Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Gilberto Gil

Gilberto Gil

Os múltiplos talentos do bom baiano Leonel

A individual do pintor potiguar-baiano Leonel flores Brayner, 49 anos, hoje, na Galeria Momento-Arte se constitui num dos eventos da semana. Embora coincidindo com dois outros badalativos acontecimentos - o coquetel de comemoração do 7º aniversário da revista "Quem" e a estréia de "Feliz Páscoa", de Jean Poiret, com Paulo Autran, no Guaíra - a mostra do criativo artísta plástico nordestino deverá ser prestigiada por uma multidão de amigos.

Geléia Geral

Um golpe na especulação das lojas que trabalham com as ditas raridades fonográficas: reedição dos álbuns mais procurados pelos jovens. A (ótima) idéia é de Aloysio Motta, gerente comercial da WEA, que lançando o projeto Rock Pesquisa vai de encontro ao óbvio: para o que existir público, a gravadora reeditará os discos de seu catálogo - rigorosamente iguais as edições originais (capas duplas, encartes, etc.) E tem mais: as sugestões serão bem-vindas e podem ser encaminhadas a Alameda Gabriel Monteiro da Silva, 660, Jardim América, CEP 01442, SP.

No campo de batalha

Depois do ciclo Wim Wenders - que possibilitou o conhecimento da obra densa e profunda de um dos mais importantes cineastas contemporâneos - a Cinemateca faz um revival de bons momentos do cinema brasileiro. Começa hoje, com aquele que foi um dos grandes momentos na obra de Glauber Rocha: "Terra em Transe", 1968. Amanhã, um filme tropicalista, com uma atração especial - a trilha sonora de Gilberto Gil: "Brasil, Ano 2000", de Walter Lima Filho. No dia 12, em cópia incompleta, o mais difícil dos filmes de Ruy Guerra: "Os Deuses e os Mortos".

Barulho, sexo e humor na pouca música do Rock-1986

No sábado passado, o consumo de energia cresceu durante algumas horas no Ginásio Almir de Almeida, o Tarumã e, horas depois no Clube Curitibano, grupos como Camisa de Vênus e Marca Registrada estouraram tímpanos ao som de suas guitarras e parafernália eletrônica - fazendo vibrar milhares de adolescentes. Nesta semana; outros conjuntos de rock estarão exibindo na cidade - em ginásios, clubes e mesmo teatros, já que pouco a pouco, todos os espaços vão sendo conquistados por esta garotada eletrificada.

João Gilberto e a maravilhosa neurose em busca da perfeição

A história se repete. Como em junho de 1981, quando, dentro de um clima de mistério e muitos segredos, finalmente era lançado "Brasil", as páginas dos mais importantes veículos da imprensa brasileira abriram-se espontaneamente para saudar o retorno de João Gilberto ao disco. E na companhia de três outros ilustres baianos: Caetano Velloso, Gilberto Gil e Maria Bethania - num projeto que teve uma cara gestação de nove meses entre São Paulo-Rio-Nova Iorque, até atingir a perfeição que João sempre procura.

Nelson, o country com boa parceria

Finalmente o country começa a ocupar o espaço que há anos vem procurando em nosso mercado. E se há muita inutilidade, perfeitamente dispensável, há cantores da força de Wilson Nelson, o maior nome do country nos Estados Unidos (25 milhões de cópias vendidas, que já lhe valeram quinze discos de ouro, oito de Platina e dois de triplo-platina) que tem sabido trabalhar.

Jareau e Preston, para os ouvidos de agora

Pelo menos dois dos superstars escalados para o Rock in rio – que desde a última Sexta-feira é o grande acontecimento musical – já estiveram no Brasil e são nomes respeitados também pelos que apreciam jazz: Al Jarreau e George Benson. Dois artistas conhecidos internacionalmente por seu virtuosismo – o primeiro, como um homem-orquestra através de sua única e maravilhosa, enquanto Benson, embora também faça vôos comovocalista, é, antes de tudo, um excelente guitarrista.

Colchas de sucesso

A montagem de discos com fonogramas de diferentes artistas – garimpados entre os sucessos de cada trimestre – é fórmula tão antiga quanto o próprio elepê. Desde que saíram os primeiros longa-durações, no início dos anos 50, as gravadoras sempre viram nisto uma receita certa de fazer discos populares, atingindo aquelas camadas humildes e menos exigentes que desejam perpetuar, num único (e econômico) elepê as canções que sazonalmente são popularizadas por suas audições no rádio, e, a partir dos anos 60, apresentações na televisão.

De palavra em palavra

A avalanche de (bons) discos lançados no final do ano traz, ao lado da natural preocupação mercadológica/comercial das gravadoras, material para diferentes enfoques. Pena que a redução constante dos espaços destinados aos registros culturais faça com que, mesmo na chamaada imprensa nacional, os discos com as produçòes mais recentes de tantos compositores e intérpretes (de Chico Buarque a Roberto Carlos) ganhem poucas linhas.

No campo de batalha

Entre os novos membros do Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense - a serem empossados hoje a noite - estão José Joffily Bezerra de Mello e Cezar Augusto Carneiro Benevides . xxx Joffily é paraibano de nascimento, radicado em Londrina, autor de uma dezena de livros em que revê a história do Brasil do século XX (um deles, inclusive, motivou o filme "Parahyba, Mulher Macho") e revisa agora os originais de um desmistificador estudo sobre o Norte do Estado. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br