Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Leny Andrade

Leny Andrade

Há 30 anos, 500 marchas e sambas faziam o Carnaval

Observando - se algumas músicas do Carnaval de 1962, nota-se que aquele ano refletia as grandes temáticas que sempre marcaram a criação popular. Assim havia marchinhas satirizando fatos políticos, filmes - "O Belo Antonio" (J. Mascarenhas/ Moacir Vieira e Luis Januzzi) - aproveitando o sucesso do filme de Mauro Bolognini, a moda ("Garota Saint-Tropez", João de Barro e Jota Júnior) ou a liberação feminina, mas vista ainda preconceituosamente: "Andorinha" (Haroldo Lobo/ Milton de Oliveira), até hoje cantada nos salões em seu refrão: Mulher casada/ que anda sozinha

José Maurício, o cantor que ama (e ajuda) a MPB

Entre as pessoas que mais tem auxiliado a música brasileira nestes últimos anos destaca-se um jovem executivo, que vem canalizando todo seu tempo livre - e muitos recursos - para que nossos talentos encontrem um prestigiamento cada vez mais difícil. Chama-se José Maurício Machline, é vice-presidente de comunicação do grupo Sharp, ama a música desde a infância e, tem mostrado como uma empresa pode manter um grande evento cultural.

OS 10 MELHORES LANÇAMENTOS DE 1991

1. Nino Rotta por Solistas Brasileiros - Zé Nogueira/Guinga/Roberto Correa/Chiquinho do Acordeon/Théo de Barros/Luis Carlos Borges e outros - produção J. C. Botezelli (Pelão)/CICA; (*); 2. Songbook Noel Rosa - com Antônio Carlos Jobim, Caetano, Carlos Lyra, Cassiano, Djavan etc. - produção Almir Chediak (Lumiar Discos); (*); 3. Simples e Absurdo - Guinga/Aldir Blanc - participações especiais de Chico Buarque, Leila Pinheiro, Leny Andrade e outros - produção de Paulinho de Albuquerque (Velas); 4. Feliz - Celso Adolfo - participação especial do grupo Uakti (*);

Revival bossa-novista com Rita, Tim e show ao vivo

Os bons fluídos de "Chega de Saudade", de Ruy Castro (Companhia das Letras) continuam no ar. Houve uma saudável reavaliação do mais feliz período da MPB nos últimos 40 anos, Johnny Alf e os Cariocas voltaram a gravar e Rita Lee e Tim Maia também reapareceram com álbuns "soft", no astral da harmonia e o romantismo da Bossa Nova.

Leny e Vânia, dois talentos musicais

Duas cantoras do primeiro time de nossa música popular apresentam-se na cidade neste fim de semana. Leny Andrade, a grande intérprete da Bossa Nova, única do "scat" jazzístico que tornou personalíssimos os standards como "Estamos Aí" (Durval Ferreira / Maurício Einhorn) mostra que, aproximando-se dos 50 anos, continua com o mesmo vigor e vitalidade do início de carreira - e ainda com maior experiência. Uma artista da dimensão de uma Elza Fitzgerald, que é o exemplo do talento que levou anos para ter o reconhecimento merecido (de hoje a domingo, Teatro Paiol).

Uma noite de amigos e belíssimas canções

Se não houvesse problemas de direitos autorais, "Grandes Músicos, Grandes Amigos" poderia se transformar num histórico CD, vídeo ou especial para televisão. Pois embora tenham ocorrido algumas falhas técnicas - o som, por exemplo, estava inaudível quando Johnny Alf subiu ao palco e fez o primeiro número, melhorando quando apresentou sua nova descoberta (a bela jovem paulista, Sandra Pereira, cantando "Ilusão à Toa") - a emoção, o astral e o significado do evento o tornou um momento muito especial.

Joyce internacional e Leny com novas canções

Joyce cada vez mais internacional. Uma viagem musical pelo tempo, proposta por Anna Maria Kieffer. Leny Andrade, nossa grande cantora jazzística com um repertório diversificado e renovado. Um revival em homenagem a Clara Nunes - uma das maiores sambistas que o Brasil já teve. O canto gaúcho de Maria Luiza Benitez. Eis um pacote provando que o canto continua das mulheres - neste nosso Brasil em que tantas jovens sonham por um espaço no disputado mercado e que, em veredas diferentes, buscam seus objetivos.

Leny, a nossa jazz singer

Reconhecidamente a melhor cantora de jazz do Brasil, a carioca Leny Andrade, 46 anos completados no dia 25 de janeiro, só nos últimos anos passou a ter um reconhecimento merecido. Com 37 anos de carreira - aos nove já se apresentava no Clube do Guri, na Rádio Tupi e, mais tarde, nos programas Silveira Lima e César de Alencar, Leny foi uma das grandes vocalistas da Bossa Nova. A partir de 1961, no Beco das Garrafas no Rio de Janeiro (Bacará, Bottles), tornava-se uma intérprete criativa, marcando músicas como "Estamos aí" (Maurício Einhorn/Durval Ferreira), que se tornou seu próprio prefixo.

Chega se Saudade! Ao menos em Londrina, Bossa Nova tem lugar

Para evitar que se repita a frustração do Projeto Pixinguinha - 1989 - que desviou sua rota para o eixo Foz do Iguaçu-Cascavel, já que não houve condições de conciliar o (ocupadíssimo) calendário dos auditórios do Teatro Guaíra, com a programação musical que este ano terá 8 espetáculos do melhor nível (e que os curitibanos não assistirão), Cláudio Ribeiro, recém empossado diretor da divisão de Música Popular da Secretaria da Cultura, está fazendo das tripas coração para que não se perca, em termos locais, outra grande promoção: "Bossa Nova: 30 Anos / Chega de Saudade". xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br