Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Joseph Losey

Joseph Losey

Quando Hollywood sofreu com o histerismo da "Caça às Bruxas"

Hollywood Cada manhã, para ganhar o meu pão Vou ao mercado onde compram mentiras. Cheio de esperanças Entro na fila dos vendedores (Bertold Brecht, 1898-1956) xxx Qual a atualidade que um filme abordando fatos ocorridos há quase 50 anos pode ter neste final de milênio? Teria sido aquilo que se chama de Macarthismo mais cruel do que as perseguições sofridas por décadas por intelectuais, artistas e opositores do governo soviético?

Chamas levaram cinema que teve os seus dias gloriosos

Da sacada de seu apartamento, no 6o andar do edifício N.S. da Luz, na praça Tiradentes, o agente de viagens Jorge Barbosa Elias, 49 anos, filmou com sua Cannon, o incêndio do cine Glória. Com emoção, Elias, um dos pioneiros produtores na TV-Paranaense nos anos 60 e hoje próspero dono de agência de turismo Sete Mares, sentiu mais do que a destruição de um cinema que viu nascer: ali foi que, graças a orientação de seu guru cultural, o cinéfilo e escritor Cláudio Lacerda, Elias aprendeu a gostar de bons filmes.

Um padre em crise e Trotski, Burton em seus últimos anos

Produção de 1979 e que chega ao Brasil com atraso de onze anos - e isto porque a Alvorada queria lançá-lo também em vídeo - "Absolvição" pertence à fase final da carreira de Richard Burton (1925-1984). A bebida, as relações de amor-ódio-amor com Elizabeth Taylor e uma carreira marcada por um sucesso dolorido - e que fez ele e Liz, numa determinada época, estarem entre as pessoas que recebiam mais dinheiro no mundo - no final dos anos 70 já apresentava sinais de crepúsculo.

Dois filmes inéditos de Bridges

Realizador inglês, vindo da televisão, Alan Bridges, 62 anos, teve em 1973, com "O Assalariado" (The Hireling), com Sarah Miles e Robert Shaw, a sua chance maior. Premiado com o Palma de Ouro, em Cannes, aquele filme colocando em questão as desigualdades sociais da Inglaterra, foi comparado, por muitos, como um exemplo do cinema influenciado por Joseph Losey (1909-1984), contundente em suas visões do british way of life. Entretanto, afora um público mais atento, poucos se interessaram em acompanhar os outros trabalhos de Bridges, que nem chegaram aos circuitos comerciais no Brasil.

Videonotas

Representando a Itália no III FestRio (novembro/86), "Il Camorrista" quase valeu a Ben Gazzara o prêmio de melhor ator. Apesar do vigor deste filme de Giuseppe Tornatore - com uma abordagem diferente da Máfia - na época nenhum distribuidor se interessou em comercializá-la no Brasil. Agora, finalmente, há uma cópia em 35mm, no circuito comercial, subproduto de seu lançamento em vídeo, com o título de "O Professor do Crime".

Bons filmes, afinal, em exibição na cidade

Afinal, nem tudo está perdido! Parece que Chico ALves resolveu sair da inércia e retomar o comando da programação das salas da Fucucu, evitando que a incompetência continue a levar o setor para o brejo. Prova disso é que conseguiu - não se sabe onde - uma cópia de um clássico dos anos 50, "Lola Montes", de Max Ophus que está sendo exibida neste fim-de-semana na Cinemateca. Mas novamente é de se indagar: por que castigar (e afastar) um público que poderia ser mais numeroso se este clássico fosse exibido numa sala confortável como o Luz - que, está reprisando "Para Viver Um Grande Amor?"

De Duke a sinfonias na trilhas dos bons tempos

Henrique Sverner, dono da cadeia Breno Rossi, sabe que existe um público de bom poder aquisitivo que coleciona trilhas sonoras. Em suas lojas em São Paulo, durante anos, uma das seções mais movimentadas sempre foi a de "sound tracks" importadas, que mesmo com preços mais elevados sempre encontrava compradores. Só que a disparada do dólar e a queda do poder de compra do brasileiro obrigou-o, a partir de 1986, a desativar as importações.

A história tamanho família de Cronin

Reeditando a obra do escritor inglês Archibald Joseph Cronin (1896-1981), a Record confirma, mais uma vez, a grande admiração que o público brasileiro tem por este autor de histórias humanas, personagens maniqueístas, sempre com um grande sentido moral e religioso. Cronin tem sido um dos autores mais adaptados ao cinema, com suas obras mais famosas ("A Cidadela", "As Chaves do Reino", "O Castelo do Norte" etc) merecendo filmagens bem sucedidas em termos de público - e quase sempre dignificando o médico do interior, abnegado e idealista, como grande herói.

No campo de batalha

Marco Aurélio Marcondes, ex-diretor de comercialização da EMBRAFILME e agora braço direito do poderoso Ugo Sorrentino (Art Filmes), esteve na cidade, acertando com João Aracheski, executivo da Fama, o lançamento de produções importantes que estão chegando ao Brasil. Entre outros filmes, "A Manhã Seguinte", de Sidney Lumet com Jane Fonda e "A Companhia dos Lobos", de Neil Jordan (o mesmo diretor de "Monalisa", prometido para breve no Palace Itália). xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br