Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Mostra do Cinema Latino Americano

Mostra do Cinema Latino Americano

Valêncio promoverá um superfestival latino

Múltiplo em suas agitações culturais, Valêncio Xavier, 54 anos, ex-diretor do Museu da Imagem e do Som, ao mesmo tempo em que conclui uma biografia oficial de seu amigo Poty Lazarotto - encomendada pela Fundação Cultural, conseguiu aprovação para um projeto cinematográfico que ele próprio reconhece, lhe permitirá dedicar-se profissionalmente ao mesmo, com uma boa remuneração, durante um ano: um grande evento ligado ao cinema latino-americano a propósito dos 500 anos da descoberta da América.

Foz, um festival para aproximar as fronteiras culturais latinas

O advogado Osmar Koehler, 52 anos, catarinense de Canoinhas mas curitibano por adoção - aqui vive desde 1957, quando chegou para estudar na UFPR, convidou dois casais amigos e enfrentou a bordo de sua confortável F-, cabine dupla, os buracos da BR-277 para passar o último fim-de-semana em Foz do Iguaçu. Finalidade: assistir ao Acordes Cataratas.

Pola, adeus à grande crítica

Há exatamente um ano, quando o colunista Alcy Ramalho Filho promovia o I Festival de Cinema de Curitiba - mais um evento cultural que ficou apenas em sua primeira edição (este ano, não houve condições de repeti-lo pela ausência dos patrocinadores Lufthansa/Texaco), a jornalista Pola Wartuck aqui passou 4 dias, acompanhando a exibição dos filmes como integrante do júri. Ao final, com a simpatia que sempre a caracterizava e a fazia merecedora da maior admiração, prometia que, "se convidada, aqui estarei em 1990, novamente".

No campo de batalha

Maria Luiza Dornas, coordenadora-executiva da comissão organizadora do festival, vem merecendo elogios: tudo está funcionando a contento, com o público prestigiando desde quarta-feira as sessões no cine Brasília - superlotado em suas sessões; os filmes de 16mm apresentados na Sala Alberto Nepomuceno e uma programação interna dentro do Kubitschek Plaza que ocupa o tempo de todos: debates com os realizadores dos filmes em competição; mesas-redondas sobre mercado de vídeo, cinema & TV (hoje à tarde) e indústria cinematográfica (amanhã). xxx

Estreantes vencem no Festival de Curitiba

Dois estreantes em longa-metragem, 35mm, acabaram sendo os principais vencedores do I Festival de Cinema Cidade de Curitiba: Alain Fresnot, 38 anos, com "Lua Cheia" e "Maria Letícia", 42, com "1º de Abril - Brasil" ganharam nas categorias principais: melhor filme e direção. E com isto viajarão - quando quiserem - para a República Federal da Alemanha, utilizando as passagens que a Lufthansa ofereceu como premiação principal.

Os médias em disputa

O júri dos curtas e médias-metragens (que serão exibidos no auditório Brasílio Itiberê, reformado após quase dois anos em que estava em obras) terá que usar colírio para resistir a tantos filmes em exibição. Nada menos que 12 médias e 60 curtas foram inscritos para o Festival Cinema Texaco - Cidade de Curitiba. Apesar de não existir premiações em dinheiro (apenas o troféu criado pelo escultor Alfi Vivern), os médias e curta-metragistas enviaram seus trabalhos, quase todos já aproveitados em outros festivais e alguns rodados há quatro anos (embora finalizados em 1987/89).

Em defesa do cinema de nosso continente

Se a Mostra Latino-Americana de Cinema (2 a 10 de outubro de 1987) não tivesse (como tantos outros eventos ocorridos no Paraná) ficado na primeira e única edição, hoje poderia estar a caminho de se tornar um acontecimento de importância no calendário de festivais cinematográficos. Principalmente porque agora, mais do que nunca, a Embrafilme / Concine estão preocupados em aproximar as cinematografias do continente, como ficou definido durante a primeira reunião preparatória do Foro de Integração Cinematográfica Latino-Americana, realizado paralelamente ao Festival de Gramado.

O som das imagens com a inspiração de Wagner

A situação crítica do cinema brasileiro, com a quase completa paralisação das atividades cinematográficas e problemas diretos ou indiretos que afligem toda a comunidade artística estarão em discussão em Gramado. Não só nas reuniões em que jornalistas, cineastas, artistas, técnicos, produtores, exibidores etc., examinarão os filmes em competição, mas, principalmente, nos debates paralelos e mesmo em conversas informais.

Nas trilhas musicias do cinema brasileiro

Pela própria identidade de sua obra com a utilização em trilhas sonoras de vários filmes (no ano passado, "Cidadão Jatobá", documentário de Maria Luiza Abohim, premiado no Festival de Brasília, usava trechos de seu "Rhythmetron") Marlos Nobre, 48 anos, presidente da Fundação Cultural do Distrito Federal, viu na realização da 21ª edição do festival de cinema a oportunidade para ser retomada a discussão de uma questão até há pouco esquecida: a trilha sonora no cinema brasileiro.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br