Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Assis Chateaubriand

Assis Chateaubriand

As talentosas crianças dos tempos do Clube Mirim-M-5

Houve uma época em que as crianças não eram obrigadas a se submeter a tirania de uma televisão que impõe olho abaixo a cultura Xuxa & similares. Sim, houve uma época em que as próprias crianças - libertas de um colonialismo consumista e culturalmente alienado com o marketing dos nossos dias impõe de uma forma selvagem - tinham oportunidade de mostrar criatividade e talento expontâneo.

Os anos dourados dos Associados no Paraná

O prédio de 6.700 metros quadrados construído há mais de 20 anos no bairro do Pilarzinho para sede das empresas Associadas foi uma espécie de canto-do-cisne da era de prosperidade do império de Assis Chateaubriand (1891-1968) no Paraná.

A queda do império de Chateaubriand

A queda do império Associado a partir da morte de Assis Chateaubriand com a entrega do comando da rede nacional dos "condomínios" divididos por disputas internas, de poder e interesses imensos, se refletiria no melancólico final da empresa no Paraná.

Os bons tempos da Clube, Guairacá, Marumby, Colombo e outros prefixos

A nossa pioneira "Clube" - a PRB-2, Radio Clube Paranaense, cujas primeiras transmissões foram ao ar numa fria noite de 27 de junho de 1924 - num pioneirismo de um grupo de paranaenses que colocou a novidade praticamente ao mesmo tempo que acontecia o início efetivo das rádios do Rio de Janeiro e Pernambuco - a próxima Rádio Exclusiva, a 13ª FM que entrará no ar dentro de seis semanas (elevando o número de rádios para 26, somente em Curitiba) muita coisa mudou.

Lincoln Center nos projetos de Lerner

O prefeito Jaime Lerner regressou de sua última circulada internacional, desta vez à Escandinávia (em Oslo, participou de uma reunião preparatória da badalada Eco 92, no Brasil) como novos projetos repletos de imagens oniricamente coloridas. Ambos tendo a sua querida Nova York - metrópole do coração que sempre inclui no roteiro de suas viagens - como ponto de referência e desta vez concentrado num dos principais espaços culturais da Big Apple - o Lincoln Center.

Biografia de Vianinha

O cada vez mais fértil campo das biografias - que tem subido nas relações dos best-sellers - estimula novas obras, especialmente encomendadas por editores de visão. Enquanto o jornalista Fernando de Moraes - trocando a Secretaria da Cultura pela da Educação, em São Paulo - não consegue concluir o seu aguardado livro sobre Assis Chateaubriand, a Nórdica lança, em abril, "Vianinha, Cúmplice da Paixão", que o editor Jorge Bernardes considera como principal título de sua programação deste primeiro semestre.

Imagens coloridas e turísticas de Manzon

Nos anos 50/60, enquanto as platéias dos cinemas recebiam com vaias e irritação os cine-jornais da "Amplavisão" do ítalo-paulista Primo Carbonari ("Conheça primeiro o que é teu, para depois conheceres o que é dos outros..."), os documentários coloridos com a marca do franco-brasileiro Jean Manzon eram aplaudidos. Mesmo com patrocínios diretos, os curtas de Manzon documentavam de forma agradável grandes empresas, obras (especialmente do setor energético), trazendo imagens que constituem hoje um acervo das transformações no Brasil.

Em Curitiba, as imagens chegaram dez anos depois

A televisão chegou em Curitiba com um atraso de dez anos, e 42 dias. Se as primeiras imagens da televisão brasileira foram ao ar, da TV-Tupi em São Paulo, exatamente no dia 18 de setembro de 1950, em Curitiba a primeira estação de televisão - a Emissora Paranaense foi inaugurada em 30 de outubro de 1960 - numa operação corre-corre determinada pelo advogado e empresário Nagib Chede, que não desejava perder para a então toda-poderosa Rede Associada, a condição de pioneiro.

O dia que o Velho Capitão trouxe a televisão ao Brasil

Há exatamente 40 anos, quando no dia 18 de setembro de 1950, o lendário Assis Chateaubriand, inaugurava oficialmente a primeira estação de televisão do Brasil - a TV Tupi-Difusora de São Paulo, PRF-3, os Diários e Emissoras Associadas que o Velho Capitão comandava com mão de ferro compunham uma vasta rede de empresas jornalísticas, cuja montagem se iniciara 26 anos antes, quando adquiriu "O Jornal" (do Rio de Janeiro) com auxílio de Epitácio Pessoa, Alfredo Pujof e Virgílio de Melo Franco, sob o beneplácito do presidente Artur Bernardes. Começou firme e solidamente.

No campo de batalha

Houve época em que os prefeitos adoravam instalar fontes luminosas em suas cidades. Agora criar fundações culturais virou modismo e instituições aparecem em comunidades pequenas, ainda sem infra-estruturas para tanto. Uma das mais recentes fundações municipais de cultura é a de Araruna, que tem uma senhora - dona Gleise Mari Horn Buzuco - na presidência. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br