Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Museu da Imagem e do Som

Museu da Imagem e do Som

Peri vem para lançamento do álbum de sua mãe, Dalva

Peri Ribeiro, filho de Dalva de Oliveira (Vicentina de Paula Oliveira, 1917-1972) e Herivelto Martins, 78 anos, estará em Curitiba nesta quinta-feira, por uma razão muito afetiva. Emocionado, vem prestigiar o lançamento oficial do "Estrela... Saudade", álbum duplo em que a grande cantora interpreta 30 das mais belas marchas-ranchos.

Homenagem à estrela Dalva e a descoberta de Marilu

Será, no mínimo, uma reunião de pessoas que amam a nossa melhor musica popular. Amanhã, ao entardecer, na sala Antonio Mililo da Secretaria da Cultura, o lançamento oficial de "Estrela.. Saudade", álbum duplo com Dalva de Oliveira (Vicentina de Paula Oliveira, Rio Claro, SP-5/5/1917-RJ, 31/8/1972) interpretando 30 belíssimas marcha-rancho, marcará a 50ª produção do selo Revivendo, que há dois anos vem proporcionando o reaparecimento de jóias de nosso cancioneiro.

No campo de batalha

A bibliotecária Aline Medeiros, uma das proprietárias da Ype Amarelo - livraria que em poucos meses já conquistou uma ampla faixa de clientes, graças a competência de seus donos e funcionários - recebeu ontem o compositor e agora escritor infantil Sérgio Ricardo. O autor da música de "Flics" (ballet em cartaz no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto) voltará em breve a Curitiba especialmente para uma manhã de autógrafos de seu primeiro livro infantil - "O Elefante Dorminhoco", na Ype Amarelo. xxx

Alecir levou fandango ao I Canto das Águas

"Louvação à Chimarrita", um fandango de Alecir de Antonina - de todos os compositores-intépretes paranaenses, o que mais se preocupa com a preservação e divulgação do folclore paranaense - foi a canção representativa de nosso Estado no I Canto das Águas do Mel, realizado no último fim-de-semana na cidade de Iraí (479 km de Porto Alegre).

Projetos piramidais

Entusiasmado com a montagem de "Tosca", no vesperal de encerramento da temporada, domingo, o prefeito Jaime Lerner tentava convencer a Constantino Viaro, superintendente da Fundação Teatro Guaíra, de fazer uma récita da obra de Puccini na Pedreira - que substituiu nesta terceira administração de Lerner a paixão que ele tinha, anteriormente, pelo Teatro do Paiol, como espaço cultural.

Filme sobre Maria Bueno começa no dia de Finados

No dia de Finados, Valêncio Xavier, cineasta entre outras atividades, inicia as filmagens de sua versão muito particular do mito Maria Bueno. Com equipamento e filme virgem fornecidos pelo fotógrafo Sérgio Sandeman, de Cascavel - que também participará da realização - Valêncio optou em começar pela parte documental: vai registrar a movimentação imensa no túmulo daquela que é considerada santa por milhares de curitibanos e que diariamente fazem romaria ao Cemitério Municipal.

No campo de batalha

1) - Maria Letícia, premiada como melhor diretora no Festival do Cinema de Curitiba - e ganhando assim uma passagem aérea da Lufthansa, Rio-Frankfurt - não veio a Brasília, onde seu filme "1º de Abril - Brasil", foi exibido na mostra informativa. Mandou a atriz Tessy Callado, filha do romancista Antônio Callado ("Quarup"), que foi a primeira a chegar. xxx

Spitzner, um homem e as suas pesquisas

Antes mesmo de iniciar o depoimento, veio a solicitação, quase uma imposição para autorizar o registro: - "Prefiro falar do meu trabalho. E o mínimo sobre a minha pessoa. Respeito a imprensa, mas não gosto de nada que pareça promoção pessoal."

Curitibana faz tese (nos EUA) sobre filme de Woody Allen

Se não tivesse passagem marcada para retornar aos Estados Unidos na noite de hoje, Denise Correa Araújo teria assistido "no mínimo mais três vezes ao filme "A Outra" (que quarta-feira saiu de exibição no Bristol, após uma magra semana com apenas 400 espectadores). Só que Denise é uma espectadora muito especial: é a primeira brasileira a se lançar num projeto intelectualmente audacioso - escrever uma tese sobre Woody Allen.

No campo de batalha

Maé da Cuíca (Ismael Cordeiro), 65 anos, um dos fundadores do Colorado em 1946, embora desde 1982 não saia mais com a Escola de Samba que tinha graças a ele a melhor bateria, não deixou de circular na Avenida Marechal Deodoro nos dias de Carnaval. Com a faixa de "Cidadão Samba" - que recebeu há 3 anos, por iniciativa do ex-secretário de Turismo, Glauco Souza Lobo, Maé anunciava que ia voltar ao Colorado, hoje relegado ao segundo grupo para tentar fazê-lo retornar aos tempos de glória.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br