Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Museu da Imagem e do Som

Museu da Imagem e do Som

Aristides e França, ausências sentidas

A bruxa está no ar! Morre Gonzaguinha numa estrada do Sudoeste. Curitiba vive um caos cultural. Duas pessoas que muito deram pela nossa cultura e arte também faleceram nos últimos dias, praticamente sem que a comunidade fosse lembrada de suas contribuições à música e ao cinema. Em Curitiba, dia 19 de abril, faleceu Aristides Severo Athayde, professor da Universidade Federal do Paraná, principalmente apaixonado pelos clássicos, um dos idealizadores e fundadores do Pró Música de Curitiba, em março de 1963 - e seu presidente por muitos anos.

A arte de chefiar (em boa paz) um gabinete

O dia em que alguém tiver a iluminada idéia de escrever um bem humorado livro sobre a burocracia oficial, a figura do chefe de gabinete dos donos do poder poderá merecer um dos melhores capítulos. Afinal, em qualquer órgão de administração pública, esta função é fundamental para o êxito do titular do cargo - pois desde os menores problemas administrativos até as mais delicadas questões políticas exigem uma pessoa com jogo de cintura para aparar arestas, acalmar ânimos, entender explosões do "Chefe" e contornar solicitações das mais absurdas.

O MIS preservará imagens do Iguaçu

Antes de passar a direção do Museu da Imagem e do Som para sua sucessora, a jornalista Marisa Vilela, o múltiplo Valêncio Xavier conquistou mais um notável acervo para esta instituição que, graças a sua administração, deixou de justificar a adjetivação cunhada ironicamente pelo pintor e humorista Fernando Velloso: "Museu da Imaginação".

No campo de batalha

Um dos mais ecléticos tecladistas do Paraná, Lalo, retornou há meses da Bélgica - onde morou por 5 anos, e hoje é dono do restaurante Luganos, associado aos seus filhos Maria Luísa e Ladislau, que ali instalaram um moderno sistema de fone-pizza. Os garotos, aliás, estagiaram em restaurantes na Itália buscando receitas exclusivas. xxx

A música em palavras

O professor e pesquisador Alceu Schwab, 66 aos - que em breve lança seu "A Música Popular no Cassino Ahú", terá que reeditar seu pioneiro "Bibliografia da MPB", que fez há alguns anos. É que anualmente aumenta o número de livros sobre a nossa música - biografias, ensaios, interpretações e mesmo obras de arte. 1990 foi, particularmente, generoso: quase 30 lançamentos, incluindo trabalhos de fôlego e dois livros que estão nas relações dos mais vendidos desde quando saíram do prelo: "Chega de Saudade", de Ruy Castro, e "Noel Rosa, Uma Biografia", de João Máximo e Carlos Didier.

Marcos se unem para ensinar a produção

O boom do vídeo no Brasil - não apenas (e felizmente) o comercial e idiotizante exploração da locação, com 90% do lixo internacional colocado nas lojas que se multiplicam a cada semana - mas na área da criação amplia-se seguramente. Hoje, com a difusão das filmadoras - que apesar dos preços ao redor de US$ 5 mil - dependendo do nível de sofisticação - começam a chegar a milhares de pessoas, nasce a necessidade de se oferecer orientação básica para se formar videastas.

No campo de batalha

Mais um Bicho do Paraná em escalada nacional: Ariel Coelho, ator que há uma década vem trabalhando regularmente em cinema e teatro (fora eventuais incursões na televisão), ganha destaque na montagem de "Uma Noite com Valentim", coletânea de textos curtos do cômico alemão Valentim Ludwig Fey, mais conhecido por Key Valentim (1892-1942). Com direção de Fernando Bechy, ao lado de Bia Nunes, Ariel está de quinta a domingo no palco do Teatro Cultura Artística (Rua Nestor Pestana, 196), São Paulo. xxx

Os documentários que a Prefeitura poderia ajudar a fazer em Curitiba

O pintor Theodoro De Bona faleceu, dia 19 último, sem assistir o vídeo "De Bona - Caro Nome" que os irmãos gêmeos Werner e Willy Schumann fizeram em sua homenagem. Embora concluído no início do mês, este documentário narrando de forma didática a vida e obra do pintor nascido em Morretes, não teve condições de ser exibido para De Bona, já gravemente enfermo.

Vozes de Montenegro homenagearam Glauco

Possivelmente o último trabalho profissional que o jornalista Eddy Antônio Franciosi (1930-1990) desenvolveu foi a preparação da programação, redação de convites, placas etc., para a homenagem a um de seus grandes amigos, o poeta, escritor e diretor Glauco Flores de Sá Brito.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br