Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Companhia Editora Nacional

Companhia Editora Nacional

No campo de batalha

"O Poeta e a Rainha", curta-metragem (8 minutos), que Werner Schumann, 23 anos, realizou em 1983, com uma linguagem experimental, parece ter agradado aos alemães: selecionado inicialmente apenas para a "Filmoteca Jovem", mostra paralela do festival de cinema de curta-metragem do Oberchausen (uma importante mostra na Alemanha Ocidental), foi aprovado para a parte competitiva. Werner recebeu o telegrama com a boa notícia na manhã de quinta-feira e, com toda razão, está eufórico. xxx

Do jornal Mural aos livros de jornalismo

Na semana passada a jornalista Dinah Pinheiro Ribas, assessora de imprensa da Fundação Cultural, recebeu uma notícia que lhe fez dar um sorriso kolgate: em Foz do Iguaçu, a Prefeitura também decidiu seguir o exemplo de Curitiba e criar um jornal mural. Com isto já são três as cidades brasileiras (Olinda e Bauru, as outras duas), que, espelhadas na bem-sucedida experiência desenvolvida há quatro anos em nossa cidade tem no "Jornal Mural" uma publicação quinzenal para levar informações de utilidade pública, programação e, naturalmente, mensagens políticas - nem sempre discretas - à população.

Coutinho, nosso homem em Havana

Edilberto Coutinho, hoje um escritor premiado internacionalmente, é lembrado ainda pelos ouvintes do antigo Clube Juvenil M-5, como aquele garoto que no início dos anos 50 era o "jovem mestre de cerimônias" do programa de auditório da Rádio Guairacá, comandado pelo pioneiro do rádio paranaense, Aluisio Finzeto. Edilberto, paraibano de João Pessoa, passou parte de sua adolescência em Curitiba e fez carreira como jornalista e escritor. Foi, aliás, um dos raros brasileiros a entrevistar, por três vezes, o romancista Ernest Hemingway.

Agora chegam os contos de Hammet

No boom da redescoberta de alguns dos melhores escritores americanos que permaneceram esquecidos durante anos dos editores brasileiros, Dashiell Hammet (Maryland, 27-5-1984 - Nova Iorque, 10 de janeiro de 1961) tem sua obras lançada com grande disputa.

Africanistas

Dulce Tupy, jornalista carioca, disc-review da equipe da "Visão", e também fotógrafa entusiasta. De urna viagem a Angola resultou urna série de fotografias que está expondo agora no hall da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, com o título de "Carnaval dá Vitória" - mesmo nome do filme do cineasta angolano Antonio Ole, ali cm exibição. Como o africanismo está cm evidência, um bailarino baiano, Salomar Santos Salomão veio a Curitiba, a convite do sr.

Perspectivas da Semana

Uma semana de excelentes opções para o espectador de bom gosto, que exige algo mais do cinema. Woody Allen, o genial e premiado ator-diretor-roteirista; em dose dupla: "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa" (Annie Hall), desde ontem no Cine Rivoli, para uma carreira de, no mínimo, dias semanas. No Astor, em sessões à meia noite, Jayme Tavares está reprisando os filmes anteriores de Allen: na semana passada, 810 pessoas superlotaram o cinema de (apenas) 500 lugares para rever "Tudo Que Você Sempre Quis Saber Sobre O Sexo...".

Auditório Algacyr Maeder, uma homenagem há muito merecida

Dentro de algumas semanas, o prédio que há anos era ocupado pela Secretaria de Finanças estará liberado, possibilitando a que o projeto de reciclagem da área, desenvolvido pelo arquiteto Sérgio Todeschini Alves, possa ser executado. Localizado entre as ruas Dr.

E a Editora Universitária?

O assunto é antigo, já abordamos várias vezes, mas não custa cobrar mais uma vez do reitor Ocyron Cunha: e a editora universitária? xxx

Nossa Economia (IV)

Funcionando há pouco mais de 3 anos na Cidade Industrial, a Philip Morris do Brasil S/A conseguiu se classificar em 2º lugar entre as maiores indústrias de produtos de fumo do País. Com seu patrimônio líquido de Cr$ 570.300.000,00 e lucro líquido de Cr$44 67.400.000,00 em 1977, empregando apenas 570 pessoas, a Philip Morris está logo abaixo da Souza Cruz, pelo visto imbatível, cm seu patrimônio que atinge hoje Cr$ 4.755.000.000,00. xxx

Compositores & Intérpretes

Na proporção em que uma chamada "nova crítica" em termos de apreciação [musical], no campo da criação popular, começa a se fixar no Brasil, com trabalhos da profundidade um Gilberto Vasconcelos ou um Waldenyr Caldas (1), pode-se prever que, dentro de breve, passaremos a ter uma bibliografia ampliada, com um leque de interpretações, a respeito de novas tendências/caminhos de compositores/[intérpretes] que, por mais discutíveis que sejam suas propostas, merecem o rigor de uma apreciação capaz de ver mais do que o simples sucesso.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br