Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Mário de Andrade

Mário de Andrade

Inezita, canto maior do Brasil verde-amarelo

Um dos mais belos momentos do IV Encontro de Pesquisadores da Música Popular Brasileira (sala Sidney Miller, Funarte, Rio de Janeiro, de 5 a 8 de março de 1986), foi quando a cantora Inezita Barroso (Inês Madalena Aranha de Lima, São Paulo, 4/3/1925) ofereceu um depoimento-show sobre a música brasileira, estabelecendo, lucidamente, as diferenças entre as linguagens que fazem da canção não urbana tão rica e diversificada - objeto, até hoje, de pouquíssimos estudos e de um único seminário ("Linguagens e Rumos da Canção Brasileira"), por nós idealizado e promovido em Curitiba, há 4 anos (maio/8

Apenas uma estréia de maior interesse

Derradeiras oportunidades: hoje, em 5 sessões, no Lido II, a chance de assistir um dos mais políticos e sociais filmes do ano - o emocionante "Minha Terra, Minha Vida" (Country), de Richard Pearce, produzido e interpretado por Jessica Lange - que mereceu indicação ao Oscar como melhor atriz. Infelizmente, mais uma vez, um grande filme tem sua carreira encerrada precocemente, já que o "inteligente" público curitibano ainda continua apenas ligado aquilo que lhe é imposto promocionalmente, incapaz de valorizar obras de arte que não estejam acondicionadas em esquemas pré-estabelecidos.

Ieda e a homenagem ao Claudionor Cruz

A bela Ieda Salomão, compositora e cantora, estava tão nervosa durante o show de sexta-feira, no auditório da Reitoria, que ao anunciar a homenagem que seria prestada ao veterano Arlindo, executante de violão de 7 cordas, esqueceu até de mencionar que "Esse Chorinho, é Para Você, Arlindo!" era de autoria do acordeonista Ivan Graciano e do violonista Gersinho Badep. Arlindo, 60 anos, mais de 40 de música, ficou tão emocionado, que Ieda até temeu que fosse ter algum problema de coração.

Passoline e Antonione estarão na Cinemateca

Apesar de estar adotando o sistema de reprises de filmes de sucesso - devido a dificuldades de conseguir lançamentos - o bom Francisco Alves dos Santos continua a segurar a peteca na programação das salas da Fundação Cultural. Assim, enquanto "A Rosa Púrpura do Cairo" de Woody Allen está agora no cine Luz, o Ritz relançou aquele que foi, para nós, um dos melhores filmes do ano passado: "Procura-se Susan Desesperadamente", de Susan Seidelman, com a cantriz Madonna (excelente atuação), Susan Baquette e Aidan Quenn. Um filme de revisão obrigatória.

A Música em Pessoa

"Eu sou trezentos, sou trezentos e cinqüenta" - diz Mário de Andrade, num verso célebre. Fernando Pessoa foi mais contido, em matéria de cifra. Em compensação criou uma heteronímia militante e triunfante, caso talvez único na história das letras universais. Hoje em dia, a presença do autor de "Mensagem" se mede, não em escala nacional, ou continental, mas em termos ecumênicos. Fernando Pessoa é considerado, pela melhor crítica mundial, um dos maiores poetas do século." (Hélio Pellegrino)

Música

Para não ficar apenas no Rio Grande do Sul, um registro: Fagner, cearense de Orós, 15 anos de presença na MPB, vem a Curitiba pela segunda vez.

Pelas cartas conheça melhor Mário Andrade

A correspondência de Mário de Andrade (1893-1945) constituiu, ao lado de sua marcante obra, um manancial de informações. Numa época em que se cultuava o hábito da correspondência - hoje raramente mantido sob a alegação do corre-corre da vida moderna e a substituição por outros meios de comunicação instantânea (telefone, telex, agora o videotexto) - o autor de "Macunaíma" era um homem organizado, que jamais deixava de responder uma carta.

Na Global, o importante é o escritor brasileiro

Não há dúvida: o escritor brasileiro é o centro das atenções da Global Editora durante este ano de 1985. "Aliás", continuará sendo, porque o projeto editorial da Global está todo voltado para a ficção nacional, para a poesia, para a criação do autor deste Brasil" diz, com otimismo, seu diretor editorial, José Carlos Venâncio, acrescentando:

Koellreutter (em livro e ao vivo) está na cidade

(H.J. Koellreutter é o nome. Para o grande público, um desconhecido. Para a comunidade musical de elite, significa um dos grandes teóricos da criação musical. Há quase 50 anos no Brasil (chegou ao Rio de Janeiro, em 1937). Hans Joachim Koellreutter. 70 anos completados no último dia 2, influenciou muito a nossa música. Não só na erudita, mas também forjou toda uma geração de grandes músicos populares, entre os quais Severino Araújo, Lindolfo Gaya (que hoje reside em Curitiba). Tom Jobim, K-Chimbinho e Moacir Santos, entre muitos outros.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br