Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Museu Guido Viaro

Museu Guido Viaro

Receita para desperdiçar o público cinematográfico

A asfixiante sala Arnaldo Fontana da Cinemateca do Museu Guido Viaro esteve superlotada no último fim de semana: adultos e crianças ali assistiram nove excelentes filmes de animação produzidos pelo National Filme Board of Canada, trazidos na mostra comemorativa aos 50 anos desta instituição. Muitos espectadores voltaram devido a falta de lugar, enquanto os que ali permaneceram - apesar do calor - se divertiram com o humor dos desenhos como "A Estória das Pérolas", "Cogumelos", "O Mascote Persistente" e "O Gato Voltou". xxx

Bradesco vai financiar nova sede da Cinemateca

Como gerente de agência Marechal do Bradesco, Antoninho Bornia ajudou muito o grupo de Amador Aguiar a conquistar a liderança nacional. Nos anos 60, quando o Bradesco ainda não era o campeão do ranking bancário, Bornia, com seu jeito afetuoso e amigo de fazer clientes, destacou-se na gerência local do Bradesco, catipultuando [catapultando] uma carreira que o faz hoje um dos principais executivos da organização.

"Senhor Pouer", o filme curitibano de Candeias

O cineasta Ozualdo Candeias passou os últimos quatro dias em Curitiba fazendo o que mais gosta: filmar. Resultado: concluiu um curta-metragem iniciado há dois anos e fez a documentação sobre a transferência do Museu da Imagem e do Som para sua nova sede.

Jaime, o prefeito que sabe amar bons filmes

Cinéfilo apaixonado desde a sua infância e que mesmo nos momentos de maiores compromissos sempre consegue encontrar tempo para assistir aos bons filmes em exibição (assim como nos dias mais cansativos em suas três campanhas eleitorais), o arquiteto Jaime Lerner tem todas as razões para fortalecer o cinema em Curitiba.

No campo de batalha

Hermano Penna, 44 anos, diretor de "Fronteira das Almas" (Cine Ritz, a partir de hoje) já concluiu o primeiro tratamento no roteiro de seu próximo filme - "Arremate dos Males". Explica: "será um filme sobre a cultura popular, focando um grupo de artistas numa pequena cidade do Interior". As filmagens serão possivelmente em algum ponto da Amazônia - cenário que fascina Penna ("Fronteira..." foi rodado em Rondônia, há três anos). ***

Mulheres, esculturas e caricaturas alemãs

Afinal, um diferencial no catálogo da individual de Celso Silva da Silva, gaúcho de Porto Alegre, 36 anos, curitibano por adoção, que mostra seus trabalhos na sala Theodoro de Bona do Museu de Arte Contemporânea. Ao invés de buscar textos elogiativos (e muitas vezes vazios, quando preparados por "amigos") para o seu catálogo (um belo e simples designer de Deborah Schwanke), preferiu um texto poético, enxuto e que, modernamente, expõe, com modéstia, a sua proposta. Merecendo transcrição, embora no original, pela diagramação, alcance maior significado.

No campo de batalha

Nasce uma estrela do tênis brasileiro: a curitibana Antonella Macedo, l4 anos, que vem colecionando premiações nacionais, internacionaliza-se. Participando do Orange Bowl, em Miami, foi a 5ª classificada - e a campeã de duplas (com Silmara Passos, de São Paulo). Em Nova Iorque, no campeonato de Port Washington, ficou em 9º lugar. Considerando sua idade - e a dedicação ao tênis tem tudo para chegar a campeã mundial em sua modalidade. xxx

Também assim não há público que resista

Quarta-feira, 21, 19h45. Na portaria do edifício-sede da Caixa Econômica Federal (entrada rua José Loureiro), chegam dois casais que haviam programado assistir, no auditório do 15o. andar, a projeção dos 10 vídeos sobre artes plásticas na promoção denominada Rio Arte Vídeo. Apresentada como uma realização conjunta da Secretaria de Estado da Culutra/ Coordenadoria dos Museus/ Caixa Econômica Federal (conjunto cultural), e que havia merecido um sofisticado poster (como, aliás, sempre acontece nos eventos desta pasta) e anunciava o início para aquela ocasião.

No campo de batalha

Uma das mais respeitadas coleções de ensaios sobre contemporâneos da literatura tem agora edição no Brasil: a José Olympio comprou os direitos de "Ecrivains de Toujours", inaugurada com o volume "Sartre", de Francis Jeanson. Agora saiu "Beckett", no qual Ludovic Janvier analisa a obra deste autor irlandês, que aos 82 anos, é, em sua obra dramatúrgica, o que talvez melhor tenha captado o desespero da humanidade moderna. Introvertido, jamais dá entrevistas, prêmio Nobel em 1969, vive na França desde 1937.

Aplausos de Velloso para Anna

Fernando Velloso, 55 anos, um dos nomes mais conhecidos das artes plásticas no Paraná, por três décadas atuando nos organismos culturais, aliando a condição de pintor (inclusive com cursos em Paris, onde residiu por 2 anos) a de crítico de artes plásticas - membro da AICA, associação nacional - sempre foi comedido em seus elogios.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br