Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Mocidade Azul

Mocidade Azul

Observatório

A Secretaria da Cultura e Esportes promove o Abre Alas , concurso de músicas de carnaval, a Prefeitura de Curitiba destina generosas verbas para as nossas escolas-de-samba, mas falta ainda muita organização para os carnavalescos. Tanto falta que até ontem, nem o presidente da comissão organizadora do Carnaval 82, Nelson Santos, sabia quais os enredos das principais escolas da cidade.

Até o carioca ajuda bloco dos Apinagés

Fernando Pamplona, 52 anos, carioquismo e campeão de vários carnavais cariocas até a década passada, esteve quarta-feira em Curitiba acertando detalhes para retransmissão do nosso Carnaval que será feita pelo Canal 4, com o comando do veterano homem de TV[,] Arrabal, ex-companheiro de Pamplona em várias estações deste País. Atualmente Arrabal é diretor da TV Iguaçu Canal 4 e Pamplona ocupa a superintendência do Canal 2. TVE-Rio.

No campo de batalha

INDUSTRIAL bem sucedido no ramo da perfumaria, experiente executivo no mercado de capitais, Silvio Menezes de Carvalho ocupa agora novas atividades: é o gerente do Banco de Crédito do Banco Real do Rio Grande do Sul, agência de Curitiba, inaugurada na última segunda-feira x O Bloco carnavalesco Dom Pedro II, fundado por Jubal de Azevedo – e dissidente da Mocidade Azul – escolheu um tema para seu enredo: "Os mestres e seus pincéis maravilhosos".

Escolas de samba sem dinheiro mas mordomias para "Municipal"

Na tarde de segunda-feira, 24, na sede da Associação das Escolas de Samba de Curitiba, houve uma reunião de contornos quase dramáticos entre diretores de algumas escolas. De um lado, o presidente Neil Hamilton, 59 anos, ex-dirigente da E. S. Colorado e que há quatro anos vem se dedicando à entidade que tenta reunir e fortalecer as agremiações carnavalescas da capital. De outro, dirigentes de algumas escolas - especialmente da Mocidade Azul -, expondo problemas que as mesmas estavam enfrentando nesta semana final e ligados à crise maior: a falta de recursos.

Carnavalescos criticam desperdícios da FUCUCU

A polêmica causada pela realização do Baile Municipal, irritando autênticos carnavalescos de nossas escolas, revoltados com as despesas oficiais para a sua promoção, confirma, mais uma vez, que a insistência da prefeitura em se intrometer no carnaval é das mais danosas. - "A obrigação do poder público é apenas auxiliar as escolas-de-samba, permitindo que elas tenham condições de apresentarem um belo espetáculo para o povo", comenta Airton P. Machado, 51 anos, veterano carnavalesco.

Os sambas-de-enredo que poucos sabem cantar em nosso Carnaval

Com humor, criatividade e amor que tem pela cidade, Hélio Leites, 40 anos, há quase dois meses já comunicava ao Sr. Nelson Santos, presidente da comissão executiva do Carnaval de Curitiba, que, pela segunda vez, a mais alternativa das agremiações momescas de Curitiba - a Ex-cola de Samba "Unidos do Botão" (com "ex" mesmo) sairia uma semana antes do Carnaval para um minimalista desfile pela Boca Maldita, apresentando seu samba-de-enredo e os sete mini-carros confeccionados por seus 21 integrantes.

No campo de batalha

90 quilos de excesso na bagagem do pianista Arthur Moreira Lima e do baterista Luciano Perrone, solistas do concerto de ontem à noite no Teatro Guaíra. O pianista fez questão de trazer o banco do piano - sem o qual não faz concertos ("se pudesse trazia meu Steinway"), enquanto Luciano Perrone, 72 anos - completados no último dia 8 de janeiro, não faz apresentação que não seja em sua bateria que o acompanha há mais de 30 anos. xxx

No campo de batalha

Apesar da recessão artística - que já começou - neste fim-de-semana um espetáculo classe "A" deve justificar a ida ao Four Seasons, do Bourbon Tower: o empresário Mozart Primo, disposto a movimentar aquele espaço sofisticado - mas até agora ocioso em termos de atrações - traz o maior violonista brasileiro - Baden Powell. De quebra, a big band do veterano Osval, com standards da época de ouro da música americana. Baden apresenta-se amanhã e sábado. xxx

No campo de batalha

Maé da Cuíca (Ismael Cordeiro), 65 anos, um dos fundadores do Colorado em 1946, embora desde 1982 não saia mais com a Escola de Samba que tinha graças a ele a melhor bateria, não deixou de circular na Avenida Marechal Deodoro nos dias de Carnaval. Com a faixa de "Cidadão Samba" - que recebeu há 3 anos, por iniciativa do ex-secretário de Turismo, Glauco Souza Lobo, Maé anunciava que ia voltar ao Colorado, hoje relegado ao segundo grupo para tentar fazê-lo retornar aos tempos de glória.

No campo de batalha

A atriz Delcy D'Ávila, a brava presidente da Escola de Samba Embaixadores da Alegria, comentava após a (bonita) apresentação feita na noite de segunda-feira: "apesar do golpe que sofremos por parte do nosso vice-presidente, saímos com garra total". Depois Delcy esclarecia: Washington Cercal, vice-presidente, pegou Ncz$ 500 e não comprou o que deveria, nem prestou contas do dinheiro. "Já o estou processando para colocá-lo na cadeia", diz Delcy. ***
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br