Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Blue Note

Blue Note

Afinal, Shirley Horn chega com seu jazz em nosso País

Ao lado de nomes consagrados - Ella Fitzgerald, Sarah Vaughan, Billie Holliday e alguns outros que regularmente têm seus álbuns editados no Brasil (de Lady Day, a Sony está lançando a série Quintaessencial, já com oito volumes em vinil/CD/cromo) - há toda uma geração de excelentes cantoras de jazz que nunca tiveram uma única faixa editada entre nós. Quem por exemplo já ouviu Nellie Lutcher, 76 anos, pianista e cantora, mais de 50 de carreira e que vive há anos em Los Angeles?

Vencedores da "Down Beat" ainda inéditos

O jazz poll da "Down Beat" é sempre um bom indicativo de como está o mundo jazzístico. Portanto, com base no referendum divulgado na edição de dezembro último (os raros exemplares desta revista americana chegaram apenas há três semanas) mostra o que há de melhor na área musical ("Down Beat", abriu seus espaços também para novos gêneros, como pop/rock, blues/soul e até Rap). Assim, considerou os melhores álbuns editados em 1990 nos EUA os seguintes:

Blue Note colore sonoramente as nossas noites jazzísticas

Fundado há 3 anos (junho de 1987) o Blue Note Jazz Clube andou meio capengando nos últimos tempos, mas agora, com um novo presidente, o colecionador Caetano Cerqueira Rodrigues, 54 anos, dono do maior acervo em CD em jazz no Paraná (e entre as maiores do País) - e para cuja concretização aplicou alguns milhares de dólares de sua grande fortuna - novos tempos deverão marcar a entidade.

No campo de batalha

O pintor João Ozório Brzezinski em temporada francesa. Maior amigo de Juarez Machado, desde os dias que o artista catarinense chegou, anonimamente em Curitiba, no início dos anos 60, Brzezinski, 49 anos, passou 30 dias na mansão estudo que Juarez possue em Paris. Algumas viagens a países vizinhos e principalmente centenas de quilômetros nos museus e galerias nos 30 dias que o bom João ficará no Exterior. xxx

Nova-iorquina Eliana em seus tempos de Paraná

Raros entre os que há dez anos acompanharam as diferentes etapas do evento "Paraná de Todos os Cantos", promoção da então recém instalada Secretaria Estadual da Cultura destinada a revelar talentos musicais, deteve-se para apreciar, com a devida atenção, a bonita pianista que Heitorzinho Valente, coordenador do evento, havia escolhido para integrar o grupo instrumental que, em fins de semana, por quase um semestre, viajou pelo Interior do Paraná até chegar a finalíssima em Curitiba, acompanhando vozes muitas vezes desafinadas em canções medíocres.

O melhor jazz com Ella e as outras belas vozes

Ouvir o bom jazz deixou de ser privilégio aos que possuíam condições de adquirir os cada vez mais caros discos importados.

Roteiros jazzísticos para quem tenha muitos dólares

Sonhar não custa nada. E quando quem sonha possui alguma reserva em cédulas verdes, o sonho pode se tornar realidade. Por isto mesmo, uma operadora de turismo dirigida por pessoas de imaginação, a SIS, está criando programas especiais para grupos com gostos afins, que desejam utilizar bem seus dólares e dias de folga. E os fãs de jazz estão sendo privilegiados.

Jazz after hours foi o melhor de New Orleans

Só quem não tinha compromissos na manhã de sábado e pode ficar até às 5h30 no Clube Curitibano é que ouviu/viu, realmente, o bom jazz. Afinal, como sempre acontece em encontros deste tipo, o "Jazz After Hours" que tem a maior espontaneidade, com os instrumentistas fazendo aquilo que sabem: a improvisação e criação sonora up to date, no momento.

E para alegria dos quarentões, temos Genésio e sua orquestra!

Aposentado há seis anos, sem qualquer plano de voltar a empunhar as baquetas, o convite foi irrecusável: montar uma orquestra com os melhores músicos que encontrasse, direito de ter um side man para substituí-lo em mais de 50% do tempo e, principalmente, excelente remuneração. Pediu tempo para o hoteleiro Alceu Vezozzo, conversou com a esposa (a quem havia prometido não voltar mais à música) fez cálculos e acabou topando. Assim, quando o Bourbon Tower Hotel inaugurar seu suntuoso night club, entre maio/junho, a primeira atração será Genésio e sua orquestra.

Nas reprises, o melhor da música ajustada às imagens

Apenas uma estréia nesta terceira semana de 1989: "Idolatrada", produção nacional de pouquíssimas referências, dirigida pelo desconhecido Paulo Augusto Gomes, com Denise Bandeira, Mário Lago e Eduardo Machado (Cine Groff, 5 sessões). No mais, a programação nas telas continua a mesma da semana passada - mas com opções interessantes. Especialmente filmes que se identificam por excelentes trilhas sonoras - que aqui são registrados.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br