Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS FestRio

FestRio

Gabi e Jaime fazem cinema francês voltar ao Brasil

Apesar de ter uma das maiores (e melhores) produções cinematográficas do mundo, a França tem sido pouco vista nas telas do Brasil. Desde que a Gaummont encerrou suas atividades entre nós, foram raros os filmes franceses - e mesmo de outros países europeus nos quais aquela poderosa produtora atua - que conseguiram distribuição comercial. Assim, o cineasta e executivo Jean Gabriel Albicoco, 54 anos, que por muito tempo dirigiu a Gaummont no Brasil, decidiu retomar o setor de exibição e distribuição.

Uma ajuda para o cinema brasileiro

A missão francesa que se encontra no Brasil, marcando o lançamento do circuito Belas Artes, não veio apenas oficialmente para reaproximar o cinema francês. Ao contrário, significa mais uma tentativa de Jean Gabriel Albicoco em estimular acordos que possam, realmente, fazerem com que a parceria de realizadores brasileiros e franceses se efetive.

No campo de batalha

Enfim uma exposição realmente importante na galeria de arte Banestado, cuja generosidade tem acolhido mostras de menor gabarito: esculturas de Renato Pedroso. Um dos primeiros artistas a trabalhar com o ferro e outros metais no Paraná, Renato tem uma obra da maior qualidade - e que justamente por ser reduzida é valorizada. Eis a oportunidade de se adquirir peças únicas e de alto nível. xxx

Até Saura oscarizável para a mostra do VI FestRio

Rio e Janeiro - Parece um milagre: num ano em que a produção cinematográfica teve seus mais baixos números, no qual foram extintas e sepultadas a Embrafilme/Fundação Nacional de Cinema e que a recessão econômica faz com que mesmo os empresários mais progressistas nem queiram ouvir propostas de financiar filmes, o RioCine Festival tem sua sexta edição, ampliada e revista, encerrando o calendário cinematográfico do ano - que teve, ainda, mostras em Gramado (julho), Natal (setembro) e Brasília (outubro).

uma cinematografia em alta conquistando novos mercados

Mesmo sem ter ainda sido negociado para distribuição comercial no Brasil - mas o que certamente acontecerá "Ay, Carmela", selecionado pela Espanha para disputar o Oscar como melhor filme estrangeiro-1991, e com indicações ao "Felix" - um novo troféu do cinema europeu, que terá agora sua terceira edição -, se constitui em nova demonstração do talento de Saura, 59 anos (a serem completados no próximo dia 4 de janeiro), 32 de cinema, e apontado como o novo Buñuel a partir das premiações que começou a acumular nos anos 60.

A vanguarda do vídeo que se faz no mundo

Repetiu-se no IV RioCine Festival, o problema que sempre existiu na parte de vídeo das seis edições do FestRio: multiplicidade de opções. Assim como Hamilton Costa Pinto, coordenador nos FestRio, sempre procurou dar uma amostragem internacional do que se cria nesta nova área - somada às produções competitivas, em disputa, também o RioCine foi generoso em sua programação.

Um filme sem happy-end: fazer curtas no Paraná

A novela dos quatro curtas-metragens de cineastas locais, iniciada há dois anos quando a Secretaria da Cultura fez um convênio com a finada Embrafilme, ainda não terminou: nenhum dos filmes pode ainda ser devidamente concluído e o clima de desânimo desceu sobre os realizadores. Fernanda Mori, por exemplo, após gastar todas suas economias para tentar finalizar "A Loira Fantasma", acabou, prudentemente, aceitando o convite do empresário Henrique Almeida e se integrando a sua equipe no Amapá, por onde o irmão do empreiteiro Cecílio é candidato ao Senado.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br