Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Jornal da Tarde

Jornal da Tarde

Denise virá ao Guaíra estrear "Mary Stuart"

No mesmo dia em que Sônia Nolasco Ferreira, correspondente de "O Globo" em Nova Iorque, publicava uma reportagem de meia página ("Stocklos no poder"), falando do sucesso da mímica Denise Stocklos no Teatro La Mamma, a artista passava por Curitiba e acertava a estréia nacional do espetáculo que a lançou nos Estados Unidos: "Mary Stuart", terá sua primeira temporada brasileira no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto, de 5 a 8 de maio (terça a sexta-feira).

Um filme com beleza em todas as formas

"Eu" traz um pouco de humor. Não chega a ser uma comédia, mas Khouri admite que procurou ser mais leve, um filme mais sweet como diz, "com menos agressividade, embora o personagem central tenha uma certa voracidade animal". - "Tarcísio é o personagem e o personagem é ele. É sua interpretação que dá o nonchanlance do filme, o personagem não é levado inteiramente a sério, nem por ele nem por mim".

Internacional Gismonti vem explicar sua "Alma"

1987 começa com uma visita especial: Egberto Gismonti. Dando exemplo de humildade que falta a tantos (falsos) superstars, ele faz questão de, pessoalmente, acompanhar o lançamento de cada um de seus novos discos. Assim, nesta semana, Gismonti chega a Curitiba para falar com a imprensa, comparecer a emissoras - mesmo aquelas que nunca divulgam sua música - e autografar "Alma" - título de seu novo álbum - no stand fonográfico da Livraria Curitiba (Praça Santos Andrade).

Disco documento de Nelson Cavaquinho

Era inevitável que a morte de Nelson Cavaquinho (Nelson Antônio da Silva, Rio de Janeiro, 28/10/1910 - 17/2/1986) provocasse não só uma corrida de cantores às suas músicas, como a reedição dos poucos discos que gravou. Louve-se, entretanto, a RCA e o Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro por terem se lembrado de homenagear Cavaquinho antes mesmo de sua morte.

Os melhores títulos lançados durante 86

Pouco a pouco, organizam-se as distribuidoras de videocassetes no Brasil. Assim, em 1986 apareceram diversas empresas que, legalmente, estão colocando títulos no mercado, devidamente selados e respeitando os direitos autorais. A partir de agora já é possível começar a se estabelecer um novo ranking: os dez melhores títulos de tapes colocados à disposição das locadoras e videomaníacos.

Marie, um hino à coragem feminina

"Tenso, vibrante, dramático, comovente: este é um filme a que se assiste na ponta da cadeira, do começo ao fim". Normalmente econômico e até ácido em seus elogios, Edmar Pereira, 43 anos, crítico do "Jornal da Tarde" - dono de um dos textos mais elegantes da imprensa cinematográfica, não fez por menos: enalteceu "Marie" (Marie, A True Story), quando de seu lançamento em São Paulo, há seis meses.

Pela 21ª vez, os melhores do cinema

Pela 21ª vez, O Estado do Paraná publicará domingo, dia 4, a página dos melhores do cinema - com a listagem dos 10 melhores filmes lançados em Curitiba durante o ano. Além de ser o jornal que mantém este ranking com a maior periodicidade, também o levantamento apresenta uma característica única: é o único, em toda a imprensa brasileira, que faz o levantamento dos preferidos do público. xxx

Iwersen e as suas "movie magazines"

Conseqüência direta do boom da chamada era do videoteipe, renasce o interesse pelo cinema. A prova está no crescimento das vendas das (raras) revistas que se dedicam ao cinema, a absorção de livros (caros) importados que abordam os mais diferentes aspectos dos anos de ouro de Hollyood e um interesse crescente da parte dos consumidores de vídeos por tudo que se relaciona ao cinema.

Personagens ao vivo para emoldurar desenho animado

A experiência de reeditar as matinadas com desenhos animados, no caso nacionalisticamente com Mônica e sua turma, foi das mais bem sucedidas. Maurício de Souza cita números provando o sucesso de "As Novas Aventuras da Turma da Mônica" (agora lançado em vídeo), com uma excelente média de 257 espectadores por sessão.

Um mergulho na noite da outra Nova Iorque

Interessante conhecer alguns detalhes da produção de "Depois de Horas" para entender melhor este filme. Martin Scorcese não filmava desde 1983, quando mostrou que Jerry Lewis pode ser um bom ator no dilacerante "O Rei da Comédia". Foi quando uma de suas melhores amigas e colaboradoras, Amy Robinson (por ele lançada como atriz em "Caminhos Perigosos"/"Main Streets") lhe mostrou o roteiro de um jovem escritor iniciante no Sundance Filme Institut, que Robert Redford mantém em Utah.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br