Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Noiva Nervosa

Noiva Nervosa

A "love story" eletrônica e (metereológica) em L. A.

"Eu sou profundamente infeliz. Mas eu não sabia disso, pois estava bastante contente todo o tempo" (Harris K. Telemacher, personagem principal de "L. A. Story"). xxx Foi preciso que um inglês (Mick Jackson) viesse da BBC para redescobrir Los Angeles com uma leveza, inteligência e humor/amor próximos a que Woody Allen dedica a "sua" Nova York. Em "Noivo Neurótico, Noiva Nervosa" (Annie Hall, 1977), Allen dizia que odiava L. A. Porque "ali não existem esquinas". Por certo, Woody Allen também jamais pisaria em Brasília.

Denise, uma curitibana que se doutorou em Woody Allen

Dentro de algumas semanas - em abril, em data ainda não definida - duas professoras universitárias estarão fazendo uma abordagem de alto nível em termos de cinema num curso que a diretora do Museu da Imagem e do Som, Regina Walbach, programou entusiasticamente. Denise Araújo, 45 anos e [Tânia] Schepfeam, 44 amigas e colegas de universidade, estudam cinema com uma profundidade que as levaram a trabalhar em teses de mestrado no exterior.

Mas o que foi mesmo que eles (e elas) disseram?

Uma frase inteligente, espirituosa, de efeito, faz com que uma entrevista, declaração, discurso ou mesmo um texto literário (ou não) ganhe uma dimensão especial e se reproduza de várias maneiras. Saber garimpar entre tanto que se fala e escreve neste nosso mundo, é o que jornalistas argutos vêm fazendo uma nova vertente editorial das mais bem sucedidas: os livros com o que os outros dizem (ou escrevem).

Filmes comerciais ganham indicação para o Oscar

Não há dúvida de que o critério de marketing prevaleceu, mais uma vez, na indicação aos indicados ao Oscar - ao menos em suas categorias principais. Pois a inclusão de uma comédia apenas razoável como "Ghost, do Outro Lado da Vida" só pode justificar-se pelo fato deste filme dirigido por Jerry Zucker ter, surpreendentemente, se revelado como uma das maiores bilheterias do ano.

E a emoção de Miss Daisy ganhou na festa do Oscar

O sentimentalismo venceu a política na conservadoramente equilibrada distribuição dos 23 Oscars na noite de segunda-feira, 26. Se "Nascido a 4 de Julho", politicamente o mais importante dos filmes indicados neste ano, ficou apenas com dois troféus - montagem (Davis Bremer e Joe Butshing) e direção (Oliver Stone), "Conduzindo Miss Daisy" levou 4 dos 9 Oscars para os quais havia recebido nominations: filme, atriz (Jessica Tandy, 81 anos), roteiro adaptado (Alfred Uhry, autor também da peça original) e maquiagem (Manlio Rochetti, Lyn Barber e Ken Harvey).

Denise, a nossa Doutora no cinema de Woody Allen

Denise Araújo, curitibana, formada em Letras, é a primeira "Doutora em Woody Allen". Está de volta à cidade, por alguns dias, revendo sua família e mostrando, com natural orgulho, o diploma que obteve, com sucesso, no mestrado em Literatura Americana na Arizone State University, em Tempe, USA. Como foi contratada como professora da Faculty Associate na Arizone State University deve retornar dentro de poucos dias.

O filme que apaixona já na primeira vista

Nos pequenos frascos os melhores perfumes. A frase-clichê, kitsch mesmo em termos de citação, pode ser lembrada perfeitamente para a recomendação a este delicioso, terno e simpático "Amor à Segunda Vista" (Cinema I, 4 sessões, até amanhã).
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br