Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Lúcio Rangel

Lúcio Rangel

Uma academia de MPB para Curitiba (que Herminio e Joel idealizaram)

Dentro de alguns dias, com muita pompa e, principalmente, marketing promocional, o prefeito Jaime Lerner estará anunciando uma nova unidade cultural a ser implantada em Curitiba: uma espécie de academia de música popular. Para garantir repercussão à iniciativa já foi contratada uma competente jornalista com trânsito nacional e, possivelmente, uma revoada de artistas ligados à MPB estará na cidade.

Etílicos referenciais para a humana arte do encontro

O que pode fazer de um bar-restaurante, pequeno, localizado no Leblom, no Rio de Janeiro, inaugurado há 25 anos, ser tema para um robusto livro de 301 páginas, lançado por uma editora nacional (Record) e interessar a milhares de leitores que possivelmente nunca o frequentaram ou o frequentarão regularmente - chegando, alguns, no máximo, a assustadas passagens pelo local com a timidez de forasteiro?

"Retratos", a obra prima do mestre Gnatalli, agora em CD

Em 1964, quando o Brasil vivia momentos de crise político-militar, pós golpe de 1º de abril, um dos gênios de nossa música, o gaúcho Radamés Gnatalli (porto Alegre, 27/1/1906-RJ, 1989) oferecia, longe das quarteladas, um trabalho de mestre" a suíte "Retratos", na qual homenageando Pixinguinha (1898-1973), Anacleto de Medeiros, (1866-1907), Chiquinha Gonzaga (1847-1935) e Ernesto Nazareth (1863-1934), desenvolvia um dos mais belos trabalhos instrumentais já feitos em nosso país.

Almirante, o primeiro homem que pesquisou nossa música popular

Apesar de nunca ter vindo a Curitiba, o cantor - e depois produtor dos mais famosos programas do rádio brasileiro - Almirante (Henrique Foreis Domingues, Rio de Janeiro, 19/02/1908 - 22/12/1980), teve numa firma paranaense - a Matte Leão, através de um dos seus produtos, o "Matte Ildedonso", um dos patrocinadores daquele que é considerado o primeiro programa de palco auditório da radiofonia brasileira - o "Caixa de Perguntas", iniciado em agosto de 1938 na Rádio Nacional, que havia sido inaugurada dois anos antes, em 12 de setembro de 1936.

A Velha Guarda que levou à São Paulo

Em 1954, quando dividia sua semana entre trabalhos no Rio de Janeiro e na Rádio Record, em São Paulo, Almirante idealizou o I Festival da Velha Guarda, que com patrocínio de Paulo Machado de Carvalho, dono da Rádio e TV Record, foi um sucesso. Nomes já veteranos como de Pixinguinha, Benedito Lacerda, Donga, Caminha, Patrício Teixeira, Bidê da Flauta, acompanhado de jornalistas famosos (Antônio Maria, Lúcio Rangel, etc.) e mesmo jovens instrumentistas (entre eles um garoto chamado Baden Powell), fizeram três apresentações, a última das quais no Parque do Ibirapuera.

Pensando o Brasil, foram 13 anos de bons projetos

Numa certa carta afetuosa e poética - bem dentro de seu estilo belíssimo de se comunicar - Hermínio Bello de Carvalho comunicou aos amigos de todo o Brasil o seu desligamento da Funarte.

Poeta do ar e da terra naqueles anos dourados

Não seria em poucas linhas de uma coluna que se poderia sintetizar a vida e a obra de uma pessoa da dimensão de Paulo Soledade - merecedor há muito de ser tema para uma das próximas edições do projeto Lúcio Rangel (monografias da MPB) que Hermínio Bello de Carvalho promove há 16 anos pela Funarte.

Em livros, o som da melhor música

Não há motivos para queixas! Pouco a pouco a bibliografia de nossa música vai se ampliando com lançamentos que vão desde contribuições modestas até projetos ambiciosos e caros como os patrocinados pela Construtora Carioca (livro e disco sobre Vinícius de Moraes) e o Banco Chase Manhattan ("Brasil Musical - Viagem pelos Sons e Ritmos Populares"), que merecerão futuros (e detalhados) registros.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br