Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Cine Ritz

Cine Ritz

Franceses assistem filmes brasileiros inéditos aqui

Enquanto no Brasil a produção cinematográfica, em longa-metragens, continua paralisada - e para que os dois principais festivais competitivos do país (Gramado, Rs, agosto; Brasília, outubro) não fossem cancelados seus coordenadores tiveram que privilegiar os curtas e médias-metragens - e criar eventos paralelos (em Gramado, abrindo-o competitivamente a outros países), no exterior o Brasil ainda vive de glórias visuais do passado.

Medo de Amar (II)

"Não eu não sei se gosto ou se não gosto de sentir o que sinto e o que me atormenta e eu confesso que tremo desse sentimento que de repente chega e que me ataca e assim me faz perder-me e nem saber se esses carinhos são suaves ou velozes se o que escuto é o silêncio ou se ouço vozes" (Suely Costa/Tite de Lemos, "Medo de amar nº2", 1978)

"Primeiro Amor" infantil é a maior atração para o público

Possibilitando aos que ainda não assistiram "JFK - A Pergunta que não quer Calar", de Oliver Stone (cines Astor e Cinema I) e "Unidos pelo Sangue" (The Indian Runner), de Sean Penn (Cine Ritz) - além dos outros digestivos programas em cartaz - disponham de maior tempo, apenas duas estréias, de médio interesse nessa semana: "Caso de Força Maior" de Pierre Jolivet (Cine Luz) e a comédia infantil "Meu primeiro Amor" (My Girl), que catipultuada [catapultada] pelo carisma de Macaulay "Esqueceram de Mim" Culkin tem tudo para se tornar o novo campeão de rendas.

"Sonata" de Kurosawa é a melhor estréia da semana

Quatro estréias - entre as quais uma com amplas condições de figurar entre os melhores lançamentos do ano, nesta semana em que a divulgação dos indicados ao Oscar-92 faz com que as bilheterias dos nominations já em exibição - como "JFK - A Pergunta que não quer Calar", de Oliver Stone (Astor/Cinema I) ganhem substancial reforço promocional. Outros filmes indicados, como "Bugsy" e "O Príncipe das Marés" - já estão tendo pré-estréias e chegam ao circuito dentro de poucos dias.

No campo de batalha

Parece que as ordens do prefeito Jaime Lerner não estão sendo respeitadas pela presidência da Fucucu. Na quinta-feira, pela manhã, havia determinado que as sessões dos cinemas pertencentes a Fundação Cultural de Curitiba passassem a funcionar realmente corridas - sem intervalos de 30 a 45 minutos como vem acontecendo. Sexta-feira, não só o Luz - que exibe "Caso de Força Maior" continuou a manter um longo (e totalmente desnecessário) intervalo de 30 minutos, como também o Cine Ritz, onde estreou "Rapsódia em Agosto", de Akira Kurosawa, está fazendo intervalos de 20 a 25 minutos.

Estréiam hoje dois dos melhores filmes de 1991

1992 não poderia começar melhor em termos cinematográficos. Hoje, terceiro dia do ano, estréiam dois dos dez melhores filmes indicados no referendum em que participaram 28 críticos e cinéfilos de 8 capitais e que, pela 26ª vez, ininterruptamente, O Estado do Paraná publicará domingo. "Não Amarás", do polonês Krzystof Kieslowski e "Os Imorais", do inglês Stephen Frears - que embora estivessem inéditos em Curitiba obtiveram pontuação para integrar a lista dos 10 melhores, estréiam agora nos Cine Groff e Bristol, respectivamente.

"A Grande Arte" no Ritz

O nostálgico "Vai Trabalhar Vagabundo", continua no Cine Ritz, mas na sessão da meia-noite de hoje sua tela exibirá o esperado filme de Walter Salles Jr., "A Grande Arte". E amanhã, também mesmo horário, pré-estréia de "Boys'n the Hood - Os Donos da Rua", de John Singleton. Mas tem mais: no domingo, às 20h30, sessão especial de "Pixote - A Lei do mais Fraco", de Hector Babenco, com a presença do roteirista José Loureiro. E na quarta, às 21h, sessão beneficente de "O Ouro de Abraão", de Jorg Gräser.

"A Grande Arte" e "O Pescador de Ilusões" são as melhores estréias

Mais seis estréias neste final de ano - entre as quais duas que, com boa vontade, poderão ser nominadas entre os 10 melhores do ano, cujas listagens já começam a ser preparadas. "A Grande Arte", de Walter Salles Jr., do romance de Rubens Fonseca, superprodução (US$ 5 milhões) para os padrões nacionais, mas com esquema internacional e, inclusive, grande parte dos diálogos em inglês, é o lançamento mais esperado - embora a repercussão no eixo Rio-São Paulo, mesmo com toda a mídia, tenha sido abaixo do que os produtores esperavam.

Estréiam hoje dois dos melhores filmes de 1991

1992 não poderia começar melhor em termos cinematográficos. Hoje, terceiro dia do ano, estréiam dois dos dez melhores filmes indicados no referendum em que participaram 28 críticos e cinéfilos de 8 capitais e que, pela 26ª vez, ininterruptamente, O Estado do Paraná publicará domingo. "Não Amarás", do polonês Krzystof Kieslowski e "Os Imorais", do inglês Stephen Frears - que embora estivessem inéditos em Curitiba obtiveram pontuação para integrar a lista dos 10 melhores, estréiam agora nos Cine Groff e Bristol, respectivamente.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br