada. Para os paranaenses, o frevo é um gênero praticamente desconhecido – apesar de seu calor e vibração, o que pode explicar o engano que Paraná/Panchito cometem na primeira fase de sua música ("O frevo nasceu na Bahia)

Radamés Gnatalli, um músico completo

Na próxima segunda-feira, o Brasil lembra o aniversário de nascimento do compositor Radamés Gnatalli, falecido aos 82 anos, em 3 de fevereiro de 1988. Somando-se às homenagens, publicamos aqui um resumo biográfico sobre o compositor, assinado por Valdinha Barbosa, da Associação Radamés Gnatalli.

Academia de Dança trouxe a grande Orquestra Tabajara

Anualmente, um item que se torna difícil preencher na escolha dos melhores do ano é "melhor lp de orquestra de música popular brasileira". Isto porque raramente as nossas - também raras - orquestras que se dedicam a música popular têm chances de fazerem discos. Por isto o aparecimento de um álbum como "Academia de Dança - as músicas mais tocadas nas academias de dança"(Sigla/ Som Livre) merece ser saudada auspiciosamente.

Viagem ao tempo dos boleros e tangos com Vargas e Libertad

Há algumas semanas, quando o jornalista Irlam Rocha Lima, um dos mais importantes críticos de música de Brasília, foi entrevistar para a revista de vanguarda "Bric-a-Brac" o compositor Caetano Veloso, o encontrou em sua casa, no rio de Janeiro, rodeado de gravações históricas de música popular, editadas pela etiqueta Revivendo.

Aguenta Coração

Mais de cinco mil pessoas lotarão o Teatro Guaíra nas noites de hoje e amanhã para ver de perto o "rei" Roberto Carlos. O produtor Mozart Primo havia reservado apenas a noite de hoje para o show "Coração". No entanto, os ingressos (de 20 a 10 mil cruzeiros) foram vendidos rapidamente e, na quarta-feira, Roberto Carlos, para atender o imenso fã-clube, autorizou sessão extra, que acontecerá amanhã.

O verdadeiro Eddy Duchin que o cinema americano eternizou

Podem acreditar: Eddy Duchin existiu. Na segunda metade dos anos 50, apaixonadas donzelas e românticas adolescentes achavam que o pianista era mesmo o galã Tyrone Power (1914-1958), que teve em "Melodia Imortal" uma de suas últimas aparições no cinema (faleceria dois anos após, durante a rodagem de "Salomão e a Rainha de Sabá").

Muita música instrumental de qualidade à disposição

Edgard Duvivier é um exemplo da nova geração de instrumentistas com formação internacional. Filho de família das mais tradicionais do Rio de Janeiro, estudou saxofone em Berkeley e vem desenvolvendo uma carreira segura, extremamente sofisticada. O casamento com a cantora Olívia Byghton - uma das vozes mais perfeitas surgidas nos últimos anos - aproximou dois seres de extrema sensibilidade.

Agora, os melhores do jazz em edições laser

Se faz lançamentos na área mais popular - como o álbum The Cleebanoff Strings & Orquestra ("Besame Mucho"), com 20 hits de várias épocas, abre uma série para Blues com diferentes intérpretes - que merecerá registro posterior - o forte da Imagem, além dos clássicos, são os discos de jazz. Desde a música das big bands - como a de Harry James, (1916-1983), com seus 14 standards mais conhecidos a partir do prefixo "Ciribiribin" - ao raro álbum com Chet Baker (1929-1988) cantando - o catálogo da Imagem é rico e diversificado.

Fantasmas radiofônicos que assustavam o Brasil

A bibliografia do rádio brasileiro, ainda reduzida e insuficiente, ganhou com a edição de "No Tempo de Almirante" de Sérgio Cabral, uma importantíssima contribuição.

As revelações de um mestre da pesquisa

A leitura de "História Social da Música Popular Brasileira", de José Ramos Tinhorão, é indispensável para quem pretenda ter uma visão maior da evolução de nossa música. Concorde-se ou não com os pontos de vista do autor, a seriedade de seu trabalho e a riqueza de informações envolvem o leitor reflexionar sobre aspectos até então passados desapercebidos. Embora basicamente seja um ensaio, o livro é agradável, objetivo e tem várias revelações - muitas das quais, modestamente, Tinhorão reserva para as 48 páginas finais.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br