Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Cine Astor

Cine Astor

Afinal, filmes de ação para lotar os cinemas da cidade

Para que Aleixo Zonari, o simpático comandante local do circuito Fama Filmes, volte a sorrir - após semanas de rendas indigentes na maioria dos cinemas de seu grupo - estreou ontem "Máquina Mortífera 2", que no esquema de violência-ação pretende repetir o êxito de bilheteria da primeira parte, realizada há dois anos e que foi um dos grandes êxitos de bilheteria da temporada de 1987/88. Em termos de qualidade, não há que se esperar muito...

Quando os dias são cinzentos...

Que o film noir ou o chamado thrilling que tanto se desenvolveu nos anos 40, especialmente nas produções da Warner (e, mais tarde, na França) é um gênero que vem sendo reciclado com sucesso nos últimos anos não há dúvida. O fato das histórias destes gêneros, em suas transposições para a tela, serem normalmente, confusas (Howard Hawks, que dirigiu, em 1946, "A Beira do Abismo / The Big Sleep", declarou que nunca entendeu direito a trama de Raymond Chandler) não afasta o público que, afinal, hoje, tem uma abertura intelectual bem mais ampla do que as platéias de cinco décadas passadas.

Uma bela gringa (em forma) na batalha das entrevistas

Foi uma maratona. Poderia-se dizer, em linguagem mais popular, uma tourada. Mais de 50 entrevistas - entre coletivas e exclusivas, falando para mais de 200 jornalistas em quatro dias - o primeiro (13) em São Paulo, no Caesar's Park, três outros (14/15/16) no Rio de Janeiro, saindo de sua suíte presidencial no 8º andar do Rio Palace Hotel apenas pela manhã, para fazer o seu indispensável cooper, um dos motivos que a conserva, aos 51 anos (52 a serem completados no dia 21 de dezembro) uma mulher belíssima, longe de parecer uma cinqüentona.

A raposa ganhou espaços e traz festival de inéditos

Nos anos dourados da cinelândia curitibana, os filmes da MGM eram exibidos exclusivamente no Cine Ópera - inaugurado em 1943, enquanto que o seu principal concorrente, o Avenida, bem mais antigo (foi aberto em 1º de maio de 1929, com "Moulin Rouge") tinha as produções da 20th Century Fox, alternadas com as da Universal (que, depois passavam para o antigo Ritz). O Cine Theatro Palácio, do pioneiro Henrique Oliva, tinha nas produções da Paramount a sua grande força para atrair os espectadores da tranqüila Curitiba de pouco mais de 100 mil habitantes - mas que lotavam as salas de exibição.

Tucker, o sonho (automobilístico) americano

Em 1956, quando Preston Tucker morreu, os cinqüenta e poucos carros que ele havia conseguido construir já eram jóias valorizadíssimas para os fanáticos pelo automobilismo. Afinal, baseado nos princípios da aerodinâmica, o "Tucker Torpedo" possuía detalhes inovadores para a época: um único botão que abria e fechava todas as portas, um farol central, freios de disco, injeção de combustível e vários mecanismos de segurança, incluindo um pára-brisas ejetável. O preço original de fábrica para o carro era de US$ 2.450,00.

Jane e Luiz vieram promover o "Gringo"

Em sua rápida viagem pelo Brasil (São Paulo / Rio, 14 a 17 de agosto) para promover o lançamento mundial de "Gringo Velho" (Cine Astor, a partir de hoje, 5 sessões), a atriz-produtora Jane Fonda fez questão de, em suas 50 entrevistas (nas quais falou para mais de 200 jornalistas, somando-se as exclusivas e as coletivas), ressaltar o trabalho de Luiz Puenzo, o diretor que escolheu para este sexto filme que sua empresa produz.

Um filme australiano e o "Jogo Duro" de Giorgetti

Seis filmes inéditos, da mais recente safra do cinema brasileiro, exibidos simultaneamente ao XVII Festival do Cinema Brasileiro de Gramado, registraram o ridículo bordeaux de 1.612 espectadores no Lido II. Lanterninha entre as nova capitais brasileiras escolhidas pela Embrafilme para a inédita experiência de mostrar nacionalmente os filmes em disputa ao Kikito no mais famoso festival do cinema brasileiro, Curitiba confirmou aquilo que há muito afirmamos: é tola a afirmação de que somos uma cidade de grande exigência cultural, cidade-teste para provar produtos culturais.

"Piratas" de Polanski é a única estréia da semana

Em setembro do ano passado, quando veio ao Brasil para caitituar a estréia de "Busca Frenética" (Frenezy), Roman Polanski evitou falar sobre o filme que havia realizado anteriormente: "Piratas". Cada vez que lhe perguntavam a respeito, o realizador de "Chinatown", um homem extremamente inteligente e bem humorado, buscava escapar de qualquer comentário mais longo e fazia com que o interlocutor buscasse outra questão - preferencialmente ligada à "Busca Frenética", objetivo de sua vinda ao Brasil.

Videonotas

Cercado da maior campanha publicitária já feita nesta era de vídeo doméstico, a CIC lança amanhã, nacionalmente, as primeiras cópias de "E.T. - O Extraterrestre", de Steven Spielberg. A operação para fazer chegar ao consumo, em VHS, o filme de maior bilheteria da história do cinema recente foi tão badalada que nem se precisa gastar espaço e tempo para falar a respeito. Só Steven Spielberg vai ganhar aproximadamente US$ 180 milhões, com a venda da versão em VT de seu filme de maior êxito - razão pela qual concordou com a operação.

Um filme cubano, entre terror e a violência, são as estréias

Cinco estréias nesta semana que os exibidores chamam de "tapa-buraco", considerando-se que será na próxima quinta-feira o início da Operação Natal com as produções de maior apelo ao grande público e que permanecerão até meados de fevereiro em cartaz: "Uma cilada para Roger Rabbit" (Astor), "O Casamento dos Trapalhões" e, possivelmente, "Willow - A terra da magia".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br