Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Museu da Imagem e do Som

Museu da Imagem e do Som

Valêncio promoverá um superfestival latino

Múltiplo em suas agitações culturais, Valêncio Xavier, 54 anos, ex-diretor do Museu da Imagem e do Som, ao mesmo tempo em que conclui uma biografia oficial de seu amigo Poty Lazarotto - encomendada pela Fundação Cultural, conseguiu aprovação para um projeto cinematográfico que ele próprio reconhece, lhe permitirá dedicar-se profissionalmente ao mesmo, com uma boa remuneração, durante um ano: um grande evento ligado ao cinema latino-americano a propósito dos 500 anos da descoberta da América.

Severo e Beto estarão no festival de Canela

Fernando Severo, o mais rigoroso dos cineastas locais - para ele, dificilmente um filme tem méritos e é implacável quando julga especialmente os trabalhos de colegas curta-metragistas - anda feliz da vida. Além de seu curta "Os Desertos Dias" ter sido aceito em Gramado, na 19a. edição do festival de Cinema Brasileiro, seu vídeo experimental "Instruções para subir uma escada", que dirigiu durante um dos cursos práticos de vídeo que Valêncio Xavier promoveu quando dirigia o Museu da Imagem e do som, foi aceito para o IV Festival Videomaker, que acontece de 24 a 27 de agosto em Canela-RS.

"Cortesia" demagógica com filmes alheios

Se não fosse a dignidade e coerência dos realizadores Fernando Severo e Fernanda Morini, a "coordenadoria" (sic) de cinema da Fucucu teria criado um constrangedor atrito entre o prefeito Jaime Lerner e a secretária Gilda Poli.

Cortesia demagógica com filmes alheios

Apesar das 144 linhas ocupadas em nossa coluna de ontem pelo "Direito de Resposta" do sr. Francisco Carlos Nogueira, Coordenador de Cinema da Fundação Cultural de Curitiba, nenhuma das colocações feitas na edição de 10 do corrente ("Cortesia demagógica com filmes alheios) foi contestada. Ao contrário, o coordenador (sic) reconhece que a ajuda que a FCC liberou foi realmente "irrisória" frente aos valores atualizados dos filmes e que a Mostra Internacional de Curta-metragens só veio a Curitiba graças a sra.

Filme de Solanas revive os anos de terror na Argentina

Salvador - O cancelamento na última hora de um documentário sobre a questão agrária - "O Canto da Terra", 1991, 100 minutos, de Paulo Rufino (atualmente nos Estados Unidos) acabou permitindo uma oportuna homenagem a um dos mais importantes cineastas latinos e a inclusão na programação da XVIII Jornada de Cinema da Bahia de um clássico documentário para melhor se entender a situação política argentina.

Uma jornada de imagens tão amargas quanto a realidade

Salvador - Visitando um bar do "Pelourinho", na parte mais antiga desta cidade, a cineasta e atriz Eliana Fonseca, 30 anos, realizadora de curtas como "Frankenstein Punk" e "A Revolta dos Carnudos" - este inédito e que teve uma única exibição, em copia de vídeo, paralela, durante a XVIII Jornada Internacional de Cinema da Bahia - encerrada na noite de ontem - animou-se com o ritmo e começou a dançar. Sentiu a aproximação de um jovem que, logo lhe surrupiava Cr$ 3 mil que tinha.

Mesmo sem ajuda, nosso vídeo vive

Durante dois anos e meio a infeliz administração da Fundação Cultural de Curitiba não só ignorou totalmente o setor de vídeo como também fez tudo para prejudicar a regulamentação do fundo Municipal de Cinema, projeto aprovado na excelente administração Roberto Requião por iniciativa do combativo vereador José Maria Correa. Denúncias sucessivas levantadas pelo vereador Mário Celso, um dos mais atentos fiscais dos desmandos na área cultural e a recente intimação à sra.

Adeus, Stelinha!

Com a morte de Stelinha Egg, na segunda-feira, 17, o Paraná perdeu sua única cantora que obteve uma real projeção nacional. A verdade é que Stelinha, mesmo afastada da vida artística há mais de 10 anos, era a única intérprete nascida em Curitiba que conseguiu tornar-se um nome popular em termos nacionais, excursionando ao Exterior e gravando mais de uma centena de músicas em 78 rpm, 45 rpm e elepês.

Artigo em 28.06.1991

Uma coincidência, que só os curitibanos mais antigos se lambraram: o novo intendente de Assunção, cuja posse foi prestigiada pelo vice prefeito Algaci Túlio, é homônimo de um dos advogados mais competentes da Prefeitura de Curitiba: Carlos Fiziolla. Com seu bem cuidado cavanhaque branco, chapéu coco, elegância britânica, Fiziolla era uma figura conhecidíssima e estimada na cidade. Profissional competente, era um homem bem humorado era um homem bem humorado, apreciador dos prazeres do mundo - os bons vinhos (excelente cozinheiro em fins de semana) e admirador do belo sexo.

O bom "cult" que os cinéfilos perderam

Pouquíssimos cinéfilos da cidade souberam assistir uma obra de um dos mais respeitados cineastas contemporâneos - "Vícios e Prazeres", do húngaro Miklos Jancso, que confundida na programação pornô-violenta do Cine Palace Itália, não despertou maior curiosidade. Quem foi - como Valêncio Xavier, o atento diretor do Museu da Imagem e do Som - extasiou-se com um filme belíssimo, cortante e cruel em sua crítica ao poder, que com imagens coloridas e uma trilha sonora muito bem escolhida, envolve o espectador.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br