Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Gal Costa

Gal Costa

O modificado som do Carnaval brasileiro

Há mais de quinze anos que os registros musicais do Carnaval são melancólicos. A lamúria é sempre a mesma: só se canta as marchinhas e (alguns) sambas do passado, especialmente dos grandes mestres – como Lamartine Babo e João de Barro.

Artigo em 28.02.1982

Guerra de foice entre as chamadas “grandes agências” para conquistar a gordíssima conta publicitária do PDS. Na semana passada, a Opus apresentou um sofisticado projeto para os donos do poder da situação, mas, ao que consta, os ventos sopraram na direção da Múltipla.

Artigo em 07.04.1992

Somente hoje (21 horas, auditório Antonio Carlos Kraide do Centro Cultural do Portão) a oportunidade de quem aprecia violão assistir um dos mais criativos virtuoses deste instrumento: Alemão (Olmir Stocker), 55 anos, gaúcho, que tem uma longa quilometragem musical, divide com seu discípulo, Zezo (Antonio Sergio Ribeiro), uma apresentação - encerrando o workshop que fará à tarde para um grupo de violinistas da cidade. xxx

Mario Lago, muito além do simpático velhinho da TV

Mário Lago, que o Brasil todo conhece hoje como aquele velhinho simpático, sempre em personagem extremamente humano e solidário, das telenovelas da Globo, é muito mais do que um artista. Poeta, escritor, ator, radialista, ator, sua presença na vida cultural brasileira o faz uma das figuras mais admiráveis e dignas.

Ciranda Eleitoral

O jornalista Senival silva, 47 anos, que através de sua firma de comunicação ( Sistema) vem editando em vários jornais de empresas e entidades, foi picado pela mosca-azul. Foram tantos os amigos e colegas que lhe falaram de suas possibilidades para disputar uma vaga na Câmara Municipal que Senival decidiu disputar a convenção do PDT para sair entre os candidatos da chapa oficial. Organizado, com um relacionamento que se espalha em muitos setores, já começou a organizar sua campanha. xxx

O talento plural de uma internacional Gal Costa

Após uma inesperada (para o público) entrada via platéia de sete entusiastas crioulos do "Raízes do Pelô" com esfuziante percussão, são quinze minutos de emoção: o violão de um dos grandes virtuoses da nova geração, Marco Pereira, emoldura a voz carinhosa e suave, daquela que é hoje, em seu estilo, a melhor cantora brasileira: Gal Costa.

Voz e violão na perfeição de Ney Matogrosso e Rafael

A abertura de "Plural", com o violão perfeito de Marco Pereira e a voz maior de Gal Costa é tão suave que, os mais ortodoxos fãs de nossa MPB, dispensariam inclusive outros instrumentos (o que baratearia o custo por apresentação, hoje ao redor de Cr$ 4 milhões).

Cada vez mais brasileiro, João faz a melhor música

A leitura de um poema de Antônio Cícero ("Guardar"), no qual dizia que "guardar alguma coisa no cofre/perde-se de vista/guardar um pássaro é aprisionar o seu vôo", fez com que nascesse a atual parceria que desaguou nas canções deste novo lp ("Zona de Fronteira"). Wally Salomão, poeta baiano, diretor de shows da Gal Costa, seu outro parceiro, lhe propôs uma parceria para uma música destinada a Maria Bethânia, que acabou virando título de seu último elepê: "Memória da Pele".
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br