Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS CIC

CIC

Saiu a barriga, entrou o Corpo e Frankenstein revive novamente

O melhor filme da temporada - mesmo com a concorrência das produções oscarizáveis - saiu de cartaz. Inexplicavelmente, o programador (sic) da Fucucu substituiu "A Barriga do Arquiteto" (The Belly of an Architect), 1987, de Peter Greenaway, por "Corpo em Delito", que com todos os méritos poderia esperar mais uma semana. Aliás, o lançamento de um filme brasileiro - coisa rara nestes tempos colloridos - mereceria ter uma programação especial.

Aberta agora a temporada de caça aos Oscars de 91

Até a semana passada, o gerente do escritório da Warner, Lourival Henrique Schlepak, estava insistindo com o programador (sic) do circuito da Fundação Cultura de Curitiba para que marcasse uma data de relançamento de "Os Bons Companheiros". Geraldo Pioli, o cidadão que cuida deste trabalho na Fucucu, fez exigências como a de "requisitar" uma cópia para assistir, em sessão especial, o filme e "analisar" (sic) se o mesmo tinha condições para "merecer" ser programado numa das salas mantidas pela população de Curitiba.

O maior marketing da usina de sonhos

Tudo pronto. A maior operação de marketing cinematográfico chega ao final nesta segunda-feira, com a 63ª festa de entrega do Oscar. Os cinco filmes indicados ao grande prêmio já estão em exibição nacional, assim como oito dos outros dez que também foram lembrados em duas ou mais categorias. Apenas dois - "The Grifters", produção da Miramax, com quatro indicações e "Hamlet" (Warner), com duas indicações, não chegaram ao circuitão - mas também não devem demorar.

Crianças endiabradas, um marketing cinematográfico

É interessante observar o modismo cinematográfico. Cada vez mais o marketing decide os gêneros, estilos e tendências da produção audiovisual americana - que hoje não se restringe apenas à tela tradicional, incluindo o vídeo e o vídeo-disco, além das televisões a cabo e circuitos especiais. Neste final de ano, a disputa pelas melhores bilheterias não se concentra em torno de novas aventuras de Indiana Jones ou Super-heróis retirados das tiras de quadrinhos, mas sim com personagens (aparentemente) ingênuos e ternos: as crianças.

Em vídeo, os filmes sobre o apocalipse

Uma filmografia sobre a contaminação nuclear alcançaria, facilmente, uma centena de títulos, incluindo desde produções do tipo "B" até filmes recentes. O cinema japonês refletindo o trauma daquele país ter sofrido dois bombardeios de bombas atômicas (Hiroshima e Nagasaki, agosto de 1945), tem se voltado a esta temática, desde science fictions sobre mutações genéticas provocadas em animais até dramas reflexivos.

Orquídeas, Nijas e Gremlins nos cinemas

Com suas principais locações feitas na Bahia, no ano passado, "Orquídea Selvagem" teve, durante as filmagens, cobertura nacional. Entrevistas com a bela Jacqueline Bisset, o mau humor do antipático Mickey Rourke, destaques dados ao estreante diretor Zalmen King - cujos créditos apresentam apenas um trabalho conhecido, o de co-roteirista de "9 ½ Semanas de Amor" (1985, de Adrian Lyne, também com Rourke), uma das maiores bilheterias americanas (no Brasil) nestes últimos anos - tudo rendeu para que "Wild Orchid" tivesse imensa promoção.

Uma nova versão para a ópera de Weill e Brecht

Da imensa, política e consciente obra de Bertold Brecht (1898-1956), sem dúvida a mais conhecida é "A Ópera dos 3 Tostões" (escrita em 1928, inspirada em "A Ópera do Mendigo", do inglês John Gay. Independente dos méritos de dramaturgo de Brecht, contribuiu para fazer desta "Ópera" um standard internacionalmente montado - e com inúmeras adaptações e derivações (inclusive "A Ópera do Malandro", de Chico Buarque de Holanda), a perfeita parceria com Kurt Weill (1900-1950), que criou as canções que sua esposa, Lotte Lenya imortalizaria.

Columbia desperdiça três bons filmes do ano em festival secreto

Baseados em fatos reais - o assassinato do Padre Popieluszko, em 17 de outubro de 1984, devido a violenta repressão ao movimento do Sindicato Solidariedade, torna "Complô conta a liberdade, da cineasta polonesa Agnieszka Holland, exilada na França, daqueles filmes-documentos de visão obrigatória. Afinal, até agora, pouquíssimos filmes abordando as lutas sociais-trabalhistas na Polônia na primeira metade dos anos 80 foram realizados - e com exceção de "O homem de mármore"(1976) e, especialmente "O homem de ferro" (1981), de Andrzej Wajda, nenhum deles chegou ao Brasil.

Para concorrer com Gramado, Canela terá mostra de vídeo

Durante estes últimos anos a comissão organizadora do Festival de Gramado tem resistido a abertura em relação ao vídeo. Embora já tenham sido feitas algumas concessões - como uma feira aberta a distribuidoras e produtos afins que ocupou, há três anos, um grande espaço no hall de convenções do Hotel Serrano, a área de cinema sempre foi tão forte, atraindo em si tanta gente - artistas, jornalistas, produtores etc.

Videonotas

Embora tenha reduzido seu material promocional, a CIC Vídeo é uma das poucas distribuidoras que realiza um bom trabalho de relações públicas, oferecendo fitas para serem vistas, antecipadamente, pelas locadoras e alguns jornalistas. Afinal, oferece material confiável, de qualidade, podendo assim mostrar o que produz, sem receio de impor gato por lebre. Em compensação, outras distribuidoras continuam vendendo fitas de péssima qualidade.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br