Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Ivo Arzua

Ivo Arzua

Reinhold, a competência de um bom administrador

Há 26 anos, quando deslanchava uma administração que, na época, mudou a fisionomia urbana de Curitiba, o prefeito Ivo Arzua Pereira esbarrava com um problema que até há dois anos era o calcanhar-de-aquiles do município: dificuldades orçamentárias (hoje, com os altíssimos índices do IPTU, a administração Lerner dispõe de recursos milionários).

A carta do dr. Ivo sobre técnicos x politiqueiros

Do engenheiro Ivo Arzua Pereira, ex-prefeito de Curitiba, e hoje provedor da Santa Casa de Misericórdia, recebemos a seguinte carta: "Meu caro Aramis: Cumprimentando-o, com maior prazer, valho-me da presente para, cumprimentá-lo efusivamente e, ao mesmo tempo, agradecer-lhe penhoradamente pelo artigo "Quando o técnico vale mais que o politiqueiro demagogo" (Tablóide", O Estado [do] Paraná , 25/3/1992).

Arzua, a competência que o Paraná não sabe aproveitar

No momento decisivo em que a discussão técnico x político se agrava para a sucessão da prefeitura, mais do que nunca o exemplo do engenheiro Ivo Arzua Pereira deveria ser lembrado pelos donos do poder.

Quando o técnico vale mais que o politiqueiro demagogo

Numa semana em que a (in)definição do candidato a ser ungido pelo prefeito Jaime Lerner à sua sucessão divide os que defendem a solução técnica, entre os cinco excelentes nomes que foram lançados, e a proposta política - com dois deputados pedetistas pretendendo também a candidatura, seria interessante que se lembrasse do que ocorreu há exatamente 30 anos em Curitiba.

Solheid, o que teve a arte de viver com amor

Desde a tarde de segunda-feira, 28, as eleições no Paraná tornaram-se mais difíceis de serem realizadas. Não porque os partidos políticos estejam em crises ainda maiores - embora divergências e rupturas aconteçam naturalmente - mas porque o Tribunal Regional Eleitoral perdeu um de seus mais eficientes executivos.

Perfil - Frei Miguel, os 25 anos do sacerdócio da pobreza

Nem os diretores da COHAB-CT até agora se lembraram de uma efeméride a acontecer dentro de 9 dias: os 25 anos da Vila Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, inaugurada pelo então prefeito Ivo Arzua e a primeira presidente do Banco Nacional de Habitação, Sandra Cavalcanti, em 10 de novembro de 1966.

No cimento da memória, a lembrança dos stars que passaram por Curitiba

Nas últimas três sessões do Cine Vitória, às 14, 17 e 20h30, em 28 de janeiro de 1987, as bilheteiras Reny Terezinha e Leonilda de Jesus venderam pouco mais de 100 ingressos para os espectadores que foram assistir à reprise de "Gandhi" (Gandhi, 1982, de Richard Attenborough), com tickets recolhidos na entrada pelos porteiros Manoel Pereira Santos e Silvio Cordeiro. Wilson Antônio, então o gerente da casa (hoje está no Cine Bristol), ouvia de Zito Alves histórias da inauguração do prédio, há 28 anos passados.

Orcy, aquele que teve a idéia da Linha Vermelha

No sábado, 4, pela manhã, ao inaugurar as "Pegadas da Memória" - o roteiro para se conhecer, a pé, os 60 pontos de maior interesse no centro de Curitiba - o prefeito Jaime Lerner em seu discurso, fez questão de lembrar os nomes do casal Orcy e Elisabeth Stunn, convidados de honra para o acontecimento.

Um exibidor que trouxe o Cinemascope para o Brasil

Pode-se dizer que Paulo Sá Pinto trouxe a modernidade para a cinematografia curitibana - que durante décadas estava acomodada com os exibidores tradicionais. Em 6 de novembro de 1948, uma sexta-feira, reabria o antigo Cine Vitória (que antes havia se chamado Imperial) com o nome de Ritz, na quadra da Rua XV de Novembro entre a Dr. Murici e a Marechal Floriano.

Meister, o homem do Teatro Guaíra

O Teatro Guaíra estaria hoje na Praça Ruy Barbosa se o governador Bento Munhoz da Rocha Neto não tivesse, em 1951, logo após sua posse, revisto o projeto e decidido que "em nome da cultura não se pode tirar uma praça da cidade". Se hoje, voltasse a Curitiba, o inesquecível estadista talvez até se arrependesse, tal a condição de mercado persa que a antiga praça foi transformada - hoje poluída como terminal rodoviário e um verdadeiro camelôdromo da cidade.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br