Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Ary Barroso

Ary Barroso

De Nelson a Karan

NELSON GONÇALVES - Poucos, muitos poucos, cantores tem permanecido tão fiéis a uma gravadora como Nelson (na verdade Antônio) Gonçalves, paulista do dia 22 de junho de 1920. Não só fiel mas lucrativo, pois esse cantor romântico, que antes de ser cantor foi boxeur e garção, é, há pelo menos 20 anos, um dos artistas de maior prestígio popular. O tempo passa e Nelson permanece, com um repertório que durante anos foi caracterizado pelas músicas de Adelino Moreira, de quem foi durante tempo uma espécie de intérprete exclusivo.

Produção Tapajós em ação

Paulo Tapajós, 63 anos, de 1936 a 1975 um dos principais executivos da Rádio Nacional, onde exerceu as mais diferentes funções, modinheiro (o último grande cultor deste estilo no Brasil), produtor fonográfico e agora presidente da Associação de Pesquisadores da MPB continua em grande atividade. Enquanto vê seus 3 filhos obterem sucesso na música - Maurício como compositor, Paulinho como produtor fonográfico e Dorinha, no Quarteto em Cy. Paulo divide-se entre a produção de especiais sôbre MPB na série "Projeto Minerva", escreve contracapas de discos e ainda produz discos.

Em todas as rotações... Em todas as direções...

1- Uma boa oportunidade para comparar dois estilos, de uma mesma raiz: a Orquestra Armonial, sob direção do maestro (e violinista cussy de Almeida) no lp "Gavião", terceiro que faz na Continental, com composições de Cussy, Jarbas Maciel, José Tavares de Amorim, Benny Workoff e Guerra Peixe. O Quinteto Armonial ("Aralume", Discos Marcus Pereira), temas próprios ou recolhidos do folclore, por Antônio José Madureira. Os dois grupos o - o quinteto e a orquestra, são do Recife e tem suas origens no Movimento Armorial, idealizado pelos romancistas e teatrólogos Ariano Suassuna.

A importância das reedições (Chico, Nelson, Jacob e outros)

Quando insistimos na importância das reedições, o fazemos pela consciência que temos de que somente se conhecendo e divulgando [os] importantes períodos de nossa música popular poderemos despertar em novas faixas de público (e gerações), o entusiasmo, o amor, o respeito pelos nossos compositores, intérpretes e instrumentistas - durante anos esquecidos e anônimos em seus trabalhos rotineiros em rádios, estúdios, e orquestras de bailes - mas altamente criativos e que só agora, mercê do trabalho de pesquisadores como Ricardo Cravo Albim, J. L.

O Evento musical de 74

Há exatamete um ano, em nossa página dominical de O ESTADO, famos o primeiro jornalista brasileiro a publicar, em detalhes, o projeto do record-man Aloysio de Oliveira , então recém-chegado dos Estaduso nidos, onde havia permanecido quase 10 anos em lançar uma nova etiqueta: O Evento. Ex-integrante do grupo Bando da Lua (1929-1955) - o que obrigou a sua permanência nos Estados Unidos durante muitos anos, narrador de documentários e filmes dos estúdios de Walt Disney e, sobretudo, o mais experiente e caprichoso produtor artístico brasileiro.

Salada Russa

ASTOR PIAZZOLLA E AMELITA BALTAR Mais dois grandes ídolos internacionais vêm enriquecer o Cast da RGE-Fermata: Astor Piazzola e Amelita Baltar. Piazzolla já está com seu LP (gravado na Itália) pronto e dentro de poucos dias estará sendo distribuído no Brasil. Este [álbum] de estréia na RGE/Fermata obteve o cobiçado "Prêmio Della Crítica Discográfica", como o melhor disco de música instrumental. Amelita Baltar: igualmente já com o LP "na boca do forno".

Artigo em 20.11.1974

Duas das melhores cantoras brasileiras estão com novos discos na praça desde ontem: Elis Regina e Maria Bethania.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br