Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Cruz Machado

Cruz Machado

A Estadual mantém programação mas ouvintes estranham hora religiosa

A coluna em que denunciamos a mudança da programação da Rádio Estadual do Paraná - que na busca de melhor Ibope ameaçava substituir a difusão do que há de mais significativo na música (nacional e internacional) pelo brega e som de consumo, felizmente teve repercussão. A secretária Gilda Poli, da Cultura - pasta à qual está subordinada a Fundação Rádio e TV Estadual do Paraná - recortou a coluna e despachou à direção da emissora, com algumas observações. xxx

Os restaurantes de categoria que Curitiba teve no passado

Um livro patrocinado pela Brahma reunindo crônicas de vários autores sobre endereços gastronômicos-etílicos de Curitiba, que está sendo coordenado pelo casal Maí e Dante Mendonça - com lançamento previsto para o dia 29 de março, 299o. aniversário da fundação de Curitiba - embora reverenciando restaurantes e bares "históricos" desta cidade não esgota em absoluto um tema que está a merecer pesquisas mais amplas e profundas: a Curitiba gastronômica e boêmia, hoje presente apenas na memória de seus habitantes mais idosos.

Aluada, uma luz de esperança na noite

Para não dizer que só falamos com pessimismo da noite vamos a uma boa notícia: na primeira semana, o movimento do mais novo endereço da cidade (Aluada Café Concerto, rua Mateus Leme, 1201, fone 252-5045) ultrapassou as expectativas dos proprietários e estimulou que ampliassem o número de músicos que pretendem manter na casa. O estimado e competente Gerson Bietinez, 44 anos, que havia deixado o restaurante Beduíno (casa que também desativou a música ao vivo), é o assessor musical da casa, na qual há um som novo: Osires Canin, 53 anos, violinista de belos improvisos.

O mercado para nossos músicos

Não há registros confiáveis - e a própria secção regional da Ordem dos Músicos do Brasil não sabe informar corretamente - mas existem hoje mais de 50 casas noturnas em Curitiba que empregam músicos. Independente de apreciações estéticas e da qualidade sonora, o fato é que o mercado ampliou-se. É bem verdade que em termos de pagamento nem sempre as tabelas do sindicato são respeitadas e pela própria instabilidade do mercado são raros os músicos que podem impor os seus preços.

Em caravana de bronze, volta Victor, mercador do passado

Depois de ancorar por seis anos a sua caravela de criatividade na praia catarinense de [Itaipava], o caçador de antigüidades Victor Sieczko volta ao rumo curitibano, cidade em que nasceu e viveu a maior parte de sua vida. Sem nunca ter freqüentado um curso de decoração ou arquitetura, este polaco-brasileiro do bairro de Santa Cândida, 53 anos a serem comemorados no próximo dia 29 de abril, tem dado lições a muitos caros profissionais em termos de como criar ambientes originais.

Helena Kolody, 81 (ou 18?) anos de iluminação poética

Helena Kolody, profissão poeta.Ninguém melhor do que esta ucraniana-brasileira de eterna juventude que os 81 anos parecem apenas um número ao contrário (18), para justificar esta identificação. Helena é brilho, luz, magia - que a faz, há muito, não só a grande poeta do Paraná, mas uma das maiores do Brasil. Se o Rio Grande do Sul tem Mário Quintana, nós temos - para muito orgulho! - Helena Kolody, hoje, merecidamente, tendo sua obra reconhecida nacionalmente.

Dona Helena viaja com as belas imagens de Orlando

Há alguns meses, ao gravar seu depoimento para o projeto Memória Paranaense, do Banco Bamerindus, a poeta Helena Kolody emocionou os jornalistas que a entrevistavam ao recordar, com mínimos detalhes, seus anos de adolescente, quando vindo de Cruz Machado, morou com sua família na Rua Ubaldino do Amaral - então distante do centro da cidade.

Um sindicato que discipline os que "guardam" os carros

A longa colaboração que o arquiteto Jaime Lerner prestou às administrações do Rio de Janeiro - especialmente no governo Leonel Brizola - fizeram com que levasse à Cidade Maravilhosa várias idéias que deram certo em Curitiba. Algumas tiveram um bom replay no território carioca, outras nem tanto...

Poeta Jean foi premiado em Paris mas correio atrapalha

A greve dos correios na França acabou fazendo uma intelectual vítima em Curitiba: somente há poucos dias foi que Jean Valentin Dobignies, 67 anos, desde 1953 "curitibano por opção e coração", recebeu a comunicação da Academia Francesa de Letras, de que havia merecido a medalha de prata pelo seu livro "Rue de La Porte Rouge".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br