Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Fundação Teatro Guaíra

Fundação Teatro Guaíra

Viaro deixa Teatro Guaíra por excesso de burocracia

Enquanto pessoas incompetentes e despreparadas agarram-se ao poder na área cultural do município, o governo Roberto Requião registra sua primeira perda: sexta-feira, às 16h45, o advogado Constantino Baptista Viaro, 51 anos, entregou nas mãos da secretária Gilda Poli, da Cultura, a sua carta com pedido de demissão, irrevogável, da Superintendência da Fundação Teatro Guaíra.

Mário Celso contra os "picaretas" artísticos

Em sua tríplice condição de homem de comunicação - produtor-apresentador de "A Simpatia Está no Ar", na Rádio Independência, um dos programas de maior audiência à tarde - político e vereador, Mário Celso Cunha, 46 anos, preocupa-se com a imagem negativa que Curitiba vem ganhando quando acontecem escândalos e golpes no meio artístico-cultural.

No campo de batalha

Embora seja notícia para suplementos especializados, merece registro: a Cabanha Taquara Lisa, de Agudos do Sul, Paraná, está usando como marketing promocional para sua linha de criação o fato de que na Expotiba 89, quebrou o recorde brasileiro na venda de uma ovelha Heggmeier 352 por US$ 3.000,00 - e repetiu o feito, no ano passado, quando alcançou mais dois recordes: a venda do borrego TL 45 por US$ 5 mil e no Expointer 90 com outro borrego, a Taquara Lisa 56, vendido por US$ 11.500,00, recorde da América do Sul: é o que se pode dizer de um sucesso dos bichos (reais) do Paraná. xxx

Banco do Brasil vai financiar uma segunda sinfônica da cidade

O que aconteceu com os músicos que, por anos, integraram a Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Paraná? É uma boa pergunta, pois muitos talentos passaram durante mais de 20 anos pela única Sinfônica do Paraná, que teve por todo este período a direção do maestro (e ex-violinista) Gedeão Martins.

Bruxas que fazem pensar estão reunidas no Guaíra

Paulo Gorgulho, o novo "darling" das telenovelas brasileiras que foi catapultado a superstar por seu personagem José Lucas de Nada em "Pantanal" - afinal terminada na Rede Manchete, deverá estar hoje na platéia do Auditório Salvador de Ferrante. No final, entre abraços e cumprimentos - e muitos pedidos de autógrafos, naturalmente no fundo, no fundo, por certo estará amargando uma frustração: a de não ter feito o personagem John Proctor, em "As Bruxas de Salém".

Os bons cajus de Peter para internacionalizar nosso som

Mesmo sem qualquer promoção - ao contrário, não constou nem sequer do boletim informativo editado pela Fundação Teatro Guaíra - a participação do violonista Turíbio Santos como solista da Orquestra Sinfônica do Paraná, na última segunda-feira, teve um público interessado e participativo, que aplaudiu delirantemente o maior intérprete da obra violonística de Villa-Lobos - cujo museu, no Rio de Janeiro, dirige com a maior eficiência há quase cinco anos. Em todas as cidades em que Turíbio, 47 anos, se apresenta sempre encontra platéias fascinadas.

O concerto gravado do Duo Carrasqueira

Mesmo as maiores gravadoras na área dos clássicos - como a Polygram, CBS e EMI/Odeon - são relutantes na produção de alguns álbuns com música erudita com artistas brasileiros. Poucos são os nossos virtuoses que conseguem gravar regularmente - e só quando um artista consegue atingir a popularidade do pianista Arthur Moreira Lima as coisas tornam-se mais fáceis.

No campo de batalha

Apesar da produção de livros de arte cair mais de 80% com o fim da Lei Sarney, alguns projetos conseguem se concretizar. É o caso de "Volpi: 90 anos", com texto do crítico Jacob Klintowitz e projeto editorial da Ladi Biezus (256 páginas, circulação dirigida). Biezus, 56, diretor da Logos Engenharia, pretendia lançá-lo através de sua firma mas com as reduções financeiras teve que passar o projeto para o Sesc. O livro traz 240 reproduções cobrindo 75 anos de produção do artista. O texto de Klintowitz ocupa apenas seis páginas da edição. xxx

Arthur Miller não vem porque não há dinheiro para convite

Se o orçamento da Fundação Teatro Guaíra não tivesse sofrido cortes e as montagens de várias óperas e dos últimos espetáculos teatrais ("Mistérios de Curitiba e "New York Segundo Will Eisner") não tivessem exaurido as finanças, uma idéia surgida há alguns meses poderia ter sido levada adiante: convidar Arthur Miller a vir ao Brasil para assistir à montagem de "As Feiticeiras de Salém".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br