Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Festival de Gramado do Cinema Brasileiro

Festival de Gramado do Cinema Brasileiro

Giorgetti, o grande vencedor de Gramado

Ugo Giorgetti, 47 anos, bem sucedido diretor de filmes publicitários (mais de 50 prêmios no Brasil e Exterior), após uma estréia num documentário sofre Eder Jofre ("Quebrando a Cara", 1985) e um primeiro longa no qual se voltou a um grupo de deserdados da sorte, ironicamente vivendo numa mansão vazia num dos mais sofisticados bairros de São Paulo ("Jogo Duro", em exibição no Luz) em "Festa" continua a mostrar, com ironia e crítica, o outro lado de personagens marginalizados: um músico, um jogador de sinuca e um velho artista decadente são contratados para atuar numa festa suntuosa, no qu

Apesar de tudo, há gente otimista com nosso cinema

Na entrada do Salão de Convenções do Hotel Serrano, um painel anuncia, com fotos coloridas, quatro novas produções nacionais co-produzidas pela Embrafilme mas que não estão concorrendo nesta 17ª edição do Festival: "Forever", de Walter Hugo Khouri (esta realizada com fartos recursos internacionais); "Lua Cheia", de Alain Fresnot (que terá uma mostra hors concours, na tarde de hoje, quarta-feira), "Sonhei com Você", de Ney Sant'Anna (filho de Nelson Pereira dos Santos), com a dupla Milionário e Zé Rico (com quem Nelson Pereira dos Santos já havia feito "Na Estrada da Vida", sucesso até

No campo de batalha

1) - O próprio Fernando Sabino - que estava sendo aguardado ontem deve estar dividido: afinal, duas de suas estórias inspiraram filmes que estão em competição. Ontem foi exibido "O Grande Mentecapto", com um elenco de nomes famosos - Diogo Vilela, Osmar Prado, Luís Fernando Guimarães, Imara Reis (aliás, competindo em vários outros curtas e longas em exibição no festival), Débora Bloch, Antônio Pedro, Regina Casé, Jofre Soares, Emiliano Queiroz, Maurício do Valle e até Cláudio Correa e Castro.

Cinema para ler

A bibliografia de cinema em português tem crescido, conforme aqui registramos na semana passada, em vários setores: biografias, ensaios e mesmo roteiros de filmes. Este último, pela sua própria especificidade, é ainda o que menos entusiasma os editores, pois só os que realmente se interessam por cinema - inclusive com sonhos profissionais de se tornarem roteiristas ou diretores - é que buscam volumes que tenham a transcrição de toda a parte escrita de um filme.

Estão no laboratório os candidatos para Gramado

Dos sete filmes que estão prontos e em lançamento pela Embrafilme neste semestre, apenas dois são inéditos o suficiente para justificar sua participação no XVIII Festival do Cinema Brasileiro de Gramado: "A Faca de Dois Gumes", de Murilo Salles, baseado na novela de Fernando Sabino, com Paulo José, José Lewgoy, Marieta Severo e José de Abreu e "Jardim de Alah", de David Neves.

Os filmes brasileiros para 1989 / Cineastas preparam lote para 89, apesar do péssimo 88

O curitibano Mauro Alice, considerado um dos melhores montadores do cinema brasileiro (há dois anos, em Los Angeles, fez a edição de "O Beijo da Mulher Aranha", de Hector Babenco), encontra-se há mais de um mês no Rio de Janeiro, dando a forma final ao novo filme de Sérgio Resende - "Eu sem juízo, ela doida demais". Depois de "O homem da capa preta" (1986), Resende volta-se a uma ficção, rodada em Barreiras, rica cidade no Interior da Bahia (graças a cultura de soja), na região dos garimpos da Amazônia matogrossense e ainda no Rio de Janeiro.

Um festival como o país (Desanimado e sem luz)

O mais antigo dos festivais de cinema no Brasil, símbolo de resistência democrática nos anos mais duros da Ditadura Militar (e que sofreu suspensão por 4 anos, devido ter se transformado num centro de contestação nos anos 70), o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro vem sofrendo, nos últimos anos, um esvaziamento artístico-político.

Os grandes talentos nos pequenos filmes

No III Festival Internacional de Cinema, Vídeo e Televisão - de cujo júri de curta-metragem fizemos parte - "Frankenstein Punk", de Eliane Fonseca e Cao Hamburger, conseguiu unanimidade imediata: foi o melhor curta daquela mostra.

Festivais mostram cinema que se aprende na escola

Os festivais de cinema estão abrindo-se para uma vitrine dos filmes realizados por uma novíssima geração, saída dos (poucos) cursos existentes no Brasil. Este ano, a maior revelação foi da dupla Paulo Halm e Luiz Campos, da Universidade Federal Fluminense, que com o contundente "PSW - Uma Crônica Subversiva", média metragem de 50 minutos, denunciando o desaparecimento do deputado catarinense Paulo Stuart Wright, em setembro de 1973, nos cárceres do DOI-COI, São Paulo, praticamente revelaram mais um fato trágico dos anos de ditadura e que permanecia esquecido da história oficial.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br