Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS EMI/Odeon

EMI/Odeon

Homenagem a Clara guerreira

Desde que assumiu funções executivas na EMI/Odeon o experiente Francisco Rodrigues, ex-CBS, está mostrando a sua competência. Tanto na área de comunicação como na produção, o estimado Chiquinho sabe fazer um bom trabalho e assim, dentro de uma gravadora que dispõe de um acervo tão grande, além de importantes representações internacionais, pode fazer pelas produções.

Só Preto (sem preconceitos)

Black não é apenas beautiful. É música. Estão aí milhares de exemplos para provar que a raça negra é extremamente sonora em todos os gêneros. Por isto mesmo é que surgem a cada ano, novos intérpretes, compositores e músicos negros. Ainda agora, temos o grupo "Só Preto sem Preconceito", formado por Fernando Paz (repique), Paulinho (banjo), Reginaldo (pandeiro), Cimar (tantan, marcação) e Rem (tantani), que estreiam num elepê apropriadamente intitulado "A Coisa Mais Linda" (EMI/Odeon).

As Big Bands estão de volta

Duke Ellington, Benny Goodman e Count Bassie nunca passaram por Curitiba. Mas Harry James (1916-1983), já no final de sua vida, tocou no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto e, mostrando vigor, ainda encontrou tempo para ter um night date com uma esplendorosa loira, convenientemente apresentada por um conhecido publicitário de boas relações sexuais. A loira, que alguns viram com semelhanças com a atriz Betty Gable (1916-1973), com quem ele esteve casado por 22 anos (1943-1965), acabou saindo do Mabu Hotel, onde o pistonista e band-leader esteve hospedado, com uma nota de US$ 100 na bolsinha.

Gerônimo, mais um baiano bem sucedido

Gerônimo é mais um baiano que emplacou com seu estilo alegre, vibrante, trazendo músicas de fácil aceitação. Como em Salvador, as emissoras dão 90% de seus espaços aos artistas da terra, Gerônimo vendeu o suficiente para merecer maiores investimentos, o que a EMI/Odeon faz agora dando uma produção cuidadosa ao seu novo elepê ("Dançarino"). Gerônimo começa com uma audaciosa parceria com o poeta Gregório de Mattos (Salvador, 1623 - Recife, 1969) [?

Novos grupos nos caminhos do pop

New Kids on the Block é daqueles casos que compensam o que uma gravadora investe na produção de dezenas de elepês - e que mesmo com 90% sem retorno, valem pelo que faturam. Saindo agora o quarto elepê do "New Kids on the Block" ("Step By Step", CBS), números provam o astral comercial do grupo: já vendeu 15 milhões de cópias, foi matéria principal em jornais e revistas dos EUA e Europa (e, a partir de agora, também no Brasil, vide "Veja" há três semanas) e só em 1989 o grupo fez 250 shows.

De Uns & Outros e Roupa Nova à volta de Stevens

Depois de um elepê em que assumiram suas origens gaúchas ("Carta aos Missionários"), o grupo Uns & Outros ataca de "A terceira Onda" (CBS), com nove composições inéditas - mais "Anjo Negro", do primeiro LP. Em cassete, dentro de uma jogada de marketing, há uma faixa-bônus "James Dean Eyes", versão em inglês para a música em homenagem ao ator falecido há 35 anos - e incluída em português no disco. "Notícias do Leste", "Eu Rio" e "O Cheiro" são três outras faixas que se destacam neste LP. xxx

João e Nana, a performance de nossos grandes cantores

A montagem de discos com fonogramas de diferentes fontes - seja de artistas e estilos diversos, seja, de uma mesma tendência, estilo e gênero - tornou-se, nos últimos tempos, uma das formas mais lucrativas das gravadoras oferecerem novidades sem terem que fazer investimentos. Afinal, basta no máximo uma remixagem técnica nas fitas originais, a criação de uma capa e, principalmente, uma seleção do material que dispõe para ter condições de editar produtos isolados ou em forma de coleção.

Hermínio garante o retorno da Camerata

Do Rio de Janeiro, Hermínio Bello de Carvalho, este incansável garimpeiro e animador cultural, a quem se deve o melhor trabalho em favor da música popular que desenvolveu em uma década da extinta FUNARTE, envia boas notícias - para compensar outras, nem tantas - inclusive sua injustíssima demissão da TV Educativa, onde produzia e apresentava um dos melhores programas já feitos no Brasil ("Água Viva").

Fernandinha, ex-Blitz, com toda a corda da eletrônica

Promoção não faltou para o lançamento disco-solo de Fernanda Abreu, ex-Blitz, agora no campo de batalha junto ao público jovem que busca intérpretes inovadores: "Ala Radical Dance Disco Club"(EMI/Odeon) chegou com uma produção luxuosa, capa dupla, ilustrações up to date (afinal, ela é mulher do artista gráfico Luiz Stein, responsável pela programação visual dos antigos shows da Blitz e pelas capas dos discos) e usando e abusando de recursos eletro-acústicos, computadores e outras arapuquinhas que permitem casamentos sonoros impensáveis há alguns anos.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br