Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Moyses Lupion

Moyses Lupion

Moyses Lupion



Entrevistados e Entrevistadores: Moyses Lupion

Dos caminhos da esperança a duplicação, eis a BR-277

A professora Oksana Boruszenko, do Departamento de História da Universidade Federal do Paraná, foi quem escreveu o texto “ A Rodovia da Esperança”, utilizado pelo Departamento de Estradas e Rodagem para o bonito convite de inauguração da duplicação da CR-277, Paranaguá- Curitiba, programado para às 9 horas da próxima quarta-feira, dia 3. Num texto objetivo e comunicativo, Oksana Boruszenko sintetiza a história dos caminhos do litoral ao planalto: “A descoberta do ouro, nos rios que

Um livro sobre Lerner e a autobiografia que Anibal censurou

---- Nota: Este artigo que foi escrito por Aramis Millarch para sua coluna Tablóide de 06 de maio de 1992, foi censurado. ---- Jornalista com larga quilometragem na imprensa paulista onde integrou equipes das maiores publicações, Cecília de Christo Garçoni está planejando um projeto de maior fôlego profissional: uma biografia sobre Jaime Lerner.

Pio lembra Milton, aquele que criou o HC

Biógrafo e um dos maiores amigos do médico e professor Milton de Macedo Munhoz (Curitiba, 22/12/1901 - 9/7/1977), o também médico e professor Pio Taborda Veiga, 79 anos, irritou-se pela omissão do seu nome em recente solenidade alusiva aos 31 anos de inauguração do Hospital das Clínicas. Afinal, se houve um mestre da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná e, especialmente, executivo que se empenhou para a construção daquele hospital-escola foi Milton de Macedo Munhoz.

A Curitiba de Nireu e seus amigos na corrida do tempo

Do bar do Botafogo ao Bar Vilariño, gerações embriagam-se de poesia, ternura e nostalgia. De Ernest Hemingway à anônimos cronistas e poetas amadores cada um procura saudar e cantar os bares de suas juventudes. Ao redor de mesas em que tudo era permitido, especialmente sonhar, amar e viver intensamente.

Quando o técnico vale mais que o politiqueiro demagogo

Numa semana em que a (in)definição do candidato a ser ungido pelo prefeito Jaime Lerner à sua sucessão divide os que defendem a solução técnica, entre os cinco excelentes nomes que foram lançados, e a proposta política - com dois deputados pedetistas pretendendo também a candidatura, seria interessante que se lembrasse do que ocorreu há exatamente 30 anos em Curitiba.

Metry, um paranaense em andanças na Antártica

Um dos mais conceituados cientistas paranaenses, nome internacional na área de biologia, o professor Metry Bacila, 69 anos, é hoje uma das pessoas que melhor conhece a questão da Antártica. Integrante da comissão brasileira, na área científica, do projeto Antártica, o professor Bacila já esteve três vezes no Polo Sul, participando de importantes expedições científicas orientando importantes pesquisas na área da biologia.

Os tempos da Clube, da pensão Esplanada e do terno "Talismã"

Dentro da história do rádio paranaense, Milton Luiz Pereira é sempre lembrado não apenas como uma das vozes mais bonitas que passou pela PRB-2, Emissora e Curitibana, entre outros prefixos, mas como o exemplo de uma época em que, posteriormente, se destacariam em diferentes campos de atividade.

Com o tempo de Seo Celso, mais um capítulo da história de Londrina

Com toda razão, o jornalista, escritor e publicitário Domingos Pellegrini Júnior - hoje reconhecidamente o mais importante nome da literatura paranaense - estranhou que o seu último trabalho, "O Tempo de Seo Celso" não tivesse merecido, há alguns meses, quando de seu lançamento, a repercussão merecida.

No campo de batalha

Um dos curitibanos que mais conhece a história não oficial da cidade, está preparando, há tempos, um livro de memórias que, se publicado, vai provocar muita polêmica: Luizito Guimarães - ou, no registro civil, José Luís Terceius Bueno Barros Xavier da Silva Pereira Guimarães, filho caçula (05/04/1925) do cafeicultor Luís Guimarães - o bilionário que construiu o Castelo do Batel, vendido em 1948 para o então governador Moyses Lupion - e hoje sede da TV Paranaense. Em sua mansão em Caiobá na tranqüilidade Avenida Atlântica, repassa toda uma vida em que ouviu estórias da antiga Curitiba.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br