Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Caixa Econômica Federal

Caixa Econômica Federal

A queda do império de Chateaubriand

A queda do império Associado a partir da morte de Assis Chateaubriand com a entrega do comando da rede nacional dos "condomínios" divididos por disputas internas, de poder e interesses imensos, se refletiria no melancólico final da empresa no Paraná.

Almas penadas no terreno que tem caveira-de-burro

Apesar de suas identificações apaixonadas ao brizolismo, o prefeito Jaime Lerner necessitará não só todo o fulgor de sua estrela como também a simpatia da área econômica do governo federal para levar adiante os projetos que tem envolvendo negociações com a Caixa Econômica Federal.

O sonho de Jaime é fazer gabinete da Prefeitura voltar à Generoso Marques

Dezesseis anos após ter, finalmente, conseguido uma sede condigna à sua importância cultural, o Museu Paranaense pode, no futuro, ficar novamente sem teto e ter que procurar uma nova sede. Oficialmente, a ameaça ainda não existe, mas os mais íntimos colaboradores do prefeito Jaime Lerner, como seu secretário de Comunicação Social, Jaime Lechinski, confirmam que desde sua segunda gestão ele pensa em fazer o gabinete do prefeito retornar ao antigo Paço da Liberdade - a belíssima construção estilo "Art Nouveau" inaugurada pelo prefeito Cândido de Abreu em 24 de fevereiro de 1916.

Os sonhos possíveis de Lerner para diversão dos curitibanos

"E assim adormece esse homem que nunca precisa dormir Pra sonhar Porque não há sonho mais lindo Do que sua terra Não há" ("João Valentão", Dorival Caymmi, 1953). Como o personagem de uma das mais bonitas canções de Dorival Caymmi, "João Valentão", o arquiteto Jaime Lerner, 54 anos, é uma das pessoas iluminadas que não precisa dormir para sonhar.

Lincoln Center nos projetos de Lerner

O prefeito Jaime Lerner regressou de sua última circulada internacional, desta vez à Escandinávia (em Oslo, participou de uma reunião preparatória da badalada Eco 92, no Brasil) como novos projetos repletos de imagens oniricamente coloridas. Ambos tendo a sua querida Nova York - metrópole do coração que sempre inclui no roteiro de suas viagens - como ponto de referência e desta vez concentrado num dos principais espaços culturais da Big Apple - o Lincoln Center.

No campo de batalha

Convidado a fazer duas palestras sobre sucesso & trabalho no Hotel Bourbon, no último fim de semana, o médico Lair Ribeiro, brasileiro radicado há quase 20 anos nos EUA, surpreendeu-se com o interesse da platéia. Assim como já havia acontecido anteriormente, quando aqui esteve a convite da Associação dos Empresários da Cidade Industrial, Lair impressionou aos atentos ouvintes, especialmente em relação aos números por ele apresentados de confiáveis pesquisas da Universidade de Harvard, uma das instituições nas quais estudou.

O calote já tem o seu jornal oficial

Assim como a Fundação Rio criou um arquivo para preservar exemplos da imprensa alternativa que nos últimos anos tem surgido no Rio de Janeiro - dos mais modestos fanzines até corajosas publicações políticas - caberia também a alguma unidade desta nossa Capital tão pródiga em política cultural oficial criar um arquivo específico. Afinal, assim como os fanzines tem se multiplicado (alguns deles estão sendo recolhidos pela Gibiteca, mas sem qualquer preocupação maior de catalogação), também há curiosos jornalzinhos de público-alvo diverso.

Na Praça Osório, Caixa fará de graça um teatro para Curitiba

O futuro Teatro Municipal ocupará uma área que, há exatamente 40 anos, foi a primeira sede da editora "O Estado do Paraná". Quando o empresário Aristides Mehry, capitaneando um grupo de paranaenses, fundou este jornal, a primeira sede foi um velho prédio na Praça Osório, com entrada pela Avenida Vicente Machado. Ali, durante algum tempo - até a transferência para a primeira sede própria, na Rua Barão do Rio Branco, 550 - a redação e oficinas, com uma equipe jovem e renovadora, fez surgir o jornal que, a 17 de julho próximo, completará seu 40º aniversário.

Mais um prédio para o Círculo Bandeirantes

Confirmando o que aqui publicamos, em primeira mão, há quase um ano: caminham os projetos para ampliação de uma das mais tradicionais instituições da cidade - o Círculo de Estudos Bandeirantes - enquanto a Caixa Econômica Federal S/A negocia a construção de uma imensa torre na Praça Osório em troca da cessão de um auditório de 3 mil metros quadrados à Prefeitura.

A noite em que João Gilberto cantou em Curitiba (II Parte)

Como foi o fim da noite e a despedida de João Gilberto na única vez em que esteve em Curitiba? Eis uma parte que não detalhamos na crônica publicada domingo, 8, no suplemento "Almanaque", dedicado à Bossa Nova, motivada pelo boom nostálgico ao qual "Chega de Saudade - A História e as Histórias da Bossa Nova", de Ruy Castro (Companhia de Letras, 464 páginas), trouxe galões de combustível.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br