Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Jorge Amado

Jorge Amado

Coutinho, nosso homem em Havana

Edilberto Coutinho, hoje um escritor premiado internacionalmente, é lembrado ainda pelos ouvintes do antigo Clube Juvenil M-5, como aquele garoto que no início dos anos 50 era o "jovem mestre de cerimônias" do programa de auditório da Rádio Guairacá, comandado pelo pioneiro do rádio paranaense, Aluisio Finzeto. Edilberto, paraibano de João Pessoa, passou parte de sua adolescência em Curitiba e fez carreira como jornalista e escritor. Foi, aliás, um dos raros brasileiros a entrevistar, por três vezes, o romancista Ernest Hemingway.

No rosto da selva, o verde canto de Jesus

Há três anos, num álbum tão importante quanto inédito, Thiago de Mello, poeta amazonense, desde 1978 de volta ao Brasil após anos de exílio, gravou "Mormaço na Floresta", coleção de poemas extraídos dos seus livros mais conhecidos ("Faz Escuro Mas Eu Canto", "Os Estatutos do Homem", "Vento Geral" e "Canção do Amor Armado"), além, é claro, dos textos inéditos na época.

Caymmi, som, imagem, magia

"Que são setenta anos, diante da melodia que não conta tempo, não envelhece, enquanto as modas de cantar se sucedem e quase nada de música existe mais do que uma estação? Não há dia seguinte para o cancioneiro de Caymmi. A flor que o vento joga no colo da morena de Itapoã não murchou ainda. Murchará um dia? Não creio. O que está na voz de Caymmi a gente guarda como faz com as coisas de estimação. E ao ouvi-la em casa, na rua, no ar, é sempre a emoção de um bom encontro. Incorporou-se ao patrimônio de arte e coração do Brasil. Ninguém o apaga ou destrói".

Estórias da Beira Rio segundo Odylo

Uma obra póstuma de Odylo Costa Filho (1914-1979), jornalista e escritor que marcou intensamente sua passagem pela imprensa brasileira, foi lançada há algum tempo pela editora Record: "Histórias da Beira do Rio". Todos os personagens deste livro estavam vivos na cabeça e no coração de Odylo e transcritas agora em livro - com ilustrações de sua viúva, Nazareth - certamente emocionarão os leitores como aqueles que tiveram o privilegio de ouvi-las do próprio Odylo, na sua maneira única de contar histórias.

Recordando Lisboa com emoção de Eça

"Era Lisboa e Chovia" de Dário Moreira de Castro Alves (Editorial Nórdica, 400 páginas, Cr$ 29.000) é antes de tudo um roteiro cultural, histórico, literário e sentimental de Lisboa a partir de Eça de Queiroz, escrito com "imenso amor", como o assinala Jorge Amado na apresentação. O livro é também uma homenagem à memória de Dinah Silveira de Queiroz - sua esposa - que induziu o autor a fazê-lo.

Sabino, a arte de contar histórias

No próximo ano, uma importante efeméride literária: os 30 anos de publicação de "Encontro Marcado".

Amado, Hemingway, Sabino para que a criançada leia

Uma das editoras mais preocupadas em valorizar os livros infantis é a Record. E ela faz isto através da coleção Abre-te Sésamo, que reúne autores clássicos escrevendo para crianças. No pacote lançado no ano passado a novidade foi um maior número de autores brasileiros, já que em 1983, dos oito títulos lançados apenas um era brasileiro - o poeta Carlos Drummond de Andrade. O sucesso da coleção valeu a reedição dos oito primeiros volumes com uma nova série de títulos.

A Arte do best seller ou o Robim Hood dos livros

O clube do Best-Seller, que funciona há um ano na galeria Schaffer, em experiência inédita (mas hoje com empresas semelhantes em outros Estados) deu certo por uma razão óbvia: muitos querem ter o que de novo aparece mensalmente - romances, especialmente - mas com os preços cada vez mais elevados, nem sempre há condições de imobilizar Cr$ 15, Cr$20 ou Cr$ 30 mil num livro de interesse temporário.

Dia 8 poeta Gullar estará na Reitoria

O poeta Ferreira Gullar estará dia 8 de agosto no auditório da Reitoria. Vem participar do projeto "Encontro Marcado", promovido pelo jornalista Arakem Távora e Fundação Pró-Memória. Após interrupção de 45 dias devido a greve dos professores - o projeto será retomado, já com bons nomes de nossa literatura programados. Depois de Ferreira Gullar virão Nelida Pílon, Antonio Torres, e Thiago de Mello.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br