Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Festival de Gramado do Cinema Brasileiro

Festival de Gramado do Cinema Brasileiro

Curtas tão bons que podem virar longas

Ney Sroulevich, diretor comercial da Embrafilme é um dos executivos com maior visão da indústria cinematográfica, com relacionamentos internacionais que o fazem o grande responsável pelo fato do Brasil ter hoje um festival internacional de cinema (este ano, a sexta edição será em Fortaleza de 23 de novembro a 3 de dezembro), não só assistiu, com a maior atenção, todos os filmes em disputa no XVII Festival do Cinema Brasileiro de Gramado como, na sexta-feira nos confirmava uma decisão: vai propor aos realizadores de vários dos curtas ali mostrados, bem como a outros na mesma metragem, premiados

Crise do cinema brasileiro será discutida em Gramado

A boa estrela de Esdras Rubine, secretário de Turismo de Gramado - e que, por cinco anos (1978/1982) já havia presidido a comissão organizadora do mais importante festival do cinema no Brasil, brilhou. Apesar da crise na indústria das imagens - entre 1987/89, a produção caiu em seus níveis mais baixos - a 17ª edição terá não só filmes importantes para disputarem os Kikitos, como alguns bons títulos ficaram de fora.

A questão dos vídeos e o "Elixir do Pajé"

Presente ao XVII Festival do Cinema Brasileiro de Gramado, o cineasta Roberto Farias, vice-presidente do Concine, confirmou que dentro de alguns dias sairá uma resolução disciplinando uma questão que está provocando a polêmica entre as locadoras e distribuidoras: o que pode ser considerado como vídeo de reserva de mercado e o que não vale. Afinal, dentro da necessária proteção do cinema brasileiro, o Concine não vinha aceitando que as locadoras acumulassem vídeos comerciais na linha de ginástica de Luiza Brunet, lições de futebol de Pelé ou receitas domésticas de Pepita Rodrigues.

Adaptações de Sabino na disputa do Kikito

Com toda certeza o escritor Fernando Sabino estará em Gramado: dois longa-metragens, em competição, são baseados em suas novelas: "A Faca de Dois Gumes", de Murilo Salles e "O Grande Mentecapto", de Oswaldo Caldeira. Sérgio Rezende, que com "O Homem da Capa Preta" conquistou as principais premiações do Festival de Gramado, há três anos, retornará concorrendo com seu novo filme, "Eu sem Juízo, Ela Doida Demais", cuja montagem foi feita pelo curitibano Mauro Alice.

Os curtas e médias que não chegam aos cinemas

Como Francisco Alves dos Santos e Geraldo Pioli, do setor de cinema da Fucucu, estiveram em Gramado, assistindo o festival, é de se esperar que já tenham agilizada a inclusão de Curitiba no roteiro das salas especiais em que serão exibidos os curtas e médias, em 16 e 35mm, que ali foram levados. Nos próximos dias, no Cine Clube Estação Botafogo (Rio de Janeiro) e no Museu de Imagem e do Som (São Paulo) os interessantes filmes, nestas metragens, poderão ser vistos pelos interessados. Complementa-se assim, ao menos para os cinéfilos cariocas e paulistas (e Curitiba, como fica?

O olhar sensível na realidade brasileira

Dois média-metragens apresentados em Gramado foram emocionantes abordagens de problemas rurais. Em "Bandeiras Verdes", de Murilo Santos - único cineasta maranhense em permanente atividade - é mostrado, ao longo de 30 minutos, o drama de um casal, Domingos e Rosa Bala, que em busca de trabalho, colocam seus 14 filhos e seus poucos pertences em uma canoa, subindo rios e igarapés, por regiões desconhecidas, em busca de terra liberta para cultivar e viver.

Um filme australiano e o "Jogo Duro" de Giorgetti

Seis filmes inéditos, da mais recente safra do cinema brasileiro, exibidos simultaneamente ao XVII Festival do Cinema Brasileiro de Gramado, registraram o ridículo bordeaux de 1.612 espectadores no Lido II. Lanterninha entre as nova capitais brasileiras escolhidas pela Embrafilme para a inédita experiência de mostrar nacionalmente os filmes em disputa ao Kikito no mais famoso festival do cinema brasileiro, Curitiba confirmou aquilo que há muito afirmamos: é tola a afirmação de que somos uma cidade de grande exigência cultural, cidade-teste para provar produtos culturais.

Em defesa do cinema de nosso continente

Se a Mostra Latino-Americana de Cinema (2 a 10 de outubro de 1987) não tivesse (como tantos outros eventos ocorridos no Paraná) ficado na primeira e única edição, hoje poderia estar a caminho de se tornar um acontecimento de importância no calendário de festivais cinematográficos. Principalmente porque agora, mais do que nunca, a Embrafilme / Concine estão preocupados em aproximar as cinematografias do continente, como ficou definido durante a primeira reunião preparatória do Foro de Integração Cinematográfica Latino-Americana, realizado paralelamente ao Festival de Gramado.

Festival de Gramado levará filmes para nove capitais

Uma novidade absoluta em termos de marketing festivalesco: pela primeira vez no Brasil (e talvez até no mundo) os filmes inéditos que concorrem numa mostra serão vistos, simultaneamente, em sessões comerciais em nove outros Estados. A novidade acontece no 17º Festival de Gramado (11 a 17 de junho), com a apresentação dos seis longas que ali disputam os Kikitos, também em salas do Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Belo Horizonte, Recife, Florianópolis, Salvador, Belém e Curitiba (Lido II, 320 lugares). xxx

Os filmes para os próximos festivais

Foi o próprio Orestes Quércia quem decidiu a parada: ao invés de cinco longa-metragens, cada um com uma ajuda de US$ 200 mil, o governo de São Paulo vai bancar a produção de dez filmes para aquecer a raquítica produção brasileira.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br