Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Ary Barroso

Ary Barroso

No campo de batalha

Afinal, uma programação que justifica ir ao Paiol no próximo fim de semana: dias 27 e 28 ali se apresenta novamente o duo Sebastião Tapajós (violão) e Gilson Peranzzetta (teclados), que, no ano passado, fizeram um belíssimo álbum na Visom. Tapajós, que é curitibano de adoção tantos seus amigos na terra, embora venha com Peranzzetta, já está trabalhando com um novo parceiro: o percussionista João Cortez. xxx

Em busca dos tesouros perdidos de nossa MPB

Ao viajar na segunda-feira, 8, para o Rio de Janeiro, o colecionador Leon Barg tinha razões de sobra para exibir o seu dentifrício sorriso. É que no último fim de semana recebeu uma carta de uma das filhas de Ary Barroso (1903-1964), agradecendo pelo seu interesse em incluir nas reedições da série Revivendo, muitas composições de seu pai - especialmente aquelas que nunca antes haviam saído em elepês - e que dentro de sua imensa obra permanecem esquecidas.

Atenção, afinal temos a nossa Orquestra Brasileira de Música

Graças ao generoso patrocínio do Bamerindus, o Som da Gente, etiqueta que há oito anos se dedica a valorizar a música instrumental brasileira pôde realizar, nos dias 10 e 11 de março, no Town Hall, em Nova Iorque, a maior promoção já feita para a divulgação da música instrumental brasileira nos Estados Unidos.

Ataulfo, 1909-1969: uma dupla efeméride

Uma dupla efeméride, que merece comemorações: quinta-feira, 20, foi o 20º aniversário da morte de Ataulfo Alves, que completaria 80 anos no dia 2 de maio. Mineiro de Miraí, na Zona da Mata, no Rio de Janeiro a partir de 1926, origens humildes, seria - como outro mineiro, Ary Barroso (Ubá, 7/11/1903 - RJ, 9/2/1964), um dos grandes compositores populares, enriquecendo o samba com aproximadamente 700 músicas compostas em 35 anos de atividade.

Cronologia

Marcus Vinícius Cruz de Mello Moraes. 1913 - Nasce, em 19 de outubro, na Rua Lopes Quintas, Gávea - Rio de Janeiro. Filho de Clodoaldo Pereira da Silva Moraes e Lydia Cruz de Moraes. São seus avós paternos Antero Pereira da Silva Moraes, e maternos Antônio Burlamaqui dos Santos Cruz e Celestina dos Santos (Cestinha). 1916 - A família muda-se para a casa dos avós paternos, na Rua Voluntários da Pátria, em Botafogo, onde nasce sua irmã Laetitta. 1917 - Vinícius e Lygia, sua irmã mais velha, começam a freqüentar a escola primária Afrânio Peixoto.

Hermínio e os seus três novos livros

Poeta, letrista, produtor de discos e shows antológicos, idealizador de grandes projetos voltados a preservar e difundir a cultura brasileira (Seis e Meia, Pixinguinha, Ary Barroso, Projeto Lúcio Rangel de Monografias etc.), Hermínio Bello de Carvalho após a publicação de dois livros enfeixando textos avulsos que constituem uma espécie de panorâmica de sua vida cultural, tem um projeto maior: um romance, "a primeira tentativa que farei no gênero".

A noite da luz musical

Quem foi, assistiu a um recital histórico, emocionante, único. Quem não foi terá outra chance. Segunda-feira, aquilo que poderia ser apenas um prosaico lançamento de um livro sobre MPB transformou-se num evento único, graças a sensibilidade e competência com que Hermínio Bello de Carvalho sabe fazer as coisas.

A música de Carnaval (IV) - As homenagens que as escolas irão prestar

Ser tema para uma escola de samba é a consagração popular para qualquer pessoa - seja qual for a atividade que exerça. Assim, com toda razão, Mário Vendramel, 60 anos, veterano radialista e comunicador de televisão, tem razões de estar sorrindo bastante: domingo, a escola de samba Garotos Unidos abre o desfile na Marechal Deodoro, do grupo A, com o samba-de-enredo "Mário Vendramel, do Rádio à Televisão - 38 Anos de Comunicação", samba de Alaelson Venceslau, o Laé, presidente da escola.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br