Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Caetano Veloso

Caetano Veloso

Lupe, em disco e livro

Os dez anos da morte de Lupicínio Rodrigues (1914 -1974) não tiveram as comemorações merecidas. A data - 27 de agosto - deveria ter sido lembrada com maior vigor, já que Lupe está entre os melhores compositores populares de todos os tempos. Entretanto, para que não passasse totalmente desapercebido a efeméride, dois lançamentos: um disco ("Grandes Mestres - Lupicínio Rodrigues", Polygram/SBT) e o livro de Mario Goulart, dentro do pacote inaugural da coleção "Esses Gaúchos" (Tchê Editora de Bombacha/Rede Brasil Sul, 102 páginas, Cr$ 5.000,00).

Na canção de Caetano o protesto do poder

ACUSADO muitas vezes de ter se afastado da política e mesmo compactuado, em seu silêncio, com o sistema, o baiano Caetano Veloso dá uma resposta significativa em "Podres Poderes" - faixa que deve puxar o seu novo elepê, e que em gravação mix, já vem sendo divulgada intensamente nas AMs e FMs. Uma canção que ao lado de seu vigor instrumental, tem uma letra entre o crítico e o pessimismo, com muitas indagações. E que, com toda razão, identificar-se-á com a ampla faixa de público que há duas décadas se mantém fiel ao compositor baiano.

No campo de batalha

O empresário Celso Sabóia adquiriu já há três meses o hotel Climax, vizinho de seu Ouro Verde na Rua Dr. Murici. Ao mesmo tempo que deixa de ter um feroz concorrente, passou a operacionalizar melhor a fatia de mercado que atende. Sua bela esposa, a elegante Wilma Sabóia, com a experiência da hotelaria e seu bom relacionamento na cidade, vai em breve partir para uma experiência muito especial: operar uma agência de turismo, a partir da própria organização hoteleira.

Trilhas sonoras

JOHN WILLIANS se firmou na segunda metade dos anos 70 como o compositor favorito das trilhas sonoras para filmes monumentais. Ajustando-se aos novos tipos de produção e criando sound tracks de impacto, Willians colecionou indicações ao Oscar - e já obteve três troféus, além de produzir as bandas para os mais bem sucedidos filmes especialmente os realizados por seus amigos Steven Spielberg ("Tubarão", "Encontros Imediatos do Terceiro Grau", "Caçadores da Arca Perdida") e George Lucas.

Os paranaenses e o Paraná em Brasília

BRASÍLIA, Outubro - Piraquara virou Serra Dourada - uma cidade imaginária, mas próxima a Curitiba (fotografada na beleza de sua Rua das Flores e Praça Garibaldi) para algumas seqüências de << Janete>. Com este filme polêmico e que levou 3 meses para conseguir a liberação da censura, foi aberto, na segunda-feira, 24, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em sua XVI edição.

Veja o filme e guarde a música.

Veja o filme e guarde a música, já que as imagens pelo videocassete são ainda privilégio de uma minoria que dispõe de Cr$ 200 mil para comprá-los e Cr$ 10 mil para cada cópia de filme. Entre as trilhas sonoras colocadas no mercado, nas últimas semanas, eis cinco indicações.

Instrumentistas

É interessante observar-se a aculturação de certos músicos compositores em relação aos Estados unidos. Sérgio Mendes e Eumir Deodato são os maiores exemplos de brasileiros que deram certo na América, fazendo fama e fortuna mas, em compensação, abrindo mão de valores nacionais, para uma integração ao gosto daquele público. Em compensação, há os criadores que mesmo impressionando aos americanos, com chances de ali vencerem, preferem manter-se fiéis ao Brasil.

Ressuscitando

Poucos lançamentos fonograficos foram tão promovidos como o de Cauby Peixoto, pela Som Livre: comemorando 25 anos de carreira do interprete de "Conceição", Guto Graça Mello convocou Luís Carlos Maciel e Tarso de castro para escolher um repertório capaz de marcar um reaparecimento a altura do ídolo dos programas de auditório dos anos de ouro da Rádio Nacional. Assim "Cauby "Cauby" é um disco realizado com esmero, reunindo composições de autores de prestigio - Tom Jobim, Jorge Bem, Chico Buarque, Daffé, João Roberto e Erasmo Carlos, Duardo Dusek e outros.

Paulistas

Uma vez, lá por 1962, o eterno Vinícius declarou que "São Paulo era o cemitério do samba. Pra que o poetinha foi dizer isto!

Artigo em 12.12.1980

Há oito anos, por três dias, Nara Leão fez um show no Paiol, onde apresentava um novo compositor-intérprete: um garoto cearense intitulado Raimundo Fagner. Acompanhados por Nana na percussão, Wagner Tiso nos teclados, Novelli no baixo, Chico Bateria na bateria. Por incrível que pareça, o espetáculo teve reduzido público e o empresário Benil Santos amargou altos prejuízos. Imagine-se o custo de um show reunindo nomes como [estes] hoje, quando todos estão consagrados.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br