Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Biblioteca Pública do Paraná

Biblioteca Pública do Paraná

Munhoz da Rocha, a cidade rural que virou fantasma

Uma cidade de características especiais, integrada à zona rural, planejada em forma de curvas de níveis, numa região totalmente nova. Toda uma arquitetura especial, valorizando material econômico, com características especiais e, principalmente, voltando-se à integração do homem à terra. Sonho de algum arquiteto-ecologista pensando neste final de milênio, no qual a qualidade de vida urbana decai cada vez mais e, rousseanamente, há uma busca do paraíso perdido entre o ver e a natureza? Nada disso. Em absoluto.

Médico, político, prefeito e humanista: um homem estimado

Para entender a importância de Erasto Gaertner como prefeito de Curitiba, nomeado por seu amigo e correligionário Bento Munhoz da Rocha Neto, tomando posse em 3 de outubro de 1951, é preciso viajar à cidade de quatro décadas passadas.

No campo de batalha

O promotor Joaquim Tramujas, que virou notícia nacional com a polêmica em torno do livreto "Passe a Cuia, Tchê!" - no qual defendeu a tese de que o chimarrão foi levado ao Rio Grande do Sul pelos paranaenses - vai trocar a erva mate pelo scotch: passará os próximos seis meses em Londres. xxx

Chamas da vingança contra a burocracia dos governos

Na próxima semana, o atento secretário Mário Pereira, da Administração, deverá determinar ao Decom, que, afinal, sejam feitas as obras que há muito vêm sendo solicitadas pelo Corpo de Bombeiros na Biblioteca Pública do Paraná: troca de hidrantes e revisão do sistema de água e energia elétrica. Afinal, após mais uma tragédia em termos de perda do patrimônio público - o incêndio do Departamento de Arquivo e Microfilmagem do Estado - está na hora de vencer a burocracia e impedir que o pouco que resta de nossa memória seja destruído.

No campo de batalha

A bibliotecária Aline Medeiros, uma das proprietárias da Ype Amarelo - livraria que em poucos meses já conquistou uma ampla faixa de clientes, graças a competência de seus donos e funcionários - recebeu ontem o compositor e agora escritor infantil Sérgio Ricardo. O autor da música de "Flics" (ballet em cartaz no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto) voltará em breve a Curitiba especialmente para uma manhã de autógrafos de seu primeiro livro infantil - "O Elefante Dorminhoco", na Ype Amarelo. xxx

No campo de batalha

Já são tantos, que puderam até formar uma entidade de classe: com sede na Rua XV de Novembro, 275, 8º andar, salas 802/805, foi criado o sindicato dos Astrólogos Paranaenses. Entre os seus objetivos: reconhecer, cultivar e divulgar a Astrologia, definir perante as autoridades e o público a competência do astrólogo, também chamado "cosmo-analista". xxx

Dona Luciana, os caminhos da vida, coração e conhecimento

Se o publicitário Sérgio Mercer, dono da Parceria e ex-presidente da Fundação Cultural de Curitiba, possui um troféu literário de Umberto Eco - a sua gravata de lã, vermelha, por ele permutada durante um etílico jantar no Warsovia, quando o autor de "O Nome da Rosa", aqui esteve há alguns anos (conforme contamos recentemente), a professora e bibliotecária aposentada Luciana Sammut Rosenthal, ganhou um presente ainda mais especial do escritor: uma edição em italiano de "O Pêndulo de Foucault", com uma carinhosa dedicatória.

Chacina de Carambeí a espera de nosso Capote

Se existisse no Brasil o interesse de uma grande editora financiar um jornalismo de investigação, pelo menos dois conhecidos profissionais de renome nacional já estariam há duas semanas no Paraná para mergulhar a fundo no crime mais violento ocorrido nos últimos anos: a chamada chacina de Carambeí, ocorrida na terça-feira de Carnaval, 7 de fevereiro, em Carambeí, na qual três pessoas foram assassinadas, enquanto quatro outras sobreviveram com gravíssimos ferimentos.

Surge embrião de novo centro de cultura

Se alguém perguntar para um grupo quem conhece o ICBA, é provábel que ninguém se manifeste. Se, ainda, perguntar quem já ouviu falar no Instituto Cultural Brasil-Germânico poucos vão responder. Agora, se a pergunta for sobre o Goethe, com certeza a reação será bem mais intensa. A instituição foi criada pelo governo da Alemanha Ocidental para difundir a cultura germânica pelo mundo. Hoje existem 149 unidades espalhadas por 65 países. E, em Curitiba, o Goethe-Institut tem desenvolvido ótimos trabalhos, sozinho ou associado a instituições brasileiras.

No campo de batalha

O cineasta e ecologista Frederico Fullgraf não pára. Acaba de chegar de longa viagem a Alemanha, com retorno via Nova Iorque, trazendo muitas novidades. Uma delas é um embasamento internacional para a recém criada Fundação Terra de Pesquisas Ecológicas e Educação Ambiental. Para expor os projetos desta nova instituição - mais do que simples preservacionista, também operacionalmente ativa em vários setores - Fullgraf chega a Curitiba na próxima semana. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br