Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Carlos Lyra

Carlos Lyra

PALCO SOM IMAGEM

SUA voz, normalmente rouca, estava ainda mais pesada ao final do espetáculo. A emoção era grande e só pode dizer: "Estou feliz por ter podido realizar um velho sonho". Alto, elegante, jovial apesar de seus sessenta e poucos anos, Ismael Silva encerrava a estréia nacional de "Se Você Jurar" (quinta e sextas-feiras, no Teatro do Paiol) debaixo dos aplausos de mais de 200 pessoas que lotavam a nossa casa de espetáculos, enquanto Carmen Costa - também emocionada, vestida de Baiana (em homenagem à outra Carmen - a Miranda) distribuía rosas aos presentes.

Palco Som Imagem

O professor Alceu Schwab, coordenador dos órgãos suplementares da Reitoria da Universidade Federal, e um dos que melhor conhece música popular entre nós, vai enviar, na próxima semana, uma carta ao poeta Vinícius de Moraes. Nela, Scwab pedirá ao compositor que homenageie Alfredo Rocha Viana - o Pixinguinha, fazendo uma letra para "Ingênuo", o choro que o autor de "Carinhoso" mais apreciava.

Depois do Carnaval (...e no entanto é preciso cantar)

A marcha-rancho de Vinícius de Moraes e Carlinhos Lyra sábado e domingo no Teatro do Paiol), poderia ser transcrita e substituiria qualquer outro texto: Acabou nosso Carnaval Ninguém ouve cantar canções Ninguém passa mais brincando feliz E, nos corações, saudades e cinzas Foi o que restou.

Earth, Wind and Fire, o som de Chicago.

"Depois do Carnaval" é o título de uma das mais bonitas músicas de Carlinhos Lyra - que por sinal estará no próximo fim de semana (dias 17/18), no Teatro do Paiol, apresentando o seu espetáculo "... E no entanto é preciso cantar" (também uma frase da marcha-rancho "Marcha da Quarta-feira de Cinzas"). Mas aqui falamos em Depois do Carnaval para justificar a ausência de um comentário próprio maior e explicar a presença apenas dos "press- release" biográficos.

É CARLINHOS LYRA

QUANDO se diz que a bossa nova foi o movimento mais importante verificado em nossa musica popular nos últimos anos, o que leva em conta não é apenas a modificação que ela provocou nos rumos da MPB, mas a possibilidade que abriu para que aparecessem alguns dos nossos melhores compositores de todos os tempos. Carlos Lara, sem dúvida nenhuma, é um deles. A sua importância não se restringe aos limites da bossa nova: o seu nome, historicamente, é tão importante quanto os mais importantes nomes da música popular brasileira". (Sérgio Cabral, critico de música popular).

Palco/Som/Imagem

Luiz Gonzaga, o bom "Lua" que há mais de 30 anos tornou-se nome dos mais respeitáveis e populares de nossa MPB, não vinha há muitos anos em Curitiba, mas seu prestigio so cresceu - principalmente junto aos jovens, após sua revalorização pelo grupo baiano (Gal-Gil-Cae): sua apresentação na noite de 29 na concha acústica da Praça Afonso Botelho, levou mais de 5 mil pessoas aquele local. Sob auspicio de Rubens Teig, das Lojas Universal, e numa promoção da Prefeitura, o "Rei do Baião" ofereceu a cidade um belo espetáculo popular.

Um disco com histórico concerto no Municipal

Com uma pequena gravadora (Imagem, Discos, Tapes & Filmes), Jonas Silva vem dando um exemplo às grandes fábricas, que insistem em sonegar do público brasileiro os grandes lançamentos de jazz e música erudita. Idealisticamente , suportando muitas vezes grandes prejuízos, Jonas tem editado nos últimos anos alguns dos melhores LPs de música erudita e jazz, em nosso mercado.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br