Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Assembléia Legislativa

Assembléia Legislativa

Fundo de cinema, a lei que o município está sabotando

Há exatamente cinco anos - 13 de agosto de 1985 - o então presidente da Câmara de Curitiba, Horácio Rodrigues, assinava o documento pela qual era aprovada a lei nº 6.692/85, instituindo o Fundo Municipal de Cinema e dava outras providências.

Vozes de Montenegro homenagearam Glauco

Possivelmente o último trabalho profissional que o jornalista Eddy Antônio Franciosi (1930-1990) desenvolveu foi a preparação da programação, redação de convites, placas etc., para a homenagem a um de seus grandes amigos, o poeta, escritor e diretor Glauco Flores de Sá Brito.

Astrid, a Joana que deixou nosso teatro

Por onde andará Astrid Rudneger, aquela jovem atriz que, no verão de 1958, emocionava os espectadores do auditório Salvador de Ferrante, interpretando com garra e amor a Donzela de Orleans em "Seu Nome Era Joana", uma das primeiras peças escritas pelo jovem Eddy Antônio Franciosi?

Os animais sem teto desta nossa Capital

Durante mais de 30 anos, a única referência pública que se tinha da Sociedade Protetora dos Animais era uma placa azul pregada numa das paredes das lojas Edith, na Praça Generoso Marques. Embora colocada discretamente naquele estabelecimento comercial rumeno-curitibano Virgilio Terner era um apelo surdo para uma colaboração - que nunca existiu - ao idealístico trabalho que um grupo de pessoas há mais de 40 anos faz para combater o maltrato aos animais.

No campo de batalha

Apesar da produção de livros de arte cair mais de 80% com o fim da Lei Sarney, alguns projetos conseguem se concretizar. É o caso de "Volpi: 90 anos", com texto do crítico Jacob Klintowitz e projeto editorial da Ladi Biezus (256 páginas, circulação dirigida). Biezus, 56, diretor da Logos Engenharia, pretendia lançá-lo através de sua firma mas com as reduções financeiras teve que passar o projeto para o Sesc. O livro traz 240 reproduções cobrindo 75 anos de produção do artista. O texto de Klintowitz ocupa apenas seis páginas da edição. xxx

No campo de batalha

Desde segunda-feira, quando estreou "New York por Will Eisner" (auditório Salvador de Ferrante, 21h, até o final do mês), 3% da renda será depositada em favor do Will Eisner Studios, em Nova York. Antecipadamente, a utilização de duas de suas "novelas gráficas" e mais a imagem do mais famosos de seus personagens - já lhe rendeu Cr$ 23.570,00, - convertidos em dólares, naturalmente. xxx O governo do Paraná investiu Cr$ 3 milhões para ajudar na aquisição de uma área em Ibaiti onde a Associação Ambiental vai criar o Parque Estadual Mina Velha e Arco da Grua. xxx

No campo de batalha

Nos registros feitos sobre a festa de entrega do 3º Prêmio Sharp de Música e sobre o espetáculo em homenagem a Maysa, aqui publicados nas edições de domingo (19) e terça-feira (21), aconteceram, além dos já naturais erros de composição e montagem, duas falhas nossas. O prêmio de melhor tema instrumental, concedido a "Amo" (Laércio de Freitas) foi recebido por Chiquinho do Acordeon - o gaúcho Romeu Seibel, 62 anos - e não por Francisco Duarte, o maestro Chiquinho, também um dos grandes talentos instrumentais do Brasil.

Walter Costa, o candidato que a política assassinou

Uma pauta para a editoria política seria a de levantar os homens que poderiam ter chegado ao governo do Paraná - ou ao menos influenciado em funções mais elevadas - se fatalidades, imprevistos e choques de percurso não os tivessem retirado, muitas vezes dramaticamente, das rotas políticas. Walter Guimarães da Costa (São Jerônimo da Serra, Paraná, 14/10/1922 - 31/12/1957) é um exemplo.

O bom trabalho de Luís Carlos

O vereador Luís Carlos Martins está fazendo algo que deveria ser normal de todos aqueles que buscam votos para cargos eletivos e se esquecem de prestar contas do que fazem para merecer salários de marajás: está distribuindo um objetivo relatório de suas atividades parlamentares no ano passado.

Com Martin, os engenheiros querem reforma na política

As previsões (otimistas) indicam que haverá de 600 a 900 candidatos sonhando com uma vaga na Assembléia na próxima legislatura - não apenas por idealismo, mas considerando que a remuneração, em 1991, já terá passado dos Ncz$ 500 mil - a não ser que os sonhos coloridos de conter a inflação se transformem em realidade. Pessimistas dizem que os candidatos passarão da casa dos mil - só no âmbito do Legislativo estadual - e uma campanha ficará na casa dos muitos dígitos.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br