Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Cinemas de Curitiba

Cinemas de Curitiba

Mais e melhores filmes de jazz

Cada vez mais os fãs de jazz têm motivos de alegria. A dieta, que por mais de 30 anos obrigava os que curtem a mais criativa das formas musicais a viver um regime de pão e água em termos de informações, parece que, finalmente, encontrou a luz no final do túnel. Enquanto multiplicam-se as edições gravadas, tanto dos históricos registros em coleções que gravadoras com notáveis acervos (CBS, Imagem, Movieplay, Bradisc, WEA, EMI/Odeon, RCA) vêm colocando nas lojas - a partir de 1989/90, também em versões CD e fitas cromo, em termos visuais a coisa melhorou.

Melhores blues sem as lágrimas

Quem conhece Saul (Silva Bueno), 45, o mais jazzístico pistão da noite curitibana e que há cinco anos faz de seu Trumpet's (Rua Cruz Machado) o único endereço em que se pode escutar a qualquer hora da madrugada, improvisações com instrumentistas que amam o jazz (seja os de casa, ou profissionais e amadores que ali gostam de dar canja) não deixará de estabelecer algumas ligações ao assistir "Mais e Melhores Blues" (Lido II, até quinta-feira). Até fisicamente, o bom Saul lembra um pouco a Denze Washington, 35 anos, que no filme de Spike Lee interpreta o talentoso pistonista Bleek Gilliam.

Lee bate fundo com muito jazz

Aos 34 anos, Spike Lee é hoje a presença negra mais forte no cinema americano. Assumidamente da corrente "black is talent", vem provando na tela que o preto não precisa ser olhado com piedade e condescendência - podendo discutir seus próprios problemas - seja na investigação de relações amorosas ("She's Got a Have It", 86), a disputa pelo poder ("School Daze", 88) e o conflito étnico ("Faça a Coisa Certa", 89), sua revelação internacional em Cannes (os dois primeiros filmes são inéditos no Brasil).

Aberta agora a temporada de caça aos Oscars de 91

Até a semana passada, o gerente do escritório da Warner, Lourival Henrique Schlepak, estava insistindo com o programador (sic) do circuito da Fundação Cultura de Curitiba para que marcasse uma data de relançamento de "Os Bons Companheiros". Geraldo Pioli, o cidadão que cuida deste trabalho na Fucucu, fez exigências como a de "requisitar" uma cópia para assistir, em sessão especial, o filme e "analisar" (sic) se o mesmo tinha condições para "merecer" ser programado numa das salas mantidas pela população de Curitiba.

Nas coisas do amor, o filme tamanho-família

"As Coisas Engraçadas do Amor" (Lido II, até quinta-feira, 5 sessões), é mais uma evidência de que a linha família-criança, que vem marcando uma parte considerável da produção americana, continua a dar bons resultados. Mesmo longe de se transformar num sucesso como "Esqueceram de Mim" (Cine Astor, 9 semanas), e mesmo sem alcançar "Três Solteirões e um Bebê", de Coline Serreau, que o mesmo Leonard Nimoy realizou há 4 anos, este "Funny About Love" é agradável e suave - daqueles que devolvem ao cinema a condição de diversão familiar.

Mafiosos e lobos nas telas

De longe, as duas grandes estréias no cinema, hoje, são "Dança com Lobos", que marca o galã Kevin Costner ("Os Intocáveis", "Sem Saída", "Campo dos Sonhos") em sua primeira direção (além de intérprete e roteirista). O filme lhe valeu 12 indicações à estatueta dourada - e o transformou no novo "golden boy" da indústria cinematográfica.

Na semana do Oscar, chega bela barriga do arquiteto

Na mais quente semana do ano - a que precede a entrega dos Oscars (segunda-feira) haja tempo, dinheiro e, especialmente, disposição para acompanhar todos os filmes em exibição. Os cinco que concorrem ao prêmio máximo já estão em exibição nacional e oito dos dez outros, que conseguiram duas ou mais indicações, também estão em cartaz - ou já foram vistos.

O maior marketing da usina de sonhos

Tudo pronto. A maior operação de marketing cinematográfico chega ao final nesta segunda-feira, com a 63ª festa de entrega do Oscar. Os cinco filmes indicados ao grande prêmio já estão em exibição nacional, assim como oito dos outros dez que também foram lembrados em duas ou mais categorias. Apenas dois - "The Grifters", produção da Miramax, com quatro indicações e "Hamlet" (Warner), com duas indicações, não chegaram ao circuitão - mas também não devem demorar.

Na semana dos Oscars, faltaram salas para as novas estréias

Faltam salas para tantos filmes que podem fazer ótimas bilheterias. Levi e Aleixo, da Vitória Cinematográfica, receberam tantas reclamações de espectadores ansiosos em assistir o super premiado "Dança com Lobos" (sete Oscars, incluindo o de melhor direção e filme), que não tiveram outra solução: mais uma vez, "Os Bons Companheiros", de Martin Scorcese, ficou apenas uma semana em cartaz e já saiu do Cinema I para, em horários alternados (afinal só existe uma cópia), entrar "Dança com Lobos".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br