Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Edu Lobo

Edu Lobo

Remo Usai, o homem das muitas trilhas

Sérgio Sarraceni, autor de trilhas sonoras de filmes como "Anchieta José do Brasil" (realização de seu tio, Paulo César) e "Baixo Gávea" (de Haroldo Marinho Barbosa) ficou feliz ao saber que um de seus colegas da mesa-redonda sobre "A Música no Cinema Brasileiro" (auditório Brasílio Itiberê, hoje, a partir das 10 horas) seria o compositor Remo Usai. Afinal, para quem se interessa pela música no cinema o nome de Remo Usai merece o maior respeito.

Confirmado: dia 4 de abril, Airto e Flora

Além de Jordan, os baianos Caetano, Bethania e João Gilberto - além do violonista Baden Powell, março ainda terá dois momentos de música clássica. Dia 21, com a Camerata Antiqua - que apesar da saída do maestro Roberto de Regina, tenta sobreviver. E no dia 24, a Sinfônica do Paraná, que deve ter muitas modificações nas próximas semanas, com uma nova disciplina e talvez até novos - e competentes - integrantes. Assunto, aliás, que vai ferver depois do Carnaval. xxx

No campo de batalha

O Paraná perdeu nas últimas semanas mais dois pioneiros do rádio: Humberto Lavalle e Moisés Itzcovich. Ambos começaram nos anos 40, passaram por muitos prefixos e uniram sempre o lado da produção e criação com o setor comercial. Lavalle esteve ligado durante muitos anos a Rádio Guairacá, desde sua inauguração, há 39 anos passados. Itzcovich foi da Marumby, a segunda emissora a funcionar em Curitiba. Hoje, nem estes prefixos existem mais. xxx

Viaro leva ballet até Foz do Iguaçu

Tinha razão o advogado René Dotti ao ser convidado para a Secretaria da Cultura pelo governador Álvaro Dias em insistir em alguns nomes para cargos em sua pasta. E, se a nomeação de Constantino Viaro para a superintendência da Fundação Teatro Guaíra encontrou algumas objeções junto e camarilha que ocupava aquele órgão, insistindo numa discutível lista tríplice, o fato é que Viaro, nestes 80 primeiros dias de administração vem se mostrando, mais uma vez, o eficiente executivo cultural.

Julho abre a temporada dos festivais musicais Julho abre a temporada dos festivais musicais

Multiplicam-se os festivais de música a partir de julho, com eventos de várias dimensões. Enquanto o clássico ganha seu espaço no tradicional Festival de Inverno de Campos do Jordão e, em termos paranaenses, na nova edição do Festival de Londrina - capengando por falta de recursos, reabre-se também os ciclos de festivais competitivos na música popular.

O bom exemplo do Festival de Avaré

Um exemplo de evento que se firma cada vez mais é a Feira Avarense da Música Popular, cuja quinta edição aconteceu há duas semanas. Abrindo suas portas a candidatos de todo País - e, numa inovação em termos de festivais, criando uma premiação especial para a música instrumental, a FAMPOP, dirigida pelo advogado Juca Novaes, é hoje o mais importante acontecimento musical do Interior de São Paulo.

Marcelo mergulha para conhecer pai de Alice

Quando decidiu partir para a encenação da peça "Do Outro Lado da Paixão" (Teatro do SESI, até o dia 9 de agosto, 21 horas), o encenador-autor Marcelo Marchioro, 36 anos, falou clara e francamente aos que decidiram participar do projeto: um espetáculo não convencional, difícil e com risco de desagradar o público que busca, tradicionalmente, o teatro como simples entretenimento. Todos toparam.

Carlão e sua crônica suburbana de gente humilde de São Paulo

Premiado no ano passado como o melhor diretor por "FIlme Demência" (em exibição a partir desta quinta-feira, 5, no cine Groff), Carlos Reichenbach saiu novamente vitorioso do Festival do Cinema de Gramado: Seu "Anjos do Arrabalde" levou o prêmio de melhor filme, valendo ainda às atrizes Betty Faria e Vanessa Alves os Kikitos de melhor atriz principal e coadjuvante, repectivamente. De quebra, ganhou ainda os prêmios especiais da Embratur e "Manchete" - este significando uma mídia nacional para a promoção do filme, até agora somente exibido por duas semanas em São Paulo.

No campo de batalha

Complementando a notícia de ontem, em relação à Rádio Estadual do Paraná - nos planos da secretária Suzana Munhoz da Rocha, da Cultura e Esportes, para se transformar numa fundação de sua pasta: antes de deixar a direção, o empresário Faruk El Khatib havia implantado a transmissão da madrugada. Agora, por uma questão de bom senso, o gerente artístico da emissora oficial, Lourival Pedrossiam ("Palito"), voltou ao horário tradicional. Afinal, se faltam condições para fazer uma boa programação das 6 às 24 horas, por que insistir em permanecer no ar também na madrugada? xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br