Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Cinemateca do Museu de Arte Moderna

Cinemateca do Museu de Arte Moderna

Em Cuba, uma escola para quem sonha em fazer cinema e vídeo

Vitória - Qual o jovem que sonha em ser um cineasta consagrado que não gostaria de poder estudar numa escola de cinema e televisão em outro país? Nos anos 50/60, era o IDECH, em Paris, que atraia jovens impregnados pela fama do cinema francês, especialmente da "nouvele vague". Os cursos de cinema que universidades americanas mantém regularmente são "impossible dreams" frente ao que representam em custos a não ser para quem tenha pais bilionários.

Filme de Solanas revive os anos de terror na Argentina

Salvador - O cancelamento na última hora de um documentário sobre a questão agrária - "O Canto da Terra", 1991, 100 minutos, de Paulo Rufino (atualmente nos Estados Unidos) acabou permitindo uma oportuna homenagem a um dos mais importantes cineastas latinos e a inclusão na programação da XVIII Jornada de Cinema da Bahia de um clássico documentário para melhor se entender a situação política argentina.

No cinema para ler, as revelações sobre Greta

Já chegam a 30 os livros sobre cinema lançados este ano no Brasil, confirmando-se aquilo que aqui temos insistentemente registrado: o interesse cada vez maior pela sétima arte, em seus vários segmentos. O atento Cosme Alves Neto, curador da Cinemateca do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, listou 27 títulos - incluindo meia dúzia que deve chegar às livrarias nas próximas semanas.

Radamés, nosso amigo, e a "Ameríndia"de Conrado

Brasília - Depois da homenagem que Rogério Sganzerla fez ao Poeta da Vila em "Isto é Noel", exibido ontem à noite - antecipando o curta "Projeto Pulex", do gaúcho Tadao Miagui (produzido pelo núcleo de animação do Rio Grande do Sul), e o longa "Ameríndia", do padre Conrado Berning - amanhã, sábado a maior atração no cine Brasília é outro média biografando um dos maiores nomes da música brasileira: "Nosso amigo Radamés Gnaitaili".

O cinema para leitura agrada cada vez mais

O mercado editorial diversifica-se. Se os best-sellers produzidos em linha industrial - como os que a Record tão bem sabe escolher para garantir sua presença entre as que têm maiores êxitos - sucedem-se para uma faixa de consumidores pouco exigentes, amplia-se cada vez mais o interesse por gêneros específicos ou mesmo de obras jornalísticas.

Intervenção de Lerner reduz a crise cultural

Graças a intervenção enérgica do prefeito Jaime Lerner - em decorrência das denúncias feitas pela imprensa - a crise provocada pela prepotência das diretoras da Fundação Cultural de Curitiba baixou alguns graus a partir de segunda-feira, dia 6.

O cinema para ler

Após anos de indigência editorial nas áreas das artes, começamos a entrar em dias melhores. Ano a ano, cresce a produção editorial de obras que se voltam ao cinema, música, teatro e artes plásticas - incluindo edições de arte. Mesmo com os tempos bicudos que enfrentamos, e, no caso de edições-brinde de obras de arte tenha havido uma natural recessão com o fim da Lei Sarney (que estimulava investimentos culturais), aliada aos rigores do Plano Collor, ainda se publicou bastante em 1990.

Kirk, Andrei, Akira falam sobre cinema

Nos anos 60, quando eram raras as editoras que publicavam livros de cinema, Enio Silveira, da Civilização Brasileira, não só lançou obras polêmicas como a "Revisão Crítica do Cinema Brasileiro" de Glauber Rocha (1939-1981), como, corajosamente, chegou a criar uma coleção de roteiros pela qual saíram vários scripts dos filmes de Federico Fellini. Hoje pertencente ao grupo Bertrand, a mesma Civilização continua a lançar bons livros de cinema, como as biografias de Kirk Douglas e Marlon Brando - esta recentemente colocada na praça.

No jogo de imagens, o desafio aos cinéfilos

Estimulado pela repercussão de "Cinema Paradiso" - embora a renda tenha sido fraca nos primeiros dias, agora, com a recomendação boca-a-boca, o público está crescendo no Cinema I - Levi Possato, superintendente da Vitória Cinematográfica, está agilizando junto a Warner a estréia de "Splendor", de Ettore Scolla. Afinal, como já escrevemos várias vezes, estes dois filmes são irmãos siameses: ambos abordam o declínio dos cinemas, tem linguagens fascinantes e apesar do tom nostálgico passam uma belíssima mensagem.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br